Black Sabbath: A Era Tony Martin foi importante para a banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marco Almada, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O ex-vocalista do BLACK SABBATH, Tony Martin, disse que foi "um prazer e uma honra" liderar a banda por quase uma década depois de se juntar ao guitarrista Tony Iommi no "ponto baixo" do SABBATH.

Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite para tocar na bandaFãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada um

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

BLACK SABBATH lançou seis álbuns com Martin nos vocais: "The Eternal Idol" (1987), "Headless Cross" (1989), "Tyr" (1990), "Cross Purposes" (1994), "Cross Purposes Live" (1995) e "Forbidden" (1995). Eventualmente, Martin e seus companheiros de banda foram expulsos quando Iommi se reuniu com outros membros originais do SABBATH.

"Foi um prazer e uma honra fazer parte da história da banda", escreveu Martin em resposta a um post no Facebook da Ultimate Guitar sobre sua longa época na banda.

"A maioria das bandas passam por mudanças ... mas o SABBATH foi mais do que a maioria ... "A época em que eu estava envolvido veio depois que a banda estava exausta financeiramente, sem credibilidade e já haviam passados cinco cantores associados à banda antes de eu chegar lá! Estavam em um ponto baixo e quando eu me juntei a eles, foi realmente um desafio!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"O que conseguimos fazer foi conquistar territórios que normalmente não eram fortes para o SABBATH. Abrimos a Rússia e a Ásia e a Europa, onde o SABBATH nunca esteve antes; o Bloco Oriental estava abrindo, a América do Sul e a Coréia ...

"Nós trabalhamos duro para ter o nome de volta e fizemos ótimas obras. 'Headless Cross' foi significante porque tivemos Cozy Powell (bateria) e isso foi uma honra também. Nós levantamos a banda novamente, ao ponto de montar uma reunião com os membros originais, que é o único outro lugar que eles poderiam ir!"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Obrigado por homenagear esta época; foi importante na história da banda." Em uma entrevista de 2012 com Über Röck, Martin disse que ficou "surpreso" ao ver Iommi criticando-o no livro (Iron Man: Minha Viagem Através do Céu e do Inferno com o Black Sabbath) referindo-se ao período de Martin, especialmente a fase de turnê após o lançamento de "Cross Purposes" em 1994 onde Iommi o criticou como "pouco profissional" e "sem presença no palco".

Martin disse: "Quero dizer, eles nunca disseram nada para mim. Certamente, se você tem um problema, a primeira pessoa a quem você deve dizer algo é a pessoa que está na banda com você ... Parece uma estupidez dizer essas coisas, pois não disseram nada na minha cara e se esse é o caso, então se enganavam por não dizer nada, porque, você sabe, nós poderíamos ter consertado isso. Eu disse a eles, interminavelmente, que se houvesse alguma coisa que eles queriam mudar, ou fazer de forma diferente, apenas dizessem e poderíamos consertar, mas claramente, eles não fizeram, eles não tiveram coragem, obviamente, e depois escrever essas coisas em um livro me não me magoou, apenas me surpreendeu, me parece um pouco estúpido dizer essas coisas depois ao vento"

Há três anos, Iommi disse a I Heart Guitar que "é uma pena"... "foi preciso muito para as pessoas aceitarem Martin como o vocalista do SABBATH".

"Levou-se todos esses anos mais tarde para as pessoas dizerem: 'Ah, caramba, essa foi uma boa formação com boas vocalizações".

Então demorou muito para que as pessoas realmente percebessem como era bom ". No ano passado, Iommi passou um tempo no estúdio remixando "Forbidden" para um lançamento em 2019, o LP, que conta com Martin, Powell e o baixista Neil Murray, é frequentemente considerado a pior gravação de estúdio do SABBATH.

O último álbum solo de Martin, "Scream", foi lançado em novembro de 2005 pela MTM Music.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Black Sabbath"


Black Sabbath: mulher da capa do primeiro álbum é descoberta 50 anos depoisBlack Sabbath
Mulher da capa do primeiro álbum é descoberta 50 anos depois

Black Sabbath: a entrevista que fez David Donato ser demitidoBlack Sabbath
A entrevista que fez David Donato ser demitido


Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite para tocar na bandaMegadeth
Pepeu Gomes comenta convite para tocar na banda

Fãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada umFãs de Rock
Você conhece o estilo de se vestir de cada um


Sobre Marco Almada

Iniciou a carreira de músico com apenas 12 anos de idade, tornando-se profissional aos 16 tocando no circuito paulista. Já participou de vários projetos, tocando com o guitarrista Gil Vieira, Markko e Banda, Stone Hawks (onde gravou um CD com composições próprias). Tocou também no grupo solo do guitarrista Márcio Augusto (ex-The Originals) entre outros projetos. Leciona o instrumento desde 1991, com método de ensino didático!!! É o baterista fundador da Rainbow Rising (banda tributo ao Rainbow) que estreiou no Blackmore Rock Bar, na abertura do vocalista Tony Martin (Ex-Black Sabbath). Faz esporadicamente sub com algumas bandas do circuito, e formou em 2013 a In Trance (Brazilian Scorpions Tribute), banda que homenageia uma das mais respeitadas bandas alemãs do mundo!

Mais matérias de Marco Almada no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280