Resenha - Battle of the Ivory Plains - Dragonland

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Faria
Enviar Correções  

8


O Dragonland brinda os fãs do Power/Speed Metal com um disco para lá de interessante. Apesar de não inovar em nada, o conjunto sueco foi muito feliz em seu álbum de estréia, ficando acima da média. Uma mistura de Stratovarius com Rhapsody pode ser a definição mais adequada do som do Dragonland, no entanto, sem ser uma cópia desses artistas.

publicidade

Fato que contribui para isso são as ótimas orquestrações nas canções deste "The Battle of the Ivory Plains". A começar pela bela introdução "Dragondawn", passando por praticamente todas as faixas do CD, até chegar em "Dragondusk", que fecha este trabalho como uma faixa instrumental quase Hollywoodiana.

Além disso, o mérito do Dragonland está em criar refrões muito legais, mas simples, daqueles que se começa a cantar logo na segunda escutada. A veia melódica e as batidas velozes também rendem bons momentos como em "Storming Across Heaven" - que abre o disco e pode ser conferida também em versão demo (faixa bônus) - ou em "Ride for Glory", entre outras. O interessante é que o responsável pela velocidade da bateria é o mesmo que canta com eficiência em todas as músicas do álbum, ou seja, Jonas Heightgert, que divide as duas funções com muita competência. Entretanto, para o próximo álbum do Dragonland um baterista será contratado.

publicidade

Outro destaque é a faixa "A Last Farewell", balada cujo dueto entre os vocais femininos de Ingmarie Juliusson (convidada especial) e a voz de Jonas Heightgert ficou perfeito. A canção fala sobre a dor da separação, e mostra o diálogo entre os vocalistas de uma forma convincente, tudo embalado por pianos, órgãos e um solo de guitarra bastante apropriado para o clima da música.

publicidade

Para finalizar com chave de ouro, Andy Larocque, guitarrista da banda de King Diamond, deu à "The Battle of the Ivory Plains", a produção descente que o álbum necessitava para causar uma boa impressão e soar com a clareza que este possui. Que venha o segundo trabalho desta boa e jovem promessa sueca.

Track list:

01. Dragondawn
02. Storming Across Heaven
03. A Last Farewell
04. Ride for Glory
05. The Orcish March
06. The Battle of the Ivory Plains
07. Graveheart
08. Rondo a La Turca
09. A Secret Unveiled
10. Worlds End
11. Dragondusk
12. Storming across heaven (versão demo) bonus track

publicidade

Banda
Nicklas Magnusson - guitarras
Olof Morck - guitarras
Elias Holmlid - teclados e sintetizadores
Jonas Heidgert - vocal e bateria
Christer Pedersen - baixo

Megahard Records




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Separados no nascimento: Robert Plant e Patrícia PillarSeparados no nascimento
Robert Plant e Patrícia Pillar

Separados no nascimento: Eddie e Seu MadrugaSeparados no nascimento
Eddie e Seu Madruga


Sobre Fábio Faria

"Maidenmaníaco" convicto, nascido em 1973, passou a escutar Rock com 10 anos de idade. Primeiro disco adquirido foi "Destroyer" do Kiss. Logo depois conheceu o álbum "Killers" do Iron Maiden, e a identificação foi instantânea. Curte todos os estilos e sub-estilos do Rock e do Metal. Sem preconceito, escuta desde Black Sabbath, Yes, Janis Joplin, Slayer, In Flames, Sex Pistols até Dream Theater, U2, Blind Guardian, Slipknot, Carcass, etc. Bandas favoritas: Iron Maiden e Beatles.

Mais matérias de Fábio Faria no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin