Metallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhação

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carlos Eduardo Freitas, Fonte: Metallica - A Biografia
Enviar correções  |  Ver Acessos

Mesmo com o forte impacto causado pela morte do grande baixista Cliff Burton, em 1986 o Metallica conseguiu reunir forças e retomar sua carreira. O processo de escolha do substituto de Cliff começou logo após o funeral, em salas especiais de Hayward, onde a banda costumava ensaiar. Entre os mais de 60 candidatos que deram as caras havia alguns dignos de nota como Les Claypool, Willy Lange, Doig Keyser e Tory Gregory.

Metallica: confira cinco versões para o clássico "Master Of Puppets"Pink Floyd: The Wall é uma obra de arte conceitual

Numa terça-feira, exatamente 3 semanas após o funeral de Cliff, um rapaz chamado Jason Curtis Newsted entrou em Hayward e ligou seu baixo. Foi assim que um grande fã tornou-se membro do Metallica. O próprio Jason afirmou "eles são a minha banda favorita de todos os tempos". O que Jason não sabia era que além de integrar sua banda favorita, seria vítima de um dos maiores casos de bullying da história da música.

Segundo Ross Halfin, fotógrafo da banda, começou como brincadeira, os outros pegavam táxi juntos e faziam Jason pegar um sozinho, mas foi muito além disso. Bobby Schneider, manager do Metallica, concluiu: "Jason se encaixava em termos musicais, mas a chacota era terrível". Primeiro, num clima de piada, depois começaram a vir os integrantes e depois toda a equipe, e o bullying se tornou rotina.

Diziam para as pessoas que ele era gay, pediam refeições e bebidas para o quarto dele sem avisar, invadiam o quarto às 4 da manhã gritando: "Levanta, seu puto! Hora de beber, sua bicha!". Arrancavam o colchão com Jason ainda deitado e empilhavam tudo que estivesse no quarto - tv, cadeiras, mesa - em cima dele.

Em uma entrevista, 15 anos depois, Jason lembrou: "Eles jogavam minhas roupas, fitas cassetes, sapatos, pela janela. Espalhavam pasta de dente em todos os lugares. O único motivo que me fez aturar foi porque o Metallica era o meu sonho se tornando realidade."

Mas a maior humilhação foi a ausência do baixo no álbum And Justice For All, algo imperdoável, uma vez que aquele era o seu primeiro álbum com o Metallica. Ao longo dos anos, houve uma variedade de explicações para isso, desde a acusação de que Lars e James haviam diminuído o volume do instrumento durante a mixagem como parte da humilhação que infligiam, até a sugestão de que não havia espaço suficiente entre o ritmo em 'staccato' da guitarra de James e o bumbo estrondoso de Lars, em termos técnicos, para que o baixo pudesse ser ouvido.

"Me senti na sarjeta." disse Jason alguns anos depois.

O problema era: o Metallica não tinha contratado apenas um baixista, mas um fã. Eles tinham substituído o cara que todos admiravam por aquele que todos desprezavam. Jason "Newkid", um apelido que era uma provocação. Eles magoavam Jason - e fariam isso com qualquer outro - por ele ter caído de paraquedas na história da banda.

Que se dane o baixo dele! Abaixe o volume!

A gota d'água veio em 2001,quando Jason queria lançar um álbum com o seu projeto paralelo, o Echobrain, e James não deixou. Durante uma reunião de 9 horas em um hotel em São Francisco, Jason recebeu o ultimato: esquecer o Echobrain e ficar no Metallica ou lançar o disco com o Echobrain e esquecer o Metallica.

Jason saiu no mesmo dia,alegando "razões particulares e problemas físicos causados por tocar a música que ele amava."

14 anos, 6 discos e somente 3 miseráveis créditos de co-autoria. Esse pode ser o resumo da carreira de coadjuvante de Jason Newsted no Metallica.

Comente: Jason Newsted merecia uma melhor posição no Metallica?

Por que destacamos matérias antigas?




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Metallica"Todas as matérias sobre "Jason Newsted"


Metallica: confira cinco versões para o clássico "Master Of Puppets"Metallica: setlist e vídeos da primeira noite do S&M2Surfing Rockers: várias bandas em documentário sobre surf para 2020

Metallica: meet and greet de R$ 10 mil para show em São Paulo já está esgotadoMetallica
Meet and greet de R$ 10 mil para show em São Paulo já está esgotado

Metallica: banda divulga novo trailer do show com orquestra que passará nos cinemasMetallica
Banda divulga novo trailer do show com orquestra que passará nos cinemas

Lars Ulrich: e se ele tocasse em uma banda country?

Regis Tadeu: Metallica e o Meet & Greet que fugiu do bom sensoRegis Tadeu
Metallica e o Meet & Greet que fugiu do bom senso

Metallica: banda doou mais de um milhão e meio de euros durante tour europeiaMetallica
Banda doou mais de um milhão e meio de euros durante tour europeia

Metallica: vídeo de "The Outlaw Torn" filmada profissionamente na Alemanha

Metallica: fama atrapalha a capacidade de gerar inovações no trabalho da bandaMetallica
Fama atrapalha a capacidade de gerar inovações no trabalho da banda

Metallica: filmagem profissional de The Call Of Ktulu em Munique; assistaMetallica
Filmagem profissional de "The Call Of Ktulu" em Munique; assista

Metallica: filmagem profissional de St. Anger na Polônia; assistaMetallica
Filmagem profissional de "St. Anger" na Polônia; assista

Metallica: para Lars, banda está mais conectada do que nuncaMetallica
Para Lars, banda está mais conectada do que nunca

Resenha - And Justice For All - MetallicaHá 31 anos
Metallica lançava o clássico "...And Justice For All"

Metallica: ingressos para show em Santiago se esgotam em menos de 3 horasMetallica
Ingressos para show em Santiago se esgotam em menos de 3 horas

Dave Mustaine: depois que eu saí do Metallica, eu me reavalieiDave Mustaine
"depois que eu saí do Metallica, eu me reavaliei"

Metallica: a paixão de Lars Ulrich pelo vinilMetallica
A paixão de Lars Ulrich pelo vinil

Metallica: eu deveria ter feito aulas de bateria, diz Lars UlrichMetallica
"eu deveria ter feito aulas de bateria", diz Lars Ulrich


Pink Floyd: The Wall é uma obra de arte conceitualPink Floyd
The Wall é uma obra de arte conceitual

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff HannemanSlayer
A trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman

Ninguém é perfeito: os filhos bastardos de pais famososNinguém é perfeito
Os filhos "bastardos" de pais famosos

Thrash Metal: 10 novas promessas - incluindo uma brasileiraMetallica: foto rara de formação original do grupoDeath To False Metal: Tom Araya cantando Motley CrueIdeologia Rock: Top 5 álbuns Rock nacional dos anos 80

Sobre Carlos Eduardo Freitas

Carlos Eduardo de Freitas Silva nasceu em Belo Horizonte e tem 23 anos. Fã incondicional de Thrash Metal, tem como bandas preferidas Metallica, Megadeth, Slayer, Exodus, Anthrax e Testament. Acompanha também outras vertentes do Metal como Heavy e Death.

Mais matérias de Carlos Eduardo Freitas no Whiplash.Net.

adGooILQ