Cliff Burton: um hippie headbanger

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marcos A. M. Cruz
Enviar correções  |  Comentários  | 

"When a man lies he murders some part of the world
These are the pale deaths which men miscall their lives
All this I cannot bear to witness any longer
Cannot the Kingdom of Salvation take me".

(To Live Is To Die)

1712 acessosMetal Hammer: As 22 melhores músicas old-school do Thrash Metal5000 acessosJohnny Z: Uma invejável coleção de heavy metal


Clifford Lee Burton nasceu em Castro Valley, São Francisco, Califórnia, no dia 10 de fevereiro de 1962. Seus pais, Jan e Ray, eram dois hippies típicos da época, e deles herdou seus ideais, imagem e atitude. Com eles, Cliff tinha uma liberdade não muito comum, tanto que podia fumar maconha no seu próprio quarto.

Durante a adolescência, trabalhou numa loja de aluguel de equipamentos para jardinagem, enquanto começava a tomar gosto por música. Como já ganhava sua própria grana, teve condições de adquirir instrumentos e estudar um pouco de teoria musical.

No final da década de 70 começou a tocar profissionalmente, tendo passado pelo "Easy Street", "Agents Of Misfortune" e "Trauma", bandas locais de pouca expressividade. Em agosto de 1982, por ocasião de uma apresentação de sua última banda no "Whiskey-A-Go-Go", clube de Los Angeles, conhece James Hetfield e Lars Ulrich, que se impressionam com sua técnica e seu estilo de tocar, e aproveitando o fato de estarem descontentes com o então baixista da banda, Ron McGovney, convidam-no a se juntar a eles no Metallica. Foram necessários longos três meses para que Cliff finalmente aceitasse a proposta, com a condição que a banda fixasse residência em San Francisco, pois não pretendia se mudar para Los Angeles, no que foi prontamente atendido. E em 5 de março de 1983 registram a primeira fita demo com quatro faixas, chamada "No Life 'Till Leather". Era o início da trajetória da banda rumo ao estrelato.

Estamos em 27 de setembro de 1986, aproximadamente seis e quinze da manhã. Neste meio tempo, o Metallica lançou três álbuns, hoje considerados clássicos de uma era, trocou Dave Mustaine por Kirk Hammet e saiu do underground. A banda estava em excursão pela Europa, na turnê do "Master Of Puppets", e após se apresentarem em Estocolmo, enquanto seguiam rumo a Copenhagen, Dinamarca, próximo a uma cidade chamada Ljungby (ainda na Suécia), ao que tudo indica, o ônibus no qual viajavam derrapou na pista gelada, e Burton foi jogado pela janela e acabou morrendo esmagado pelo veículo, que tombou em cima dele. Ironicamente, quem deveria estar em seu lugar era Hammet, que perdera uma disputa no baralho poucas horas antes, e com isto Cliff havia trocado de lugar com ele no beliche.

Inicialmente a decisão dos membros remanescentes era encerrar atividades. Porém, chegam a conclusão que a última coisa que Cliff gostaria é que parassem naquele momento, pois numa de suas raras entrevistas declarou: "Quando comecei a tocar, decidi entregar minha vida a isto, e não me desviar por qualquer outra coisa que a vida pudesse me oferecer.". Começa então uma nova fase da vida do Metallica. Sem seu representante mais excêntrico, a banda perde o posto de símbolo do Thrash Metal. Mas seu legado havia sido consolidado, em parte graças à valorosa ajuda de Cliff.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Metal HammerMetal Hammer
As 22 melhores músicas old-school do Thrash Metal

1427 acessosMetallica: reveja performance completa em São Francisco0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

MustaineMustaine
Uma nota de Gilmour vale mais que muitos solos incríveis

MetallicaMetallica
Apresentação no Lollapalooza afugentou alguns fãs?

MetallicaMetallica
Jason Newsted afirma que salvou a banda duas vezes

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"


Collectors RoomCollectors Room
Uma das mais invejáveis coleções de metal do Brasil

Frases de bandasFrases de bandas
O que eles realmente querem dizer?

Axl RoseAxl Rose
A carta que não entrou em "Chinese Democracy"

5000 acessosMarilyn Manson: é do cantor o vídeo mais assustador5000 acessosEddie Van Halen: "Eruption foi um acidente"5000 acessosGuitar World: os 100 piores solos de guitarra da história3212 acessosDio: Sobre a origem das "mãos chifradas"5000 acessosValentina Francisco: Ouça garotinha cantando AC/DC antes do The Voice Kids5000 acessosDimebag: Scott Ian e Kerry King partilham lembranças etílicas

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 24 de julho de 2012
Post de 10 de fevereiro de 2014
Post de 10 de fevereiro de 2014
Post de 10 de fevereiro de 2015
Post de 11 de fevereiro de 2016
Post de 10 de fevereiro de 2017


Sobre Marcos A. M. Cruz

Editor do Whiplash.Net.

Mais matérias de Marcos A. M. Cruz no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online