Músicas com nome de mulheres: Histórias por trás da inspiração

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Carlos Garcia
Enviar correções  |  Comentários  | 

Compor uma música, uma canção, é algo que não tem uma receita, ou uma fórmula precisa, e assim como outras formas de fazer arte, a inspiração surge de várias fontes, como um fato relevante na vida pessoal, um acontecimento histórico, um acaso, uma bela paisagem ou uma musa inspiradora! E as musas inspiradoras, seja de forma positiva ou negativa, foram fonte de muitas músicas, então separei algumas que acredito, estão entre as mais conhecidas, relevantes e interessantes canções que foram batizadas com nome de mulheres, ou musas que inspiraram o compositor.

3525 acessosUlrich no U2: ele perdeu para McCartney a chance de tocar bateria5000 acessosJimi Hendrix: 12 coisas que talvez você não saiba sobre ele

São algumas centenas de músicas, algumas bandas possuem várias em seu catálogo, e provavelmente todo mundo vai lembrar de muitas, separei algumas canções que sempre me chamaram a atenção, e algumas estão entre minhas favoritas. Em várias dessas canções é sabido em quem foram inspiradas, outras não é possível precisar se a personagem era ficção ou não, mas certamente houve alguém serviu de faísca inicial para que a inspiração do artista fluísse. E sempre é interessante saber mais sobre a canção, você acaba tendo uma outra visão, uma outra dimensão, pode vir a gostar ainda mais da música, ou quem sabe o contrário.

“Layla” – Eric Clapton: Um dos maiores guitarristas de todos os tempos, Clapton possui uma enorme gama de grandes canções, e a balada “Layla”, lançada em 1970, na época que Clapton comandava o “Derek and the Dominos”, teve como musa inspiradora, a modelo Pattie Boyd, que era casada com George Harrison (Beatles), um grande amigo de Clapton. Mais tarde, após se divorciar de Harrison, Pattie finalmente cedeu às investidas de Clapton, e casaram-se em 1979, divorciando-se depois também, pelos mesmos motivos que deixará Harrison: os problemas com drogas. Além de considerada uma das mais belas canções do Rock e Blues, tem um estigma de maldita, porque todas as pessoas ligadas a gravação do álbum, acabaram envolvendo-se em tragédias na época, menos Clapton , que muitos anos mais tarde, teve a perda do filho.

“Eleanor Rigby” – Beatles: Bela canção de arranjos inovadores na época (consta no álbum “Revolver”, de 66), e atual até hoje, fala sobre solidão, e essa personagem, uma pessoa de idade mais avançada, pode muito bem ser uma pessoa real. Ganhou até uma estátua, em Liverpool, dedicada a canção e a todas as pessoas solitárias.

“Rosanna” – Toto: Um dos maiores grupos de AOR ou Rock de Arena, também dono de muitas canções com nomes de mulheres, ou falando sobre suas musas, mas certamente “Rosanna” (“Toto IV”, 1982) é um dos maiores sucessos comerciais do grupo, nominada canção do ano no Grammy de 1983. Há a versão de que a música foi composta em homenagem a atriz Rosanna Arquette, que na época era namorada do tecladista Steve Porcaro, mas David Paich afirma que se inspirou em outras garotas que passaram pela sua vida, e gostava da sonoridade do nome “Rosanna”, e assim batizou a canção. Mas vai saber né, esse pessoal é muito "fura olho" he he he, veja a história de "Layla", do Clapton.

“Billie Jean” – Michael Jackson: Está no estrondoso sucesso “Thriller”(1982), do rei do Pop, e a história da canção tem controvérsias, e ela pode ter sido inspirada por experiências reais em que uma mulher dizia que Michael ou outro de seus irmãos, na época do “Jackson’s Five”, seria pai dos seus gêmeos. Michael afirmou que a canção foi inspirada em garotas que conheceu na estrada.

“Lola” – The Kinks: Escrita por Ray Davies e gravada pelo grupo inglês, a canção tem um riff muito marcante e refrão pegajoso, e fala sobre um encontro, onde tudo leva a crer que o personagem conhece uma pessoa, mas que provavelmente era um travesti, e ele narra sua confusão, como podemos ver em versos como “Caminha como uma mulher, e fala como um homem...”. Reza a lenda que foi inspirada em uma experiência real do empresário da banda! (maldita cachaça! He he he)

“Sweet Caroline” – Neil Diamond: Certamente entre as baladas mais bem sucedidas e conhecidas, além de um dos maiores sucessos do cantor. Em 2007 Diamond afirmou que a canção foi inspirada na filha do presidente Kennedy, Caroline, inclusive tocando a música para ela durante seu aniversário de 50 anos. Contou que ao ver a foto da menina, ao lado de um pônei, a inocência e beleza da imagem o inspirou a escrever a música. Porém, em 2014 Diamond disse que na verdade, a canção levaria o nome de sua esposa, Marsha, mas optou por um nome com três silabas, não sendo dedicada a nenhuma pessoa chamada Caroline especificamente. Provavelmente Neil deu essa outra versão depois porque foi alvo de alguns comentários maldosos.

"Sarah" - Thin Lizzy: A música que está no álbum "Black Rose: A Rock Legend" (1979), foi composta por Phil Lynott e Gary Moore, em homenagem a recém nascida filha de Phil, e além disso, a curiosidade é que há duas músicas compostas por ele com o título "Sarah". A primeira, está no álbum "Shades of a Blue Orphanage" (1972) e é em homenagem a avó de Phil, e a canção para sua filha, não raramente é creditada como "My Sarah", inclusive saindo a grafia incorreta na edição norte americana do álbum.

Comente: Qual a sua canção favorita com nome de mulher?

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 21 de setembro de 2016

Lars Ulrich no U2Lars Ulrich no U2
Ele perdeu para Paul McCartney a chance de tocar bateria

2264 acessosE se for verdade?: Famosos que morreram e foram substituídos1384 acessosShows: em vídeo, Top 11 Músicas Viscerais de Encerramento263 acessosVersões: Clássicos que você talvez não saiba, ou não lembre que são0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

The BeatlesThe Beatles
Let It Be não foi originalmente gravada pela banda?

SuperBowlSuperBowl
Os melhores shows do intervalo segundo a UCR

BeatlesBeatles
Em vídeo tocante, pai canta para o filho às portas da morte

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Thin Lizzy"0 acessosTodas as matérias sobre "Eric Clapton"0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"0 acessosTodas as matérias sobre "Toto"

Jimi HendrixJimi Hendrix
12 coisas que talvez você não saiba sobre ele

Rock In Rio IRock In Rio I
Pra quem tem menos de quarenta anos fica difícil imaginar

Nomes de BatismoNomes de Batismo
Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal

5000 acessosCinema: 60 filmes pra quem ama Rock e Metal5000 acessosFotos de Infância: Steven Tyler, do Aerosmith5000 acessosQuais são os rockstars mais chatos do mundo?4608 acessosHeavy Metal: 30 clássicos em apenas um minuto5000 acessosPhil Anselmo: 5 discos essenciais em sua coleção5000 acessosMetallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For All

Sobre Carlos Garcia

Antes de tudo sou um colecionador, que começou a cair de cabeça no Metal e Classic Rock quando o Kiss esteve no Brasil em 1983, a partir daí não parei mais. Criei fanzines, como o Zine Barulho, além de colaborar com outros zines e depois web zines e sites, como os saudosos Metal Attack e All the Bangers. Atualmente sou um dos editores e redator do Road to Metal. O melhor de tudo são as amizades que fazemos, além do contato e até amizade com alguns de nossos heróis.

Mais matérias de Carlos Garcia no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online