Deep Purple: mais uma vez, um desfile de clássicos em SP

Resenha - Deep Purple (Via Funchal, São Paulo, 10/10/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Jorge A. Silva Junior
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Cinco shows em São Paulo nos últimos seis anos. O DEEP PURPLE atingiu essa notável marca nesta segunda-feira (10), durante apresentação na capital paulista, como parte da turnê 'Songs That Built Rock Tour'. Há mais de 40 anos na estrada, a banda mostrou que ainda pode sustentar a fama de ser um dos maiores nomes da história do rock. O público sequer duvidou da capacidade dos 'dinossauros' e lotou a Via Funchal.

Rock e Metal: Doze ótimos álbuns para iniciantesAntônio Carlos Monteiro: A coleção do "ACM" da Rock Brigade

Fotos: Leandro Anhelli - www.flickr.com/alphaneo

Nas imediações da casa de shows, minutos antes da apresentação marcada para 22h, o trânsito era caótico. Isto se deve à brilhante idéia de agendar o show de uma banda histórica, em plena segunda, na cidade mais populosa do hemisfério sul.

Imagem

Imagem

A banda de abertura foi a paulistana REPUBLICA, porém, devido ao trânsito, a reportagem não conseguiu assistí-los. O DEEP PURPLE subiu ao palco com apenas 10 minutos de atraso. A formação continua a mesma de seis anos atrás: Ian Gillan (vocal), Steve Morse (guitarra), Roger Glover (baixo), Ian Paice (bateria) e Don Airey (teclado). Como neste intervalo de tempo a banda não lançou nenhum álbum de inéditas - o último foi 'Rapture Of The Deep' (2005) - o bombardeio de clássicos iniciou da melhor maneira possível, com "Highway Star" levando os fãs ao delírio logo de cara. Na sequência vieram duas pérolas gravadas no começo da década de 70: "Hard Lovin’ Man" e "Maybe I’m a Leo", presentes nos discos 'In Rock' e 'Machine Head', respectivamente.

Com passar dos anos, muitos deles dedicados à perdição proporcionada aos rockstars, o rendimento dos músicos tende a cair. Com Gillan, 66, não foi diferente. É óbvio que há muito tempo sua voz não é mais a mesma. Consciente disto, ele sabe como ninguém poupar, cadenciar e soltar na hora certa seus (ainda) poderosos agudos. Sua artimanha foi comprovada no final de "Strange King Of Woman", que ainda contou com um belo solo de teclado do competente Don Airey, que tem a árdua tarefa de substituir o grande Jon Lord.

Imagem

Imagem

Para os fãs mais saudosistas - ou xiitas - deve ser difícil engolir, mas o destaque incondicional do DEEP PURPLE continua sendo Steve Morse. Poucos guitarristas no mundo conseguem reunir em demasia virtuosismo, feeling e carisma durante as apresentações. Completando o cast, qualquer elogio feito à 'cozinha' é como chover no molhado. A dupla Glover/Paice continua afiadíssima e com um excelente entrosamento, que começou em 1969 e passou por inúmeras turnês.

Da fase setentista da banda, nos quesitos arranjo e harmonia, os destaques ficaram por conta de "When a Blind Man Cries" e "Lazy", ambas com belas doses características do Blues. Dos anos oitenta, deram as caras outros dois clássicos: "Knocking At Your Back Door" e a aclamada "Perfect Strangers", do álbum homônimo que marcou a volta de Ian Gillan à banda após uma década.

Imagem

Imagem

Por obrigação em qualquer show do DEEP PURPLE, a dona do riff mais famoso de todos os tempos não poderia ficar de fora. "Smoke On The Water" foi a última música a ser tocada antes do famoso bis, que fechou a noite com "Black Night". Em praticamente duas horas de espetáculo, o 'velhinhos' deram a entender que, enquanto estiverem vivos, continuarão fazendo a alegria do público com ótimas apresentações.

Imagem

Imagem

DEEP PURPLE em São Paulo
Via Funchal - 10 de outubro de 2011

Vocal: Ian Gillan
Guitarra: Steve Morse
Baixo: Roger Glover
Bateria: Ian Paice
Teclado: Don Airey

1. Highway Star
2. Hard Lovin' Man
3. Maybe I'm A Leo
4. Strange Kind Of Woman
5. Rapture Of The Deep
6. Mary Long
7. Contact Lost – Steve Morse solo
8. When a Blind Man Cries
9. The Well-Dressed Guitar
10. Knocking At Your Back Door
11. Lazy
12. No One Came
13. Don Airey solo
14. Perfect Strangers
15. Space Truckin'
16. Smoke On The Water
17. Going Down (intro) / Hush
18. Roger Glover solo
19. Black Night

Imagem

Imagem

Imagem

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Deep Purple (Via Funchal, São Paulo, 10/10/2011)

Deep Purple: Levantando o público em São Paulo

Rock e Metal
Doze ótimos álbuns para iniciantes

Smoke on the Water: jovens garotas tocam clássico do Deep PurpleDeep Purple: gravadora deu a ideia para título de novo discoDeep Purple: Roger Glover garante que turnê do "adeus" será longaDeep Purple: confira nova música, "All I Got Is You"Todas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

Mega-hits Manjados
10 clássicos que se tornaram clichês

Sexo Anal
Saiba onde encontrar esse prazer no Rock

Álbuns ao vivo
10 grandes registros da história do rock

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 12 de outubro de 2011

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Deep Purple"

Collectors Room
A coleção de Antônio Carlos Monteiro (o ACM) da Rock Brigade

Slipknot
10 vezes em que Joey Jordison foi um verdadeiro herói

Música Fácil
Três bateras excelentes que você subestima

Iron Maiden: Inspiração da capa do single "El Dorado"O Livro dos Mortos do Rock: vida e morte no Rock And RollGuns N' Roses: ex-guitarrista admite que era difícil tocar as músicasDave Lombardo: tentou entrar no Megadeth em 1986 mas os caras estavam chapadosGuns N' Roses: sem integrantes legítimos, uma banda tipo MenudoMegadeth: tocar com Kiko e Adler é como um grupo de 4 rockstars

Sobre Jorge A. Silva Junior

Jorge Junior é paulistano, jornalista diplomado e colaborador do Whiplash.Net desde 2009. Tem mais de 400 matérias e notas publicadas, que somam aproximadamente um milhão e meio de acessos. Também realizou a cobertura de shows de grande porte, entre eles Ringo Starr, Eric Clapton, Deep Purple, System Of A Down, Red Hot Chili Peppers e Ozzy Osbourne. O autor pode ser seguido no Twitter: @jorgejunior85.

Mais matérias de Jorge A. Silva Junior no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online