As novas caras do metal: + 40 bandas que você deve conhecer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collector´s Room
Enviar correções  |  Comentários  | 

Dando sequência a série de posts sobre as novas bandas de heavy metal que estão fazendo um som legal, inovador e de qualidade (não necessariamente as três coisas juntas, que fique claro), compilei mais 40 bandas interessantes que merecem uma audição detalhada de quem curte som pesado.
5000 acessosNovas caras do metal: 40 bandas que você precisa conhecer

Antes, porém, uma explicação: esta série de posts, que é publicada na Collector´s Room desde o final de 2011, em nenhum momento teve como objetivo focar em um estilo específico ou, mais importante, na cena de um país. É por essa razão que não haverá uma edição exclusiva dedicada às bandas brasileiras, assim como não haverão edições específicas para as bandas iraquianas, chinesas, japonesas ou de qualquer país. No entanto, atendendo a pedidos, aí embaixo tem várias bandas naturais aqui do Brasil, e que merecem uma conferida apurada.

Mas chega de papo furando e vamos logo ao que interessa: aumente o volume e boa leitura!

The Mercy House

Banda londrina formada no final de 2009. O primeiro disco, "A Broken State of Bliss", foi produzido por Donald Clark (Guns N' Roses, Korn, Muse), e sairá em 2012. Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden, é fã dos caras, e classificou o grupo como “uma mistura entre Tool e Judas Priest, com ótimos vocais”. Hard rock moderno, mas que não perde contato com as raízes do gênero.

The Gloria Story

Excelente banda de hard rock vinda da Suécia, o The Gloria Story lançou o seu primeiro disco em 2011, "Shades of White". O som é bastante influenciado pelo hard californiano e ensolarado da década de oitenta, com grandes melodias, ótimos vocais e músicas que grudam à primeira audição. Dê play no vídeo abaixo e confira, porém vale o aviso: você corre o risco de não parar de ouvir a banda tão cedo!

Godsized

Quarteto inglês na estrada desde 2006. Por enquanto, a banda lançou apenas dois EPs – "Godsized" (2006) e "Brothers in Arms" (2008) -, e está trabalhando atualmente no primeiro álbum, que deve ser lançado na segunda metade de 2012. O som é bastante pesado e com bastante groove, e, segundo a banda, influenciado por ZZ Top, Black Sabbath, Led Zeppelin e Lynyrd Skynyrd. Pessoalmente, acho que tem também uma pegada meio Black Label Society na jogada.

Asking Alexandria

Uma das bandas mais originais e inovadoras do metal atual, os ingleses do Asking Alexandria misturam metalcore com teclados que lembram o pop dos anos oitenta e algumas batidas dançantes. Bastante violento e agressivo, o som do Asking Alexandria não é, definitivamente, para quem tem uma cabeça mais fechada. A banda já lançou dois discos – "Stand Up and Scream" (2009) e "Reckless & Relentless" (2011), e vem crescendo bastante em todo o mundo, principalmente entre a nova geração de headbangers.

Five Finger Death Punch

Banda americana natural de Los Angeles, o Five Finger Death Punch surgiu em 2005 e já lançou três discos – "The Way of the Fist" (2007), "War is the Answer" (2009) e "American Capitalist" (2011). O som dos caras é um metal que investe bastante no groove, com boas melodias e refrões grudentos.

Rise to Remain

Em um primeiro momento, o Rise to Remain ganhou destaque por ser a banda de Austin Dickinson, vocalista e filho de Bruce Dickinson. Isso inegavelmente fez todo mundo olhar para o grupo, mas os caras mostraram talento de sobra com o seu disco de estreia, "City of Vultures", lançado em 2011. Executando um metalcore bastante agressivo e melódico, o quinteto alçou vôo por conta própria, e é um dos principais novos nomes surgidos na Inglaterra nos últimos anos.

Anomalous

Quarteto natural de San Francisco, estes norte-americanos estão na estrada desde 2001, porém só conseguiram lançar o seu disco de estreia em 2011. "Ohmnivalent" traz um death metal bastante agressivo e técnico, repleto de variações. Complexo, o som da banda flerta com o progressivo e até mesmo com o jazz, porém sem jamais perder o peso e a violência.

Rev Theory

Quinteto nova-iorquino formado em 2002. A banda já lançou três discos – "Truth is Currency" (2005), "Light It Up" (2008) e "Justice" (2011) -, todos com um hard rock festeiro e alto astral, com melodias grudentas e um flerte sutil com o pop.

Imperial State Electric

Nova banda de Nicke Andersson, ex-Hellacopters e Entombed. Aqui, Andersson investe em um hard mais faceiro que o Hellacopters, com ótimas melodias e grandes composições. A banda acaba de lançar o seu segundo disco, "Pop War", sucessor do debut auto-intitulado, de 2010. Indicado não apenas para os órfãos do Hellacopters, mas também para quem curte o Kiss setentista.

Elm Street

Banda australiana formada em 2003, porém o primeiro álbum dos caras saiu apenas em 2011. "Barbed Wire Metal" traz um heavy metal vigoroso e contagiante, que leva o ouvinte direto para a segunda metade dos anos oitenta. O quarteto é excelente, e desponta desde já como um dos nomes mais promissores da atualidade.

Uganga

Na minha opinião, uma das melhores bandas brasileiras atuais. O Uganga está na estrada há 15 anos, então você pode se perguntar porque o quinteto está aqui nessa lista de novos nomes, já que é veterana. A resposta é simples: você já ouviu o som do grupo? Pode até ser que sim, mas é muito provável que não. O conjunto já lançou três discos, sendo que o último – "Vol 3: Caos, Carma, Conceito" (2010) -, é uma obra-prima do heavy metal cantado em português. Liderado pelo ex-baterista do Sarcófago, Manu Henriques, que aqui assumiu o vocal, o Uganga é o exemplo perfeito de que o que não faltam no Brasil são ótimas bandas, muito pelo contrário - o que falta é uma parcela maior do público brasileiro conhecer e ouvir o som desses grupos.

Galgos

Essa banda de Porto Alegre executa um hard rock cheio de energia e com uma pegada meio punk. O talento dos caras está abrindo portas não só aqui no Brasil, mas também no exterior. A revista inglesa Classic Rock encartou em uma de suas últimas edições um CD com novos grupos interessantes do mundo todo, e o Galgos marcou presença no disquinho. O trio lançou o primeiro EP em 2011, intitulado "Let's Roll Let's Light", bastante elogiado pelo público e pela crítica.

Nervosa

Trio paulista de thrash metal formado apenas por mulheres. As principais influências são Sepultura, Slayer e Korzus. Atualmente, a banda está trabalhando na composição e pré-produção do seu primeiro álbum, ainda sem data de lançamento prevista. Se a qualidade for tão boa quanto a do single “Masked Betrayed”, teremos um grande disco de estreia.

Project 46

Excelente quinteto paulista que lançou em 2011 o seu primeiro disco, o ótimo "Doa a Quem Doer". O som é um death metal com bastante melodia, cantado em português. Peso, ótimas guitarras e letras com temas sociais fazem a diferença. Você pode baixar o álbum no site oficial da banda (http://www.project46.com.br/)

Rinoceronte

Power trio gaúcho natural da cidade de Santa Maria. A banda foi formada em 2007 e lançou o seu primeiro disco, Nasceu, em 2010. O som é um hard empoeirado com aquela névoa setentista e letras em português, na tradição de nomes como Casa das Máquinas e Made in Brazil.

Livin Garden

Este quarteto curitibano está na estrada desde 2006. O som é um hard que beira o heavy metal, influenciado por nomes como Kiss, Black Label Society, Alter Bridge e Metallica. O grupo acabou de lançar o seu primeiro disco, "Where I Can Breathe", de forma independente. Os caras fizeram uma tour norte-americana em 2011, e estão na seletiva para tocar na edição deste ano do Sweden Rock Festival.

Monster Coyote

Stoner made in Brasil, direto de Mossoró, Rio Grande do Norte. O trio lançou em 2011 o seu primeiro disco, "Stoner to the Boner". Um som competente, pesado e muito bem feito, em um estilo em que boas bandas brasileiras não são tão habituais. Recomendadíssimo!

Massahara

Quarteto paulista que pegou uma máquina do tempo e veio direto dos anos setenta para a realidade atual. O som é um hard banhado em generosas doses psicodélicas, influenciado por ícones como Grand Funk Railroad, Mountain, Captain Beyond e Black Sabbath. Se a sua praia é o hard setentista cantado em português, você vai adorar a banda.

Ponto Nulo no Céu

Banda catarinense que lançou o seu primeiro disco em 2011. "Brilho Cego" traz um heavy metal atual, que flerta sem medo com gêneros como metalcore e new metal e algumas características do rap, com um resultado final que impressiona bastante. O som poderá causar estranheza em ouvidos mais tradicionais, mas é de inegável qualidade. Confira você mesmo baixando a estreia do grupo no site oficial dos caras (http://www.pontonulonoceu.com.br/)

Dynahead

Uma das bandas mais originais e inovadoras do heavy metal brasileiro, o Dynahead já lançou dois discos – "Antigen" (2009) e "Youniverse" (2011) – com uma qualidade, sem exageros, espetacular. Sem obedecer limites, o grupo tem na experimentação o seu principal triunfo. Um som ousado, que olha para o futuro e deve levar a banda a patamares cada vez mais altos.

Christian Mistress

Este quinteto norte-americano tem dois discos – "Agony & Opium" (2010) e "Possession", que acabou de sair. O som é aquele heavy metal clássico com pitadas psicodélicas, na linha do Ghost e Devil's Blood. Segundo Fenriz, do Darkthrone, o grupo “toca heavy metal à maneira antiga”. Uma banda para conhecer e não parar de ouvir tão cedo!

Mortad

Banda londrina que acaba de lançar o seu primeiro disco, "The Myth of Purity". O som é um death metal violento e rápido, que não abre mão da melodia, lembrando os momentos mais agressivos do Arch Enemy. A Metal Hammer acolheu a banda e encartou o álbum de estreia em uma de suas últimas edições. A julgar pela ótima recepção do disco, o grupo deve ganhar bastante destaque nos próximos meses.

The New Black

Quinteto alemão de hard rock. O som possui bastante influência de Black Label Society, característica acentuada pela semelhança entre o timbre do vocalista Markus Hammer com o de Zakk Wylde. Com dois álbuns nas lojas – "The New Black" (2009) e "II: Better in Black" (2011) -, esses caras tem um futuro promissor.

Gentleman's Pistols

Banda inglesa formada na cidade de Leeds em 2003. O grupo ganhou destaque a partir de 2009, quando o guitarrista Bill Steer (Carcass, Firebird) ingressou no conjunto, assumindo a guitarra solo. O segundo disco dos caras, "At Her Majesty's Pleasure" (2011), é uma obra-prima do hard rock com tempero setentista. Perfeito para quem curte o bom e velho rock pauleira!

Sahara Surfers

Quarteto austríaco de stoner rock. O grupo já gravou dois discos, "Spacetrip on a Paper Plane" (2010) e "Sonar Pilot" (2011). Os vocais de Julia Überbacher contrastam com as guitarras sujas de Andreas Knapp, resultando em um som original e de grande personalidade.

Jex Thoth

Essa banda de San Francisco, batizada com o nome de sua linda vocalista, lançou apenas um álbum, auto-intitulado, em 2008, além de vários EPs. A música é um doom metal sujo e arrastado com influência psicodélica que, em alguns momentos, lembra o primeiro - e clássico - álbum do Black Sabbath.

Leprous

Prog metal norueguês, responsável por um dos melhores discos de 2011, o espetacular "Bilateral". Antes dele, o grupo já havia cometido o também muito bom "Tall Poppy Syndrome", de 2009. O som original e criativo do Leprous agarra em cheio o ouvinte. Uma das bandas mais promissoras do heavy metal atual.

Acyl

Quarteto francês que se denomina como “metal étnico experimental”, cujo primeiro disco foi lançado em janeiro de 2012. O som é muito pesado e agressivo, com passagens folclóricas muito interessantes, vindas, em sua maioria, da Argélia. Se você curte o Orphaned Land, vai adorar o Acyl.

Haken

Banda londrina, o Haken já gravou dois discos, "Aquarius" (2010) e "Visions" (2011). O som une a forte tradição metálica britânica a uma grande influência do Dream Theater, resultando em uma música com cara única. Indicado para quem curte bandas de prog metal que pendem mais para o lado prog, mas sem deixar de lado o peso.

The Gates of Slumber

Essa banda norte-americana, criada em 1998 em Indianápolis, já é um tanto veterana e possui cinco discos. Entretanto, mesmo assim permanece pouco conhecida aqui no Brasil. O som é um doom que puxa para o metal tradicional, com bastante peso e melodias interessantes. Em apenas uma palavra: excelente!

Dyscarnate

Considerado o nome mais promissor do atual death metal britânico, o Dyscarnate acabou de lançar o seu segundo disco, "And So It Came to Pass". O trio é bastante influenciado pelo Behemoth, aplicando os ensinamentos de Nergal para tornar a sua música cada vez mais agressiva e, em certas passagens, bastante complexa.

Dead to This World

Banda do vocalista e guitarrista Iscariah, ex-Immortal. Black metal old school, com um certo que de Venom e algumas pitadas thrash. O som é orgânico, contrastando com a superprodução que reina no black mainstream atual, cujo maior expoente é o Dimmu Borgir. Vale o play!

Nekromantheon

Banda de thrash metal norueguesa surgida em 2005. O som tem uma cara bem anos oitenta e um aspecto sujo, seguindo a tradição dos grupos de black metal que colocaram a Noruega no mapa do metal. Indicado para quem curte um thrash direto e sem muitas firulas.

Beneath the Massacre

Death metal canadense com duas características dominantes: brutalidade e técnica. O som é pesadíssimo e conta com passagens pra lá de intrincadas. O novo álbum dos caras, "Incongruous", acaba de sair e vem recebendo críticas bastante positivas.

Enforcer

Desde que iniciei esta série de posts sobre as novas e promissoras bandas de heavy metal, o retorno tem sido muito positivo, com várias sugestões de grupos. Um dos mais citados são esses suecos, que estão na estrada desde 2004 e já lançaram dois discos. O som é bem tradicional, com pitadas de speed. Indicado para quem adora vestir colete jeans e tênis de cano alto!

Periphery

Prog metal norte-americano. Algumas revistas gringas classificam os caras como “math metal”, rótulo um tanto estranho criado para definir a sonoridade de nomes como o Meshuggah e o SikTh. O som é bastante pesado e criativo, com muitos grooves e passagens intrincadas. O segundo play dos caras, batizado como Juggernaut, sairá em 2012, enquanto o debut, auto-intitulado, é de 2010. Se você curte um prog metal com muito peso, tá dada a dica! A banda está em turnê pelos EUA com o Protest the Hero e Jeff Loomis, ex-guitarrista do Nevermore.

Whitechapel

Deathcore norte-americano com três álbuns na praça. O Whitechapel é um quinteto de Knoxville, Tennessee, que transita com grande personalidade entre as raízes do death metal e uma sonoridade mais atual, que torna a sua música ainda mais pesada, agressiva e extrema.

Deadly Circus Fire

Este quarteto de prog metal inglês, cujo visual dos integrantes remete ao Insane Clown Posse, lançou apenas em EP em 2010 e está trabalhando em seu disco de estreia, que sairá este ano. A música do Deadly Circus Fire é bastante influenciada pelo Tool e também pelo Porcupine Tree, variando, em uma mesma canção, entre passagens mais progressivas e outras mais pesadas, o que faz com que a banda consiga agradar os adeptos de ambos os gêneros.

Landmine Marathon

Você pensa que a única mulher a cantar de forma gutural é Angela Gossow, do Arch Enemy? Então você precisa ouvir este quinteto norte-americano natural de Phoenix. Na estrada desde 2004, o Landmine Marathon já lançou quatro discos, todos trazendo um death metal pesadíssimo, onde os vocais guturais da bela e angelical Grace Perry são o destaque. Na parte instrumental, pesadíssima, a banda flerta com o doom e com o hardocore, criando uma massa sonora que irá agradar em cheio os fãs de metal extremo.

Abigail Williams

O nome desta banda norte-americana de black metal é inspirado na verdadeira Abigail Williams, uma menina de 11 anos de idade que foi uma das primeiras acusadas de bruxaria na cidade de Salem, em 1692. Formado em 2004, o grupo tem três discos na carreira, sendo que o último, "Becoming", acabou de chegar às lojas. O som parte de influências claras da sonoridade das bandas norueguesas, mas caminha em para outras direções, resultabdo em um black metal riquíssimo. A faixa que encerra o novo álbum, “Beyond the Veil”, é uma obra-prima com mais de dezessete minutos de duração que combina arranjos de cordas com melodias de guitarra e vocais perturbadores. Um clássico instantâneo!

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias

Iron MaidenIron Maiden
Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Bruce Dickinson, do Iron Maiden, antes da fama

O futuro do Rock nacionalO futuro do Rock nacional
Bandas autorais devem "se tocar"

5000 acessosMegadeth: Mustaine fala sobre bandas satânicas5000 acessosRockstars: as esposas mais lindas do rock - 1ª parte5000 acessosÔôôôôeeee: Sílvio Santos aprova montagem com Steve Harris5000 acessosDavid Gilmour: guitarrista faz um inacreditável tributo a Prince5000 acessosBlack Metal Norueguês: canal elege os 10 melhores álbuns5000 acessosSharon Osbourne: "pensei em pagar por sexo"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 09 de abril de 2012
Post de 10 de abril de 2012
Post de 11 de abril de 2012
Post de 14 de maio de 2012


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online