Arquivo do Rock: 74 anos de David Gilmour

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Ferrara, Fonte: Radio Catedral do Rock
Enviar correções  |  Ver Acessos

Batizado de David Jon Gilmour, o famoso guitarrista do Pink Floyd David Gilmour, nascia em 6 de março de 1946 em Cambridge, Inglaterra. Filho de Douglas, um professor de zoologia da Universidade de Cambridge, e de Sylvia, que também era professora, mas depois seguiu a carreira de editora da BBC, David Gilmour sempre foi incentivado a dar prosseguimento ao seu interesse por música. Aos 8 anos, ganhou seu primeiro single, o clássico Rock Around The Clock do Bill Haley e "seus cometas". Depois veio Elvis com Heartbreak Hotel e The Everly Brothers com Bye Bye Love. Pronto, o garoto estava bem encaminhado e com considerável interesse por guitarra despertado. Tanto que pegou uma guitarra emprestada de um vizinho e nunca mais a devolveu. Com seu trajeto no mundo da música prestes a se iniciar, faltava um daqueles acasos da vida que todos nós tiramos proveito ao final.

Pink Floyd: Zakk Wylde toca o solo de "Confortably Numb" em vídeo; assistaSlipknot: Ana Maria Braga surpreende em abertura do Mais Você

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em 1957, ele frequentava a The Perse School que ficava em Hills Road. Ele odiava aquele local e sempre pensava em sair de lá. Foi nessa época que o destino fez com que conhecesse dois rapazes que frequentavam a Cambridge High School for Boys. Esses rapazes eram Syd Barret e Roger Waters. Pronto, o universo já conspirava a favor de todos. Conspirava com tanta vontade que, cinco anos depois, David e Syd passaram a ser colegas na Cambridge College of Arts and Technology, época em que praticavam guitarras juntos com frequência. Era agora questão de paciência.

Ainda em 1962, David entrou para o Jokers Wild, uma banda de rock e blues. Eles chegaram a gravar um pequeno álbum no Regent Sound Studio, mas apenas 50 cópias foram feitas. Três anos depois, na companhia de outros músicos e do amigo Syd Barret, David Gilmour fez uma viagem, que poderia ser chamada de turnê, onde visitaram a Espanha e França tocando música dos Beatles.

Em 1967, ele faz uma nova turnê pela França com o trio Jokers Wild que agora se chama Flowers e logo depois viraria Bullitt. A turnê é um fiasco. Poucos locais aceitam contratá-los para tocar e quase todos pagam mal. Não bastante, tiveram o equipamento roubado. E dessa que seria a pior parte, foi como o destino conspirou novamente. Precisando de novos equipamentos, eles voltam para a Inglaterra. Nesse meio tempo, David Gilmour teve a oportunidade de visitar o amigo Syd Barret na gravação do single See Emily Play já na banda Pink Floyd. Nesse encontro, David se aproxima dos outros membros da sua futura banda, mas também fica bastante impressionado com o estado do Syd que estava com sua doença mental avançada a ponto de sequer reconhecê-lo. Naquele ano, a banda Bullit era encerrada e David Gilmour estava livre para o destino finalizar seus planos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em dezembro de 67, o Pink Floyd convida oficialmente David Gilmour para ser seu quinto integrante. A proposta basicamente seria para ele ser um substituto do Syd que não sairia oficialmente da banda. Syd participaria ainda da criação das faixas e Gilmour meio que seria um dublê de Syd nas apresentações. Por quase meio ano o Pink Floyd teve uma composição de cinco membros: Barret, Wright, Waters, Gilmour e Manson. Inclusive, conseguiram lançar um álbum com essa formação, A Saucerful of Secrets. Nele, Barret tem uma música sua gravada, Jugband Blues, onde inclusive canta. Antes mesmo do lançamento do álbum, na segunda metade de 68, os membros do Pink Floyd entenderam que Syd Barret não tinha mais condições de atuar no palco, muito menos nos bastidores e o afastaram de vez. Ainda sobre o álbum, Gilmour não escreveu para esse álbum, mas participou nos vocais de Let There Be More Light, Corporal Clegg e a faixa título do álbum que possui quatro partes. O álbum teve uma repercussão razoável, mas nada suficiente para colocar a banda no radar do mundo da música.

O ano de 69 já foi diferente para Gilmour e os membros do Pink Floyd. Lançaram dois discos. O primeiro no meio do ano, era a trilha sonora do filme More. Com praticamente quase todas as faixas escritas por Roger Waters, Gilmour participou efetivamente da criação das faixas instrumentais e da faixa Ibiza Bar, onde ele canta também. O filme conta a história de uma pessoa que vive de caronas que abusa de drogas e frequenta muitas festas. A proposta do diretor era que as músicas não tivessem o papel tradicional de uma trilha sonora, mas que fossem o fundo das cenas. Como se as músicas estivessem sendo tocadas nas festas ou cenas mesmo. Aliás, o diretor acreditava que a banda, caso não alavancasse na carreira tradicional, tinha potencial para o mercado de trilhas sonoras.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O segundo lançamento daquele ano foi o Ummagumma, um álbum duplo com o disco 1 tendo faixas ao vivo de registros feitos no final de abril e início de maio de 69. O disco 2 tinha músicas de estúdio inéditas, sendo duas do Waters e mais três, uma de cada membro. Gilmour escreveu The Narrow Way (parte 1 - 3). Ele mesmo diz que ficou apreensivo em compor algo 100% seu pela primeira vez na banda. Tanto que meio que requentou uma música que já tinha tocado em 68, colocou umas partes novas, deu um tapa e estava pronta. Ele até pediu para o Waters ajudar com letras, mas o colega negou a parceria. Muitas pessoas não entendem o sentido do nome desse álbum. Ummagumma é uma gíria originária de Cambridge para fazer sexo. É algo equivalente ao nosso "dar umazinha", "bimbada" etc. Anos depois, já na década de 90, mesmo com a boa receptividade da crítica na época do lançamento, os membros assumiram que não gostaram do resultado do álbum. Waters definiu como um desastre e Gilmour como horrível.

No de 1970, Gilmour e seus parceiro de Pink Floyd lançam o álbum Atom Heart Mother, um trabalho que possui características muito próximas ao Ummagumma. A semelhança reside no fato de Atom Heart Mother, apesar de ser um álbum simples, tem um lado A de colaboração coletiva da banda e, no lado B, músicas individuais de cada membro. No lado A, está a faixa título, de quase 24 minutos de duração. No lado B, quatro faixas, uma do Waters, uma do Wright, uma do Gilmour e uma quarta coletiva que na realidade é uma faixa estilo suíte que tem muito mais trabalho de Manson do que os demais. Anos depois, assim como Ummagumma, Waters e Gilmour declaram que o álbum é uma grande porcaria, apesar de ter alcançado índices razoáveis no mercado. Atom Heart Mother foi responsável por um novo padrão dos álbuns do Pink Floyd que passariam a ter uma capa sem o nome da banda, nem foto dos integrantes.

No ano seguinte, foi a vez do álbum Medle que, por muitos, é considerado o pior álbum da banda. A composição do projeto se assemelha ao Atom Heart Mother. Em um dos lados tem-se uma faixa única enorme chamada Echoes que só não é maior que a Atom Heart Mother e a versão completa de Shine on Your Crazy Diamond e, no outro lado, faixas mais curtas, só que dessa vez com colaboração coletiva. Gilmour participa do processo criativo e canta e quase todas, exceto na faixa San Tropez que é 100% do Waters. Talvez por conta de maior participação no álbum que a crítica começou a dar mais atenção a ele, afirmando que a presença de Gilmour cada vez mais, tanto no vocal, quanto na guitarra, ganhava destaque na banda. O álbum, independentemente da qualidade, é um marco na transição do Pink Floyd sob influência de ideias de Syd Barret para o Pink Floyd que é hoje conhecido. Um destaque deste álbum é a faixa inicial One of Theses Days que é uma das minhas favoritas dentre as não-comerciais.

Em 1972, a banda lança o álbum Osbcured by Clouds, novamente um trabalho de trilha sonora, desta vez para o filme francês La Vallée que foi lançado no mesmo ano. Lembrando que além da trilha para o filme More, a banda sem Gilmour já tinha lançado outra trilha para o filme The Committee em 68. Gilmour tem mais uma vez uma participação presente na criação das faixas. Destaque para Childhood's End em que foi a última faixa em que ele fez a parte das letras, só voltando a atuar nessa parte criativa novamente 15 anos depois em Momentary Lapse of Reason. Outro destaque do álbum é Wot's Uh the Deal, uma faixa acústica que nunca foi tocada ao vivo pela banda, contudo, David Gilmour incluiu na sua turnê solo de 2006 e, por consequência, entrou no DVd ao vivo Gilmour's 2007. Obscured by Clouds é um álbum bom e, além disso, serve de um enorme presságio para o seu maior trabalho The Dark Side of the Moon que viria no ano seguinte.

Até 1984, o Pink Floyd lança uma sequência de álbuns épicos que marcam história e viram referências para futuras bandas, além de se tornarem itens obrigatórios em qualquer coletânea baseada em rock. Na ordem de lançamento, a banda produziu The Dark Side of the Moon, Wish You Were Here, Animals, The Wall e The Final Cut. Apesar da grandiosidade dos trabalhos e de uma ainda existência participação de Gilmour na criação, o protagonismo de Roger Walters ia se alavancando cada vez mais. E, falar sobre o trabalho do Roger numa homenagem ao David soa meio estranho. Portanto, neste momento, prefiro pular essa fase para posteriormente (quem sabe?) dar uma devida e aprofundada atenção a esses álbuns.

Durante essa fase, Gilmour lançou dois álbuns solos. O primeiro em 78, entre os álbuns Animals e The Wall, levava seu nome no título. O trabalho teve uma boa receptividade de público, alcançando 29º lugar no Billboard 200 e 17º no Reino Unido. A faixa que ele deu destaque lançando como single foi um cover de uma banda chamada Uniorn. Originalmente lançada como No Way Out of Here, Gilmour gravou com o nome de There's No Way Out of Here. Duas faixas também merecem comentário, So far Away e Short and Sweet, pois são músicas que estavam sendo esboçadas para o The Wall. Tanto que Gilmour e Roger apontam traços de So Far Away em Comfortably Numb.

Seu segundo álbum solo foi em 84 com o nome de About Face. Com um resultado um pouco inferior ao anterior, About Face recebeu um disco de ouro nos EUA. Dos dois singles lançados, apenas um teve "resposta" do público que foi Blue Light. Nessa época, Gilmour e o Pink Floyd estavam trabalhando para o álbum The Final Cut. Gilmour tinha ideias, mas Waters não tinha tempo e não esperou pelo parceiro. The Final Cut foi lançado e algumas das ideias de Gilmour foram aproveitadas para o álbum solo. Hoje, com mais calma, Gilmour não chega a desgostar do trabalho, mas considera que ele tem uma vibe muito anos 80. Fato esse que foge muito da predileção dele.

Nesse mesmo período, Waters sai da banda e Gilmour assume o Pink Floyd em definitivo. Tanto que um anos depois, a banda lança A Momentary Lapse of Reason, um álbum todo escrito por David. Nota-se claramente um resgate a som antigo do Pink Floyd. Enquanto Roger estava à frente da parte criativa nos álbuns anteriores, as letras eram as protagonistas das faixas. Agora, apenas com Gilmour, as letras ficam em segundo plano, para dar brilho à sonoridade. O álbum segue o sucesso dos anteriores, chegando ao 3º lugar da Billboard 200 e também 3º lugar no Reino Unido, vendendo quase 10 milhões de cópias no mundo. Lembrando que nessa mesma época, o álbum disputava as paradas com nada menos que Bad do Michael Jackson. Um detalhe é que, depois de anos, o Pink Floyd voltou a ter um álbum que não fosse coletânea com seu nome na capa.

Se no álbum A Momentary Lapse of Reason, Rogers Waters fazia pouco caso da capacidade de Gilmour em assumir a frente do Pink Floyd e dos números, em 94 a coisa mudou. Lançado o álbum The Division Bell, ele alcançou o topo das paradas de mais de 20 países e recebendo mais de 20 álbuns de platina pelo mundo. A ideia do álbum, segundo Gilmour, era um álbum que falasse que a comunicação era a solução. Para ele, a conversa resolve qualquer coisa. As letras evoluíram e a musicalidade permaneceu no padrão Gilmour de sempre. A turnê do álbum gerou o clássico registro Pulse que inovou na época com seu palco moderno e um case que piscava consumindo as pilhas dos fãs.

The Division Bell foi o último álbum de inéditas da banda e, depois dele, Gilmour seguiu com a carreira solo na virada do século entre álbuns de estúdio e ao vivo. O destaque é para o Live At Pompeii.


O Arquivo do Rock é um programa de 1 hora de duração que vai ao ar na Rádio Catedral do Rock todo sábado às 14 horas. O Episódio 05: David Gilmour foi ao ar no dia 7 de Março de 2020 e está disponível no formato de Podcast no Spotify e Deezer.

Rafael Ferrara é locutor da Rádio Catedral do Rock (90,1 FM - Petrópolis) onde apresenta o programa Arquivo do Rock e também apresenta o Podcast Faixa a Faixa com o Jorge Felipe.

Instagram: @ferrararcr - E-mail: ferrarafm@yahoo.com.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "David Gilmour"Todas as matérias sobre "Pink Floyd"


Pink Floyd: Zakk Wylde toca o solo de Confortably Numb em vídeo; assistaPink Floyd
Zakk Wylde toca o solo de "Confortably Numb" em vídeo; assista

Pink Floyd Sinfônico: Orquestra Sinfônica de Porto Alegre disponibiliza apresentaçãoPink Floyd Sinfônico
Orquestra Sinfônica de Porto Alegre disponibiliza apresentação

Syd Barrett: Talvez ele não seja o louco, talvez nós sejamos, diz Nick MasonSyd Barrett
"Talvez ele não seja o louco, talvez nós sejamos", diz Nick Mason

Em 06/03/1946: Nascia David Gilmour, do Pink FloydEm 06/03/1946
Nascia David Gilmour, do Pink Floyd

Nick Mason: veja vídeo de Set the Controls for the Heart of the Sun, do novo DVDNick Mason
Veja vídeo de "Set the Controls for the Heart of the Sun", do novo DVD

Pink Floyd: The Dark Side of the Moon, o clássico há 47 anos no topo das listas de melhoresPink Floyd
The Dark Side of the Moon, o clássico há 47 anos no topo das listas de melhores

Roger Waters: Lembrando da primeira vez que viu a performance de Jimi HendrixRoger Waters
Lembrando da primeira vez que viu a performance de Jimi Hendrix

Peter Green: David Gilmour, Steven Tyler, Kirk Hammett e outros se reúnem em tributoPeter Green
David Gilmour, Steven Tyler, Kirk Hammett e outros se reúnem em tributo

Ginger Baker: Eric Clapton, Roger Waters, Ronnie Wood e mais fazem show em tributoGinger Baker
Eric Clapton, Roger Waters, Ronnie Wood e mais fazem show em tributo

Pink Floyd: Comfortably Numb ao-vivo em versão de 13/02/80 (vídeo)Pink Floyd
Comfortably Numb ao-vivo em versão de 13/02/80 (vídeo)

Pink Floyd: pintura lendária com música lendária do Dark SidePink Floyd
Pintura lendária com música lendária do "Dark Side"

Ultimate Classic Rock: os 100 maiores clássicos do rockUltimate Classic Rock
Os 100 maiores clássicos do rock


Slipknot: Ana Maria Braga surpreende em abertura do Mais VocêSlipknot
Ana Maria Braga surpreende em abertura do Mais Você

Gilby Clarke: Axl me disse aproveite seu último showGilby Clarke
Axl me disse "aproveite seu último show"


Sobre Rafael Ferrara

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280