AC/DC: A Ética do Trabalho na banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Bellucci, Fonte: AC/DC A Biografia, Mick Wall
Enviar correções  |  Ver Acessos

Iniciei aqui no site com um pequeno artigo expondo a minha formação no mundo do rock. Hoje já um "cinquentão", com a vida razoavelmente encaminhada (batalhando como quase todo brasileiro para garimpar uns trocados!) , continuo a militar no universo da música, só que agora de forma diferente. Além de ouvir, leio bastante sobre o universo rockeiro.

Bandas Iniciantes: 11 cagadas que vocês NAO podem cometerHeavy Metal: os vinte melhores álbuns da década de 80

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O site já apresenta excelentes matérias sobre bandas, curiosidades sobre os personagens do universo musical da cena rockeira, eventos, entre outras coisas legais. Apresentar mais matérias do gênero, portanto, seria "chover" no molhado. Por isso, resolvi enveredar por dois caminhos, no meu plano de contribuir, singelamente, com o site.

Por um lado, pretendo abordar a história do rock, de cada banda, com um viés mais sociológico, enfocando a relação entre a história de vida dos membros das bandas com suas letras e sua visão política do mundo. A segunda linha de artigos que pretendo seguir será a realização de pequenas resenhas críticas à cerca de biografias e livros que enfoquem a cena rockeira.

O primeiro trabalho a ser publicado (em breve!) será a biografia do "AC DC", de Mick Wall. Escolhi a banda e sua biografia por dois motivos: primeiro por ser uma das minhas bandas favoritas, devido a sua "pureza" musical ( trabalhar na linha do rock clássico, com batidas "Swingadas") e pela sua importância para a cena do gênero.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Embora atualmente minha área de atuação profissional seja na área de exatas, tenho formação inicial em Economia e História. Nesses dois cursos adquiri o amor pela leitura e pela análise crítica das coisas, além de desenvolver uma pequena habilidade com a arte da escrita. Pretendo abordar os temas sempre pelo viés sociológico e histórico, relacionando fatos e acontecimentos com o devido contexto no qual estão inseridos.

Esse artigo pretende apenas explicar um pouco minhas intenções no que concerne aos temas a serem abordados e a minha forma de trabalho.

Aguardem novidades para breve!

Longa Vida ao Rock!!


No presente artigo vou procurar delinear, em poucas e breves linhas, um aspecto importante na formação musical do "AC DC". Assim como para qualquer ser humano, nossa história de vida nos marca, nos influencia profundamente. O meio social no qual somos "criados" nos trás marcas indeléveis para o resto da vida. Com os membros de uma banda de rock não seria diferente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Muito da ética do trabalho do "AC DC" foi forjada através da história dos seus membros, notadamente de Malcom, Angus e Bon. Esses três membros da banda tem muita história em comum. Obviamente possuem personalidades diferentes, aspectos que os tornam únicos, no entanto, caro leitor, há algo em comum entre eles: uma infância e uma adolescência difíceis.

A família Young era grande, para os padrões atuais. O Casal William Young e Margaret Young teve no total sete filhos: Steven (1933); Margaret (1936); John (1938); Alex (1939) e William (1941), Malcom (1953) e finalmente o caçula da família, Angus (1955).

Nascidos no soturno conjunto habitacional de Cranhill, localizado ao leste de Glasgow, os irmãos Young passaram parte da sua infância em uma Grã-Bretanha bastante sombria, ainda abalada pela herança da Segunda Guerra Mundial. Eram tempos difíceis, para todos, e não poderia ser diferente para o Clã Young. Na época a população de Cranhill era estimada em algo ao redor de cinco mil pessoas. O desemprego e a pobreza eram as tônicas do local.

Criados nesse ambiente duro, os irmãos Young logo aprenderam, desde cedo, que a "vida era difícil, muito difícil meu chapa". Na escola da região, Malcom e Angus ficaram conhecidos por um espírito indomável. Eram "brigões e durões", muito "durões". Eles possuíam um forte traço de união familiar, para eles os laços de sangue eram essenciais. Pertenciam não apenas a uma família, mas sim a um Clã. Esse tipo de espírito é um traço da personalidade escocesa: caráter forte e independente.

Cansados dessa vida dura e difícil os pais de Malcom e Angus, decidiram aderir a um programa de imigração custeado pelo governo Australiano. E lá se foi à família em direção a Austrália. O único filho que ficou para trás, por opção própria foi Alex. Chegando a Austrália, as condições que encontraram fora difíceis, como sempre. A família Young passou seus primeiros dias em solo Australiano em uma espécie de acampamento para os imigrantes recém-chegados. Localizado nos arredores de Sidney, o centro de recepção aos imigrantes de "Villawood Mingrant Hostel" era nada mais nada menos do que um mero amontoado de barracas de lata no meio da lama. Como disse o próprio Malcom "quando você acordava de manhã, havia dois centímetros de água na cabana...".

Logo depois a família mudou-se para uma casa no bairro de Burwood, um subúrbio próximo de Sidney, as coisas melhoraram, um pouco, um pouco "meu chapa". Os dois irmãos começaram a frequentar a escola local e logo demonstraram que o seu caminho na vida não passaria certamente pela vida acadêmica. Já adolescentes eles começaram a tocar os primeiros acordes.

Foram profundamente influenciados pelo seu irmão George Young. O irmão, sete anos mais velho, participou, desde o início, da banda australiana "Easybeats". A banda fez um grande sucesso nas terras australianas e um relativo sucesso fora dela, notadamente na Inglaterra. A música de maior sucesso da banda foi "Frday On My Mind", de 1966.

Espelhando-se em seu irmão mais velho, os irmãos Malcom e Young passaram a dedicar horas de seus dias a aprender os segredos da guitarra. Além disso, para ajudar a família, eles arrumavam empregos esparsos em fábricas e lojas. Essa formação na ética do trabalho duro seria fundamental para a longevidade e sucesso da banda.

Com "Bon Scott" não foi tão diferente assim. Nascido Ronald Bedford, em nove de julho de 1946, seus pais eram Chick e Isobelle (Isa). O pai de "Bon " era um padeiro que havia servido no exército Britânico durante a Segunda Guerra Mundial. A família estava estabelecida em Kiirriemuir, na Escócia, onde o pai de "Bon" foi trabalhar com o pai e com o irmão em uma padaria da família. Como todos naquela época, a família enfrentava condições de vida duras e difíceis.

Atraída também pelo programa de imigração assistida, oferecida pelo governo Australiano, a família de "Bon" decidiu partir e tentar a sorte na Austrália.

Estabeleceram moradia incialmente em Melbourne, por volta dos idos de 1952. A infância de "Bon" também foi difícil, talvez não tanto como a dos seus futuros colegas de banda. Desde cedo "Bon" demonstrou um certo interesse pelo universo musical. Adorava nadar e chamar a atenção das pessoas, traço de personalidade que carregou por toda a vida e que foi essencial quando se tornou "frontman" do "AC DC".

Na escola, no que chamaríamos de primário aqui no Brasil, "Bon" fez muitas amizades e não era tido como uma criança problema. O espírito rebelde de "Bon" começou a despontar na adolescência, quando tomou contato com o rock. Nessa época começou a fumar, beber e a usar drogas. Acabou por se envolver com as gangues locais. Seu passatempo favorito era sair com garotas, muitas garotas. Arrumava um emprego ali, outro aqui, para ganhar um trocado. "Bon", assim como os irmãos Young, arrumou empregos duros antes da fama e da grana. Foi tratorista, trabalhou em pub's, lojas e até em uma fábrica de fertilizantes.

Logo, os futuros três colegas de banda tinham algo em comum: uma infância e uma adolescência duras! Trabalharam em empregos duros e difíceis, conhecendo desde logo cedo o valor do trabalho!

Esses traços marcantes estão presentes na banda! O sucesso não caiu do céu, pelo contrário, foi produto de muito trabalho árduo e duro! Horas e horas de ensaios, horas e horas de Shows em pequenos pub's e casas noturnas, ganhando pouco e suando muito! Eles aguentaram a pressão!

Criaram uma mentalidade de espírito de gangue! "Nós contra o Mundo!". O sucesso era muito mais do que simplesmente uma questão de grana (que obviamente era muito importante para eles), era na realidade a autoafirmação como pessoas perante o mundo! O sucesso foi produto dessa ética e desse trabalho duro!

Ao contrário da imagem que passam para as pessoas, Malcom e Angus, cada um ao seu modo, estudaram muito! Malcom era um fã incondicional de Jazz, passava horas e horas ouvindo esse estilo musical, além do blues. Angus lia o que lhe caia na mão sobre rock (revistas e livros). Esse "trabalho" não tem nada de pueril, pelo contrário, funcionou como um amplo laboratório de pesquisa, essencial para criar o estilo de som do "AC DC", cheio de riffs e com muito swing. O sucesso da banda não "caiu do céu, meu chapa!".

As longas viagens e horas de trabalho em ensaios e shows foi o resultado direto dessa ética "operária" forjada em suas infâncias e adolescência. Na verdade forjou uma forma de ver o mundo!

Muitos dos fãs da banda, não todos, claro, mas muitos, também passaram pela mesma dura formação forjada pela vida! Isso produziu uma profunda identificação deles com sua banda favorita. E se existe um traço marcante ao longo da existência da banda, ao longo de sua carreira, foi à fidelidade da banda aos seus fãs! Isso vêm, na minha opinião, daquele espírito de gangue, de clã forjado lá atrás!

Assim sendo, meu caro leitor, muito do sucesso, da identificação da banda nasceu lá atrás, nos subúrbios operários onde os caras residiram e forjaram seu espírito lutador e guerreiro! Longa vida ao som do "AC DC"!

Longa vida ao rock!

Nota: boa parte das informações presentes nesse artigo foram retiradas da biografia da banda, "AC DC A Biografia" , de Mick Wall.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por escolha do autor os comentários foram desativados nesta nota.


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "AC/DC"


AC/DC: aquela coisa Glam foi idéia do MalcolmAC/DC
"aquela coisa Glam foi idéia do Malcolm"

Ultimate Classic Rock: os álbuns do AC/DC, do pior para o melhorUltimate Classic Rock
Os álbuns do AC/DC, do pior para o melhor


Bandas Iniciantes: 11 cagadas que vocês NAO podem cometerBandas Iniciantes
11 cagadas que vocês NAO podem cometer

Heavy Metal: os vinte melhores álbuns da década de 80Heavy Metal
Os vinte melhores álbuns da década de 80


Sobre Ricardo Bellucci

Math teacher, pesquisador, vocalista frustrado, historiador amador e economista por acaso. Um eterno aprendiz.

Mais matérias de Ricardo Bellucci no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280