Resenha - Global Village - Madsword

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

10


O primeiro CD do Madsword, "Evolution", já mostrava a competência desses italianos e deixava os fãs de metal progressivo com água na boca. O début dos caras deixava claro que essa banda seguiria a tradição de seu país de revelar grandes artistas, principalmente nos estilos progressivo e melódico, para o metal mundial.

publicidade

"The Global Village" vai até além das expectativas criadas com o álbum de estréia do grupo. Músicas muito bem compostas, com partes inovadoras e bastante técnica, sempre. Porém, não é aquela coisa ultra-virtuosa. Sem dúvida alguma, todos os integrantes são bem técnicos, mas dão mais importância às melodias, harmonias, tempos e letras. E não "apenas" nos quesitos já citados, como também a todos os detalhes que compõem o cd. Um exemplo disso é a capa, uma obra de arte realmente maravilhosa. O encarte é caprichado e contém todas as informações que alguém poderia procurar sobre o álbum e a banda.

publicidade

É difícil destacar um integrante do grupo, pois todos têm seu espaço e participam intensamente das músicas, exatamente como uma banda de heavy metal progressivo deve trabalhar. Walter Pod é um baterista fenomenal, que ganha destaque pelas levadas criativas que tem. Gianni Guerra, Lorenzo Castellarin e Simon Rosani trabalham de maneira perfeita juntos. Quando não estão fazendo as mesmas coisas juntos, estão se revezando em harmonias e melodias, deixando linhas marcantes na memória de qualquer um. Andrea Bedin é um vocalista acima da média do que se pode encontrar no estilo. Técnica apurada e boas interpretações das letras.

publicidade

As músicas de grande destaque são: "Time In The Ice", que abre o álbum, "Living Hexadecimal", uma instrumental que praticamente divide o cd e toda a história que se desenrola a cada faixa, e "A New Beginning", que fecha esse segundo trabalho do Madsword com chave de ouro. Ou seja, é um álbum que mantém uma qualidade altíssima, com começo, meio e fim.

publicidade

Vale a pena conferir esse novo clássico do metal progressivo e prestar atenção em todos os detalhes. É indispensável para fãs desse estilo.

Site Oficial – http://www.mywebpages.com/madsword

Formação
Andrea Bedin (Vocais)
Gianni Guerra (Guitarras)
Lorenzo Castellarin (Teclados)
Simon Rosani (Baixo)
Walter Pod (Bateria)

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Slash: guitarrista fala sobre a origem da sua cartolaSlash
Guitarrista fala sobre a origem da sua cartola

Discórdia: alguns dos maiores insultos entre artistasDiscórdia
Alguns dos maiores insultos entre artistas


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin