Pulse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Salvatore D`Angelo
Enviar correções  |  Ver Acessos

A capacidade de expor um sentimento através de um meio comunicativo torna-se, às vezes, uma tarefa extremamente difícil, por vezes estafante e, p/ alguns, impossível. Isto nos torna diferentes ... A necessidade de expor um sentimento é uma constante em todos os seres humanos, independente de sua idade, sexo ou cor. É aqui que nos tornamos iguais. O binômio capacidade / necessidade é encarado sempre como uma diferença que afasta as pessoas de uma convivência saudável. Na verdade, é o aspecto positivo deste binômio, deixado à margem de uma preocupação real por razões também humanas, que deveria nortear os princípios de um grupo social. A expressão de um sentimento, reduzido à sua capacidade ou necessidade de exteriorização, nada mais tem a demonstrar aqui do que aspectos divergentes de uma mesma conduta, assim como na educação, quando temos a necessidade de cultura e a capacidade de adquirir cultura, que muitas vezes nos é negada por fatores externos, ou diga-se, sociais. Aspectos que poderiam ser demonstrados de formas diferentes, mas que aqui foram resumidos ao máximo.

Guns N' Roses: ex-guitarrista admite que era difícil tocar as músicasBlack Sabbath: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas o que tem tudo isso a ver com um release, que deveria ter uma característica jornalística ? Nada ... e Tudo, depende só do ponto de vista de quem lê ou da capacidade de compreender a relação contínua de todas as coisas.


A Pulse, banda natural de São Leopoldo / RS, formada em meados de 1998, não teve uma preocupação específica quando de seu nascimento. Formada por músicos com estrada nos palcos gaúchos, sem pretensões comerciais, engatinhou muito devagar até entender o que queria realmente fazer. Chegou a uma conclusão: queria apenas fazer música.

Mas, como já falado, tudo está ligado. A música, além da expressão de um sentimento, da capacidade de externar o íntimo do íntimo do íntimo, também surge como meio necessário de comunicação. A Pulse tenta unir os dois, mostrando músicas pautadas em muita melodia, mas ao mesmo tempo demonstrando os aspectos sutis do mal e do bem, da raiva, da indignação, da honra, da honestidade, do respeito, da crueldade humana ... tudo traduzido em música e letra, letra e música, andando lado a lado p/ chegar a um mesmo objetivo.

A Pulse escolheu o inglês como idioma de suas letra. por pura e simples opção musical, tendo em vista as influências da banda, que vem desde o grunge de Seattle e do rock alternativo britânico dos anos 90, descendo até o rock' n' roll e hard rock dos anos 70.

Originalmente formada por Maccicci ( ex-Enemy Territory, ex-Cross Nailing ) e Breno Linus Jr. nas guitarras, os irmãos Rafael Gomez no vocal e Fabricio Gomez na bateria (os dois ex-Stupid Insesticide), a Pulse ganhou uma nova energia c/ a entrada, no final de 2001 de Ricardo Moreira ( ex-Atlântida, ex-Quarter, ex-Léxico ) ocupando a vaga deixada pelo baixista Bio. Infelizmente, após um início de ano conturbado, em maio/2002, saem da banda os amigos Maccicci e Ricardo. Logo em junho, entra na formação o baixista Daniel Helfensteller e a Pulse volta a ter a sua garra e união que sempre foram marca da banda, agora como um quarteto.

A nova formação traduz mudanças não só na evolução humana do grupo, mas como principalmente nas interpretações e novas composições que se tornaram mais maduras, mais coesas e muito mais minimalistas. As guitarras de Breno Jr. a batera de Fabricio Gomez, o baixo de Daniel Helfensteller e a emoção vociferada de Rafael Gomez, tornam a Pulse um emaranhado de pulsações convergindo p/ um mesmo ponto - isto é a Pulse !!!

Quando de sua estréia em estúdios ( na verdade seu 2o. registro demo ) o EP " Pulse " c/ 4 composições próprias ( Her Secret, Old Fool, Evil Judge e Mud Land ) gravado em jan/2000 e tendo tocado em vários espaços culturais da capital gaúcha, como nos bares Dr. Jekyl, Heaven Café, Teatro de Elis, Área 51 e Garagem Hermética, além de shows por São Leopoldo, Novo Hamburgo, Três Coroas e Esteio, a Pulse sempre buscou e busca transmitir em seus shows que cultura é base p/ uma convivência harmoniosa - lembre-se: tudo está interligado !!!

Em jul/2001 a faixa Her Secret integra um CD coletânea da Rádio Ipanema FM 94.9, de Porto Alegre, juntamente com mais 20 bandas do Sul do país.
Independente de tudo isso, a música transforma tudo em uma grande festa. Pois, já disseram uma vez: " não leve o mundo muito a sério, afinal de contas você não sairá vivo dele ". Está bem, não vamos levar muito a sério !!!

O NOVO EP " EVERYDAY'S SONG "

Gravado entre os meses de set - out/2002 e lançado em dezembro do mesmo ano em um grande show em sua cidade natal, o novo EP da Pulse é um trabalho independente elaborado entre seis mãos. Além dos quatro integrantes da Pulse, a banda contou c/ o apoio da dupla T&P - Thysen & Pagnossin - que produziu o novo rebento. T&P já haviam trabalhado anteriormente c/ a Pulse na co-produção de seu EP de estréia.
Entretanto, nessa ocasião, o trabalho dos mesmos havia ficado mais restrito à parte de engenharia de som, cabendo-lhes um cuidado mais técnico de áudio colhido nas gravações. Neste 2o. trabalho, até por uma questão de evolução musical, os integrantes da Pulse resolveram confiar as gravações das 4 novas músicas p/ a dupla que aceitou o encargo e fez dele o mais proveitoso possível p/ os ouvidos de quem o escuta.

O trabalho iniciou na verdade, cerca de 1 mês antes das gravações, c/ a pré-produção das 4 faixas que seriam gravadas, recebendo um ciodado todo especial por parte de Thysen, que reuniu as composições e tratou-as de forma a ter o melhor aproveitamento radiofônico possível.

As músicas registradas foram escolhidas pela Pulse por voto da maioria dos integrantes que, aliás, é a forma utilizada p/ todas as decisões entre a banda. O EP abre c/ Mother, uma protobalada c/ guitarras pesadas e um grande clima, numa ode à maior de todas as Mulheres: a Mãe (alguém tem algo a discordar?). Logo após vem Calling for the Sun, onde a Pulse conseguiu registrar em estúdio uma música que define simplesmente como " bela ", " bonita ". Trata-se de uma canção baseada em uma linha de violão e guitarra, onde a bateria e o baixo fazem simplesmente a cama p/ esta obra que conta a história de uma rapaz tentando desvincular-se de uma vida ligada às drogas. A 3a. track é Unconscious que dispõe sobre a falta de liberdade, da dependência vivida por um ser humano em uma situação adversa - a música tem um refrão c/ jogo de vocais que arrepia ao mais distraído dos ouvintes. Por fim, mas não por último, vem a faixa que dá título ao disco: " Everyday's Song ", escolhida como a 1a. de trabalho do EP. A letra, contando a história de um menino de rua, interage c/ a parte instrumental que se trata de uma mistura de blues c/ grunge e pegadas fortes em um solo viajante que traduz o sentimento vivido nas ruas.

As bases de bateria e baixo foram gravadas em uma única sessão no Estúdio Tec Áudio de Porto Alegre / RS. Na verdade, essa sessão seria tão somente p/ gravação da bateria, mas a sinceridade do baixo chamou a atenção e foi consenso a manutenção do clima por ele transmitido, uma vez que aquela pegada dificilmente poderia ser repetida nas mesmas condições.

As linhas de violão foram gravadas em outra sessão no Estúdio Plus de São Leopoldo / RS e as guitarras registradas em 2 sessões em um home studio, da dupla T&P - o resultado foi impecável !

Por fim, as vozes de Rafael Gomez, que também gravou todas as linhas de backing vocals, foram registradas igualmente no Estúdio Plus, em 2 sessões.

Como bonus track, estão incluídas neste EP as 4 músicas do EP homônimo de estréia da Pulse. Uma vez que aquele trabalho continua sendo solicitado em shows e não há previsão p/ nova edição deste disco que teve mais de 500 cópias vendidas, a Pulse achou por bem dar este presente aos fãs que poderão levar 2 trabalhos em um só.

A produção artística de capa, uma vinyl replica (miniatura de capa de long-play de vinil) c/ encarte contendo letras e ficha técnica, primou por manter a mesma qualidade do trabalho de estréia, repetindo a dose nos responsáveis diretos pelo material. A elaboração do modelo de capa e encarte, bem como o próprio desenho, ficou mais uma vez a cargo do vocalista Rafael, que teve novamente a mão do desenhista Marcos Muller nos trabalhos de arte final. A contra-capa, por sua vez, tem foto de autoria da fotógrafa Luiza Giongo que registrou a nova formação da Pulse.

Quanto ao site www.cjb.net depara-se logo em sua inicialização c/ o logo " Pulse " pulsante em uma muito original e criativa intro - O som da Pulse é para ouvir, curtir, pular e pulsar... pulsar... pulsar... pulsar... No link " A Pulse está c/ CD novo - saiba mais sobre ele " ( ficha técnica ) há MP3 c/ Mother, Calling for the Sun, Unconscious e Everyday's Song. " Pulse's Official Home Page " possue versões em Português & English c/ história, fotos, CD's, shows, links e contatos. É enxuto e de extremo bom gosto.

Contatos:
a/c Fabricio Gomez
Rua Pio XII, 250 - Cristo Rei
CEP 93022-270
São Leopoldo / RS
51-590-1694
51-9988-3169 / 9906-5992
http://www.pulse.cjb.net
pulse@terra.com.br

Texto de autoria da Pulse
c/ revisão e complementos de
Salvatore D'Angelo (07/10/03 )
files_x@ig.com.br
WebZine " O Berro " em www.whiplash.net.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Pulse"


Guns N' Roses: ex-guitarrista admite que era difícil tocar as músicasGuns N' Roses
Ex-guitarrista admite que era difícil tocar as músicas

Black Sabbath: Perguntas e respostas e curiosidades diversasBlack Sabbath
Perguntas e respostas e curiosidades diversas


Sobre Salvatore D`Angelo

O Metal corre em minhas veias e em meus neurônios há mais de 25 anos. Esta atividade de resenhar shows, principalmente, une o útil ao agradável. Desde 1999 venho colaborando com o site da Die Hard quando escrevi minha primeira resenha de um show do Krisiun em Cotia para o então Zine O Grito (somente impresso - atualmente também on line). No final de 2000 o site sofreu uma grande reformulação quando o amigo Fausto ofereceu-me uma coluna / Web Zine exclusivamente meu que foi batizado de O Berro, o qual permanece na ativa até hoje - não há cobranças nem censura por parte da direção da Die Hard quanto a assuntos, periodicidade, etc. Já colaborei com outros sites sendo inclusive convidado em outra ocasião a participar com uma coluna minha no conhecido Whiplash!

Mais matérias de Salvatore D`Angelo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336