Matérias Mais Lidas

imagemJames Hetfield e esposa Francesca se divorciam após 25 anos de união

imagemNando Reis e a linda música que Samuel Rosa dispensou por ter recebido na hora errada

imagemAs seis músicas do Metallica que Dave Mustaine ajudou a escrever

imagemAs faixas do "Black Album" que James Hetfield e Lars Ulrich não curtem

imagemO comovente relato de Kiko sobre como foi gravar em meio ao câncer de Mustaine

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemAC/DC: Rick Rubin recorda a problemática produção de "Ballbreaker"

imagemJoão Gordo relembra proposta de fazer propaganda de calmante com Dado Dolabella

imagemAs 10 melhores versões metal de músicas pop dos anos 1980, em lista da Metal Hammer

imagemRaul Seixas: o clássico que presta homenagem ao brega e foi feito com Paulo Coelho

imagemOzzy comenta a brutal honestidade de Lemmy quando estava próximo da morte

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemAmy Lee escolhe a melhor música do Evanescence para apresentar a banda

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita


Stamp

Resenha - Todays Report - ACT

Por Thiago Sarkis
Em 06/04/00

Nota: 10

Ouvi falar muito nessa banda. Li vários reviews e as notas ficavam sempre entre nove e dez. O que os autores dos textos diziam eram coisas que realmente impressionavam. Ressaltavam a alta qualidade dos músicos, a originalidade nas composições, entre outras coisas. Isso me gerou muito interesse pela banda. Porém, tinha receio de ser mais um daqueles apoios para bandas (puxação de saco mesmo) que algumas revistas e webzines americanos e europeus costumam fazer. Bom, mesmo com um pé atrás, adquiri o CD.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Coloquei no aparelho de som e a cada faixa fui me envolvendo mais com o estilo do A.C.T. Eles não se desligam do progressivo... seja ele mais pesado ou um pouco mais leve. As influências são diversas, mas todas dentro do meio em que se enquadram, ou seja, progressivo. São perceptíveis alguns toques de Rush, Pendragon e Gentle Giant, por exemplo. Nos solos de guitarra, principalmente, podemos perceber mais as influências de bandas de metal progressivo. O melhor dessa história toda é que eles unem o tradicional do estilo com mudanças que apareceram, dentro do estilo, durante o tempo. O resultado é magnífico. Conseguiram tirar um pouco de cada influência, sem perder a essência e as idéias novas que trazem.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Today’s Report" contém quinze faixas, sendo que sete delas são partes de apenas uma música, chamada "Personalities", que tem mais de doze minutos de duração. O álbum começa eletrizante com três composições espetaculares: "Abandoned World", "The Wandering" e "Waltz with Mother Nature". A última citada tem partes hilárias, com bases ‘diferentes’ e melodias bem marcantes, que lembram o maravilhoso Gentle Giant. A quarta música não tem um começo tão devastador e logo de cara, imaginei que "Today’s Report" era só fogo de palha com as primeiras faixas. Me enganei. A quarta faixa, "Why Bother", pode não começar detonando, mas termina deixando qualquer fã de progressivo boquiaberto. E assim são as outras composições. Algo, realmente, IMPRESSIONANTE.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Acredito que o A.C.T entra, ao lado do Spock’s Beard, como grande força do progressivo atual. Trazendo lembranças, com altíssima qualidade, do que foi feito no passado e apresentando coisas que estão sendo criadas agora, com muita criatividade e originalidade.

Com certeza, americanos e europeus não estavam ‘puxando o saco’. A banda é mesmo sensacional. Agora, só me resta uma coisa a fazer: dar uma nota 10 para "Today’s Report", pois até 9.9 seria uma injustiça terrível com esse trabalho fenomenal.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Kiss: como foi demitir Eric Carr em seu leito de morte

O Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.