Matérias Mais Lidas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemA banda de forró que uniu Nenhum de Nós, Legião, Titãs e Paralamas na mesma música

imagemMorre Andy Fletcher, tecladista e membro fundador da banda Depeche Mode

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemZakk Wylde relembra ídolo: "tão relevante quanto Bach, Beethoven e Mozart"

imagemA apaixonada opinião de Elton John sobre "Nothing Else Matters", clássico do Metallica

imagemBlind Guardian divulga vídeo oficial de "Blood Of The Elves"; veja aqui

imagemMorre Alan White, baterista do Yes e que gravou a clássica "Imagine", de John Lennon

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil


Resenha - Live to Die - Bride

Por Maurício Gomes Angelo
Em 21/09/03

Nota: 10

Clássico. Esta é a palavra que melhor define "Live to Die". Mas "clássico", aqui, não é só pela época em que foi lançado. Interprete "clássico" referindo-se a um disco fundamental na história do white metal. Fundamental pelos 35 minutos de música aqui contidos.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Até agora eu não consigo acreditar que Dale Thompson realmente era capaz de dar agudos tão insanos e agressivos. O que dizer de Troy Thompson e Steve Osborne? Timbre de guitarras afiado, riffs precisos e pegajosos, solos cortantes, exalando feeling. Para completar ainda temos dois monstrinhos chamados Stephan Rolland e Frank Partipilo, baterista e baixista, respectivamente.

Dá raiva. Eu sou obrigado a destacar todas as faixas. Eu não conseguiria dormir tranqüilo se destacasse "In The Dark" e deixasse "Metal Might" de fora, por exemplo. Ao ouvir "Out for Blood", corremos o risco de ficarmos perturbados por aproximadamente uma semana ou mais. Que refrão meu amigo, que refrão!

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

É uma obra em sentido crescente. Começa na maravilhosa "Metal Might" e culmina no clássico maior, "Heroes". O som praticado aqui é o puro Heavy Metal oitentista, pesado, vivo, rasgado e direto.

Troy Thompson nunca faz um solo maior do que deveria. Eles estão sempre colocados no momento certo, na hora certa e agradam mais do que você espera.

Whiskey Seed tem uma pegada hard rock setentista fundida com o já citado heavy metal aqui executado, que te transportam imediatamente para aquela época. Visceral.

Depois da dilaceradora e rápida "Here Comes the Bride", o que temos a seguir é uma daquelas músicas que viram referência eterna da banda. Num CD de músicas curtas (quatro minutos é o máximo), Heroes vem com seus sete minutos de verdadeiro delírio metálico.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Solos exaltando o heavy metal dão prazer e orgulho ao serem ouvidos. A banda toda dá o máximo e criam, possivelmente, a maior composição da história do Bride.

Acho que isso é o suficiente para se ter uma noção do que estou falando. Em suma, se você estufa o peito para dizer que é metaleiro, acha que o heavy metal é a melhor coisa que já existiu, e é fanático por obras dos anos 80, eu não sei o porque de você ainda não ter esse cd na sua coleção. Deixe Dale e seus companheiros te proporcionarem alguns momentos a mais de felicidade.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Garimpeiro das Galáxias: Beldades globais e sua paixão pelo rock


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo.