Matérias Mais Lidas

imagemSteve Grimmett: vocalista do Grim Reaper morre aos 62 anos

imagemBeatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

imagemO hit dos Engenheiros sobre Humberto não querer ser guru dos jovens igual Renato Russo

imagemRoger Waters sobre tocar Pink Floyd sem David Gilmour: "Não tenho problema algum"

imagemSons of Apollo une carisma e técnica em show no Rio com direito a piada de Mike Portnoy

imagemAs 10 músicas mais estranhas do Guns N' Roses, em lista do Ultimate Classic Rock

imagemAs obscuras músicas favoritas do Red Hot Chili Peppers de John Frusciante

imagemDream Theater: confira possível setlist dos shows da banda no Brasil

imagemO hit do Engenheiros do Hawaii frequentemente confundido com confissão de aborto

imagemAs 10 melhores músicas "lado b" da carreira solo de Dio, em lista do Metal Injection

imagemDez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

imagemBlaze achava que Bruce jamais voltaria para o Iron Maiden

imagemMaranhão Open Air anuncia line-up com 24 bandas em dois dias

imagemConheça o guitarrista brasileiro de 16 anos que estará no próximo clipe do Megadeth

imagemPrika Amaral esclarece por que contratou apenas mulheres europeias para a Nervosa


Stamp

Resenha - Arkhe - Arkhe

Por Thiago Sarkis
Em 19/08/99

A Itália vem apresentando grandes bandas nesses últimos anos. E o Arkhè é mais uma amostra da força que o heavy metal, seja ele, progressivo (é o caso do Arkhè), melódico, tradicional, etc tem no país.

Esse primeiro álbum do Arkhè foi lançado pela Underground Symphony. Todos os detalhes parecem ter sido muito trabalhados, desde a capa (maravilhosa) até o instrumental e a parte lírica.

Muitos dizem que o Arkhè não passa de um clone do Dream Theater e isso se deve, principalmente, pelo fato do vocalista, Pino Tozzi, ter uma voz muito semelhante a de James LaBrie. Também há uma "mania" de dizer que tudo que é metal progressivo é cópia da banda de John Petrucci. Porém, no caso do Arkhè, isso me parece injusto e sem lógica. Basta ouvir o CD com atenção e perceber que esses italianos têm uma identidade própria. Excelentes músicos, ótimas composições, belas letras e grande criatividade.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

São 8 músicas do melhor do heavy metal progressivo. A primeira faixa do álbum, "Chains", já impressiona e é assim que esses italianos vão até a última música, "Le Voyant De Salon" (14 minutos e 42 segundos), com a participação de Alessandro De Berti tocando violão clássico.

Vale a pena ouvir COM ATENÇÃO e apreciar o sensacional trabalho que essa banda faz.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.