Resenha - Master of the Moon - Dio

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Site Oficial: http://www.ronniejamesdio.com

Rock In Rio: Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da Spinner

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Meu filho, escute bem: você vai nascer baixinho, feio, seu cabelo vai cair com o passar do tempo mas em compensação você terá um gogó previlegiado. Mesmo depois de velho você continuará cantando como se fosse um jovem."

Duvido que o criador não tenha dito isso a Ronnie James Dio antes do mesmo vir ao mundo, 62 anos atrás (se eu errei a idade me corrijam). Porque o que o baixinho canta é algo absurdo. Quem conferiu a recente turnê brasileira pôde atestar o que digo. E esta turnê era o passo inicial para a divulgação do mais novo cd da banda DIO: "Master of The Moon". O que inicialmente poderia ser uma continuação da trilogia iniciada em "Magica" e interrompida no bom "Killing the Dragon" se tornou mais um cd do tradicional heavy/rock que DIO faz com extremo talento e habilidade, acompanhado por Craig Goldie nas guitarras, Simon Wright na bateria, Scott Warren nos teclados e Jimmy Bain no baixo (depois sendo substituído por Rudy Sarzo, que tocou no Brasil com DIO).

"One More for The Road" parece saída de "Killing the Dragon": bem hard, com guitarras velozes e o vocal inconfundível de Ronnie. Já a faixa título poderia bem estar em qualquer álbum do sabbath, tamanha a categoria de sua levada cadenciada, típica do Sabbath. O mesmo pode ser dito de "The End of the World" (que caberia muito bem no "Dehumanizer" - último álbum de Dio no Sabbath) e "Shivers", mais agitada e com belos "riffs" por parte de Craig.

"The Eyes" já é conhecida do público brasileiro, e é o ponto fraco do cd. Não é ruim, mas a levada é estupidamente arrastada, contrastando com a elegância de "The Man Who Would Be King". Já faixas como "Diving The Lie" (novamente flertes com o hard) e "Death By Love" nos levam ao estilo já conhecido de DIO, enquanto que ""I Am"e "In Dreams" novamente trazem aquele toque "sabbathico" que DIO tentou fazer em parte no cd "Angry Machines", que mas que neste novo cd soa bem mais coeso, com uma banda acertadíssima e um DIO inspirado.

Um bom cd. Ronnie fez neste petardo o que sabe fazer melhor: heavy metal. Só isso já basta.

Sancturay Records - 2004.


Outras resenhas de Master of the Moon - Dio

Dio: Gloriosa despedida do Mago da Voz em seu último full-lengthDio
Gloriosa despedida do Mago da Voz em seu último full-length




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dio"


Ultimate Guitar: as 21 músicas mais épicas de todos os temposUltimate Guitar
As 21 músicas mais épicas de todos os tempos

Dio: detonando Blackmore ao falar do Rainbow em antigas entrevistasDio
Detonando Blackmore ao falar do Rainbow em antigas entrevistas


Rock In Rio: Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985Rock In Rio
Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985

Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da SpinnerÓdio musical
Os artistas mais detestados em lista da Spinner


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adGoo336