Guitarpedia: 5 diferenças entre guitarristas amadores e profissionais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Adrian Dragassakis, Fonte: Jazz Advice, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

A matéria foi originalmente publicada no site Jazz Advice.

Bateristas fodas no youtube: uma seleção dos melhores com vídeos de exemplosGothic Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo

Tocar guitarra pode parecer simples na teoria, ao menos, todo grande músico faz transparecer isso. Basta aprender alguns acordes, escalas e ouvir aos mestres. Com um pouco de prática você está pronto. Mas quando tenta improvisar... não é tão simples assim.

Na verdade, não é fácil para ninguém! Mas alguns músicos realmente soam diferente dos outros, enquanto esses estão sofrendo no quarto praticando os mesmos velhos exercícios.

Aqui, discutiremos as diferenças entre um músico profissional e um amador, em 5 itens, que listamos abaixo:

1 - Tudo começa no quarto de estudos

Bom, todo músico pratica. É isso mesmo! Mas os melhores abordam a ideia de praticar e o processo de aprendizagem de uma maneira única. Muitos guitarristas são obrigados a estudar devido à pressão dos pais, professores ou até mesmo pelo senso de obrigação de estudar. Afinal de contas, você deve tocar se realmente quiser, caso contrário, pode acabar frustrado.

Um profissional, por outro lado, pratica devido à uma motivação interna. Para eles, tudo começa com a inspiração, como tocar para muitas pessoas, conhecer um ídolo e aprender uma nova técnica.

É importante definir seus objetivos pessoais e uma rotina de estudos que irão ajudar a alcançar essas metas. Pergunte a si mesmo: O que eu preciso estudar para chegar a isso?

2 - Você consegue ouvir isso? Um profissional, sim.

A habilidade em ouvir e identificar acordes e melodias é uma das mais importantes que você deve aperfeiçoar. E para a improvisação, um bom ouvido é fundamental.

Para os melhores músicos, o termo "treinar o ouvido" significa algo muito mais abrangente. Para um profissional, teoria musical não é resumida apenas em nomes das notas e escalas memorizadas, mas sim, o próprio som. Cantar também é parte integral do processo. Outra tática interessante é aprender e transcrever músicas, de ouvido.

3 - Mindset é mais importante do que você imagina

Aprender novas técnicas na guitarra pode ser uma tarefa difícil. Especialmente para iniciantes, onde parece que todos os outros músicos sabem o que estão fazendo.

Há um ponto em que você se sente preso, como o seu esforço não está valendo a pena, que ainda soa o mesmo, mesmo depois de toda a prática! Você pode se desviar pela concorrência, desanimado por músicos que são melhores do que você, e oprimido com os nervos cada vez que você tentar executar.

Nisso, você precisa rever o seu relacionamento com a música e perguntar: porque estou tocando?

Para os melhores músicos, tocar é mais do que um exercício ou um trabalho. Não tem nada a ver com competições ou comparações com outros grandes músicos, eles tocam porque simplesmente amam fazer isso.

Todo músico, em qualquer nível, irá encontrar desafios pelo caminho, mas é essa convicção que separa os amadores dos profissionais.

Acessse:
http://www.guitarpedia.com.br

4 - Profissionais tem uma linguagem para cada situação

Se você pensar bem, os melhores músicos nunca estão perdidos. Eles desenvolvem uma linguagem musical para cada situação. Pode ser um solo de blues, uma batida funky em uma banda de casamento, um acorde dominante ou uma música no rádio. Não importa. Quando estão lá, eles possuem algo para tocar em cada tom, espontaneamente.

Lembre-se que cada canção que você toca é composta por um vasto número de acordes e para ser um bom solista, você precisa ter domínio para tocar sobre todos esses acordes. Você precisa dessa linguagem.

5 - Leve a sério seu estilo

Amadores estão preocupados com as notas. Especificamente em tocar as notas certas no tempo certo.

Mas a verdade é: se todos podem tocar escalas e arpejos, nem todos podem contar uma história através da música. E nisso se dividem os amadores dos profissionais.

É claro que notas e acordes são importantes, mas o som, articulação e o tempo do solo te fazem único.

Assim como uma grande pintura, não é a técnica que afeta você, é a história, a personalidade, a única perspectiva do artista que mexe com algo dentro de você.

É a mesma coisa com a música. A única personalidade de cada músico cria uma única voz musical e os melhores músicos passam a maior parte do tempo criando essa voz.

Amadores soam o mesmo. As mesmas escalas, licks e as mesmas músicas. Profissionais, por outro lado, sobem nos palcos porque tem algo pessoal para mostrar.

Músicos medianos criam músicas medianas. E você quer ser um grande músico, alguém para ser lembrado. Anote essas 5 dicas e leve para seu quarto de estudos na sua rotina. As diferenças podem ser sutis, mas os resultados falarão por si mesmos.

Para mais artigos como esse, acesse:
http://www.guitarpedia.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Instrumentos"


Bateristas fodas no youtube: uma seleção dos melhores com vídeos de exemplosBateristas fodas no youtube
Uma seleção dos melhores com vídeos de exemplos

Led Zeppelin: Page comenta quando tocou com pedal que poderia ligar e desligar com o péLed Zeppelin
Page comenta quando tocou com pedal que poderia ligar e desligar com o pé

Baixos e Guitarras: Os mais estranhos da Namm 2016Baixos e Guitarras
Os mais estranhos da Namm 2016

Baixos: Como conservar e recuperar as cordas do instrumentoBaixos
Como conservar e recuperar as cordas do instrumento


Gothic Metal: os dez trabalhos essenciais do estiloGothic Metal
Os dez trabalhos essenciais do estilo

Halloween: dez clássicos do Heavy Metal para curtir a dataHalloween
Dez clássicos do Heavy Metal para curtir a data


Sobre Adrian Dragassakis

Nascido em 91, paulista, estudante de Jornalismo e músico nas horas vagas. Conheceu o Rock e o Metal com 11 anos de idade e até hoje carrega no sangue e nas veias bandas como Iron Maiden, Savatage, Dream Theater, Megadeth, entre outras...

Mais matérias de Adrian Dragassakis no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336