Matérias Mais Lidas

Charlie Brown Jr: me chutaram 100% do projeto que criei, diz filho de ChorãoCharlie Brown Jr: "me chutaram 100% do projeto que criei", diz filho de Chorão

Humor: como seriam os nomes de alguns rockstars se eles fossem brasileirosHumor: como seriam os nomes de alguns rockstars se eles fossem brasileiros

Charlie Brown Jr: Marcão diz que filho de Chorão mente ao falar em dívida impagávelCharlie Brown Jr: Marcão diz que filho de Chorão mente ao falar em dívida impagável

Ian Gillan: Dio e Klaus Meine, dois baixinhos junto com o giganteIan Gillan: Dio e Klaus Meine, dois baixinhos junto com o gigante

Metallica: quando Tracii Guns encontrou James Hetfield bêbado num bar em Nova YorkMetallica: quando Tracii Guns encontrou James Hetfield bêbado num bar em Nova York

Zakk Wylde: o riff que ele queria ter criado - e a música que ele nunca conseguiu tocarZakk Wylde: o riff que ele queria ter criado - e a música que ele nunca conseguiu tocar

Metallica: por que James Hetfield não gosta do Guns N' Roses, com quem tocou em 1992Metallica: por que James Hetfield não gosta do Guns N' Roses, com quem tocou em 1992

Led Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar Stairway to Heaven?Led Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar "Stairway to Heaven"?

Exodus: acordei e estava fora da banda, isso quase acabou comigo, diz ex-guitarristaExodus: "acordei e estava fora da banda, isso quase acabou comigo", diz ex-guitarrista

Anthrax: Scott Ian parabeniza o aniversariante Charlie Benante com foto das antigasAnthrax: Scott Ian parabeniza o aniversariante Charlie Benante com foto das antigas

Revolver: veja os 25 melhores álbuns de 2021 escolhidos pela revista, e tem Iron MaidenRevolver: veja os 25 melhores álbuns de 2021 escolhidos pela revista, e tem Iron Maiden

Cavalera Conspiracy: palmeirenses, Iggor e Max celebram título da LibertadoresCavalera Conspiracy: palmeirenses, Iggor e Max celebram título da Libertadores

Clássicos: hits que foram lançados há mais de 30 anos e fazem sucesso até hoje - Parte 1Clássicos: hits que foram lançados há mais de 30 anos e fazem sucesso até hoje - Parte 1

Charlie Brown Jr: Xande toma atitudes com mentalidade escrota e egoísta, diz MarcãoCharlie Brown Jr: "Xande toma atitudes com mentalidade escrota e egoísta", diz Marcão

Linkin Park: Evanescence e Halestorm cantam cover em homenagem ao falecido vocalistaLinkin Park: Evanescence e Halestorm cantam cover em homenagem ao falecido vocalista


Tarmat
Garimpeiro

Resenha - Anoraknophobia - Marillion

Por Thiago Sarkis
Em 12/07/01

Nota: 8

A primeira palavra que me vem à mente para descrever esse novo trabalho do Marillion é inusitado. Talvez isso seja um tanto quanto óbvio, pois com esse nome ("Anoraknophobia") e essa capa (com 9 cópias de Barry, candidato a ‘mascotinho’ do grupo, bem semelhante ao Kenny de South Park), só poderia sair algo bem diferente e inovador. Com certeza não haverá uma revolução no mundo do rock a partir desse disco, principalmente porque as músicas nele contidas não levam ninguém a ter grande divulgação. De qualquer forma, trata-se de um material poderoso, que mostra novos caminhos para o pop rock e o progressivo ao mesmo tempo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Os mais fanáticos pela era-Fish, que nunca se entenderam com Steve Hogarth, são inimigos em potencial deste novo álbum. O Marillion continua com um pé na modernidade e está definitivamente livre das rédeas de excelentes trabalhos de seu passado, como "Script For A Jester’s Tear" e "Fugazi". O caminho é outro e parece bem traçado. Quem não gostou da mudança, que já vem acontecendo há vários anos, continuará torcendo o nariz para novos lançamentos do grupo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Experimentalismo, sensibilidade, bom instrumental e contato com o movimento rock atual, especialmente o britpop, se reúnem nesse disco, no qual o Marillion dá a nítida impressão de fazer o que tem vontade, sem se preocupar em provar algo ou vender milhares de cópias. E nada melhor do que uma banda em seu estado mais puro, tocando da maneira que bem entende. O resultado disso vem, principalmente, nas faixas "Quartz", "The Fruit Of The Wild Rose", "Separated Out" e "If My Heart Were A Ball It Would Roll Uphill", nas quais há uma convivência intensa entre blues, jazz, rock, e outros estilos. Juntas elas somam mais de trinta minutos, nos quais as passagens inspiradas preponderam sobre as idéias mais fracas. Algumas partes são um pouco maçantes, mas nada que não se resolva em alguns segundos, com as freqüentes e boas intervenções de Ian Mosley e Pete Trewavas, os maiores destaques nessas músicas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Podemos dividir as faixas ainda não comentadas, em duas categorias: na primeira estão "Between You And Me" e "Map Of The World", caracterizando uma união perfeita entre pop rock e progressivo. Em meio a levadas modernas típicas, momentos como o que podemos ouvir depois dos 3 minutos de "Between You And Me", enchem os olhos e mostram que a inserção de outras referências, como a do progressivo, no pop rock, pode levar esse estilo a evoluir e atingir patamares bem altos; na segunda entram "When I Meet God" e "This Is The 21st Century", que vão além de qualquer expectativa, proporcionando instantes de rara emoção. Ambas poderiam, facilmente, estar presentes em álbuns como "Brave" e "Afraid Of Sunlight". Estão entre as melhores composições do Marillion e colocam às claras toda a alma do grupo, e mais especificamente de Steve Hogarth. Aliás, após ouvir essas composições, fica difícil saber se Hogarth e seus companheiros são músicos geniais ou pessoas extremamente sensíveis, que nasceram com um dom, um poder imensurável, de expressar sentimentos. Impossível dizer o que é exatamente; talvez seja um pouco dos dois. O certo é que trata-se de coisa de outro mundo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Anoraknophobia" aparece como o melhor disco do Marillion desde "This Strange Engine", tendo passagens que retomam os áureos anos de clássicos da era-Hogarth. Quem gostou de "Seasons End" não tem porque não gostar deste novo álbum. A ‘embalagem’ realmente mudou, mas a essência, repleta de sensibilidade e musicalidade, continua a mesma.

Site Oficial – http://www.marillion.com

Steve Hogarth (Vocais)
Steve Rothery (Guitarras)
Mark Kelly (Teclados)
Pete Trewavas (Baixo)
Ian Mosley (Bateria)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Lançamentos: 7 músicas de rock e metal desta semana (13 a 19/11) que merecem destaqueLançamentos: 7 músicas de rock e metal desta semana (13 a 19/11) que merecem destaque

Marillion: novo álbum será lançado em março; confira capa, tracklist e uma das faixas

Rock Till You Drop: Marillion; A atual fase da banda (vídeo)


Brasil: Bandas que gravaram discos ao vivo em nosso paísBrasil: Bandas que gravaram discos ao vivo em nosso país

Música na Biblioteca: 10 bandas que tiveram seus nomes inspirados por livrosMúsica na Biblioteca: 10 bandas que tiveram seus nomes inspirados por livros

Mike Portnoy: os dez melhores discos de rock progressivoMike Portnoy: os dez melhores discos de rock progressivo


Metallica, Guns, Slipknot, Kiss: tombos, erros e fatos engraçadosMetallica, Guns, Slipknot, Kiss
Tombos, erros e fatos engraçados

Heavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregosHeavy Metal
Os maiores álbuns da história para os gregos


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.