Resenha - Live in USA - Apocalypse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos A. M. Cruz
Enviar Correções  


"The first band to perform at Progday, from the Southern Hemisphere... the first to play on this festival, I believe... APOCALYPSE!"

publicidade

Após estas palavras ditas pelo narrador e produtor do festival, Peter Renfro, inicia-se o show, com "Carmina Burana", seguida de "Último Horizonte", "Terra Azul", "América do Sul" e outras... sim, estamos falando de uma banda de rock progressivo brazuca, que conta com Ruy Fritsch nas guitarras, Chico Casara no baixo, Chico Fasoli na bateria e percussão, e o multiinstrumentista e pesquisador musical Eloy Fritsch nos teclados.

publicidade

Fundada em 1983 por Chico Casara e Eloy, natural de Caxias do Sul, atualmente residindo em Porto Alegre, e que inclusive possui alguns álbuns solo editados, a banda teve seu primeiro auto-intitulado trabalho lançado em 1991, de forma semi-independente. Depois, teve mais três álbuns inéditos editados pela Musea, gravadora francesa especializada em rock progressivo, além de faixas inclusas em coletâneas tanto no Brasil quanto no exterior.

publicidade

Eis que agora temos em mãos o sexto trabalho da banda, gravado ao vivo em setembro de 1999 no Festival ProgDay99, na Carolina do Norte, EUA, e lançado no Brasil pela Rock Symphony, onde além de desfilarem faixas dos três álbuns de estúdio, ainda trazem novas composições, como América do Sul, Toccata e ProgJazz. Curiosamente, embora cantem em português, a receptividade do público americano foi muito boa, o que evidencia ainda mais que música de qualidade é algo que ultrapassa barreiras linguísticas... Imagine se os presentes tivessem acesso às excelentes letras compostas pela banda, na sua grande maioria com conteúdo quase místico? Aliás, numa votação logo após o festival, Eloy foi eleito o melhor tecladista do evento!

publicidade

Quanto à sonoridade, a banda sofre um pouco de influência do Marillion (e conseqüentemente do Genesis com Peter Gabriel), porém é injusto classificá-la apenas como mais uma banda de "neoprog", afinal não se restringe a esta temática. Há momentos que lembram um pouco os trabalhos do Kansas e do Yes na década de 70...

Sim, Mr. Renfro, no hemisfério sul - mais precisamente no Brasil - também temos rock progressivo de qualidade...

publicidade

(PS.: Este cd pode ser adquirido nas lojas do ramo ou diretamente com a Rock Symphony, através do site http://www.rockprogressivo.com.br/rocksymphony/main )

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: as 10 introduções mais matadoras do estiloHeavy Metal
As 10 introduções mais matadoras do estilo

James Hetfield: O equilíbrio entre Metallica e vida familiarJames Hetfield
O equilíbrio entre Metallica e vida familiar


Sobre Marcos A. M. Cruz

Fanático por rock setentista.

Mais matérias de Marcos A. M. Cruz no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin