Resenha - Dr Sin (Tubes, Rio de Janeiro, 01/07/1999)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Fábio Trovão
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

15hs em ponto, chegava esse que vos fala ao Tubes no Rio de Janeiro para assistir a passagem de som do Dr.Sin e se possível fazer uma entrevista com os caras. A banda, que veio dirigindo de São Paulo direto para o local do show, chegou por volta das 17hs. Com o atraso, não foi possível fazer a prometida entrevista, porém, Andria Busic, Ivan Busic e Eduardo Ardanuy se mostraram sempre muito simpáticos e atenciosos conosco, dando autógrafo e batendo papo comigo e o meu fiel companheiro André Morize. Nesses bate-papos, ficamos sabemos algumas coisas interessantes sobre a banda e os projetos paralelos de seus membros. A banda deve estar lançando seu cd ao vivo ainda este mês, e não estão trabalhando ainda em material inédito. O Tritone (projeto dos guitarristas Eduardo Ardanuy, Sérgio Buss e Frank Solari) já está pensando no segundo álbum, e provavelmente eles deverão estar abrindo os shows da turnê que Steve Vai, também provavelmente, fará aqui no Brasil em Stemebro.

Busic: banda divulga terceiro videoclipe; confiraMegadeth: ao lado do Metallica, Mustaine faz pergunta franca

Em todos os momentos os músicos se mostraram extremamente profissionais, apesar do amadorismo dos produtores do local, cuja estrutura era no máximo, com muita boa vontade, regular. Muito abaixo do que uma banda como o Dr.Sin merece. A noite começou por volta das 23hs, com a banda FAST UNCLE. Uma banda que toca covers de Whitesnake, Deep Purple, Judas Priest, etc. A banda parece ser apenas uma banda para diversão. Destaque apenas para o guitarrista Flávio que mostra ter futuro. Logo depois veio a banda de Heavy Melódico ALLEGRO. A banda mostra ser uma das boas promessas do Metal carioca. O som da banda mostrou-se um pouco repetitivo, como muitas das bandas de Heavy Melódico mundial. Porém, os músicos são muito bons e a banda pode, e deve, evoluir. Destaque para o guitarrista solo e o tecladista. O vocalitsa tem um excelente timbre e afinação, mas tem um porém: precisa ser menos André Matos e mais ele mesmo. Todas as músicas são cantadas em notas extremamente agudas, e em certo momento isso enjoa os ouvintes. Com a técnica que tem, ele poderia usar uma variedade maior de timbres e afinações.

Finalmente, depois das 1:00hr, o Rio de Janeiro pode finalmente, depois de uma espera de mais de 5 anos, assistir a um show do Dr.Sin como banda principal. A banda entrou no palco e detonou logo a pesadíssima Karma. A banda estava visivelmente com uma enorme disposição de tocar para o Rio de Janeiro. O baterista Ivan Busic tocou com uma garra que poucas vezes eu vi um baterista tocando. A som da batera parecia um trovão de tão forte Ivan estava tocando. Logo na segunda música, Sometimes, uma pessoa tomou conta do show: Eduardo Ardanuy. O guitarrista está sem dúvida entre os melhores de todo o planeta, e nessa noite particularmente ele esteve inspiradíssimo. Poucas músicas terminaram sem que houvesse um grande improviso em que Edu mostrou toda sua técnica fenomenal, tocando inclusive trechos de músicas do Malmsteen (a pedido da galera) e do comercial do cigarro Hollywood Light. A terceira música, Ivan perguntou qual música do álbum Brutal o público gostaria de ouvir, e a maioria pediu Isolated, e a banda atendeu prontamente. Depois um desfile de grandes músicas: Brother, Have You Ever Seen The Rain (cover do Creedence Clearwater), Down In The Trenches (belo trabalho de vocal dos irmãos Andria e Ivan Busic), No Rules, Someone To Blame, Emotional Catastrophe, e finalmente, fechando o set, a banda atendeu os pedidos do públivo: Futebol, Mulher & Rock N' Roll. Com direito a corinho "Eta, eta, eta brasileiro quer...BUCE**", e o público feminino também não ficou na saudade, Andria deu a vez a elas "E as mulheres? Não querem nada? Alho, alho, alho brasileira quer..."

Depois de um rápido intervalo a banda volta para o bis. Tocaram Fire, e fecharam com uma versão matadora e pesadíssima de Sweet Leaf do Black Sabbath. E acabava assim o show do Dr.Sin deixando o público com gostinho de "quero mais". Realmente, esse foi o único porém do show, poderia ter sido maior. Mas no final o saldo foi mais do que positivo. A banda provou ser uma das grandes bandas do Rock nacional, e os músicos são simplesmente perfeitos, e principalmente, adoram o que fazem, o que pode ser comprovado no sorriso no rosto de todos eles durante o show. Depois do show a banda ainda teve fôlego para atender um batalhão de fãs atrás de autógrafos e fotos.
Não poderia terminar essa matéria sem deixar registrado meu agradecimento aos músicos Andria Busic, Ivan Busic, Edu Ardanuy, e a todos da equipe da banda pelo carinho, atenção e paciência conosco, nos tratando como verdadeiros amigos e com muita simplicidade. Coisa que algumas bandas deixaram pra trás ao conseguir seus 15 minutos de fama.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Top 5
Discos de metal nacional com nomes de outros estilos

Busic: banda divulga terceiro videoclipe; confiraVitrola Verde: em vídeo, entrevista com Ivan BusicYngwie Malmsteen: super grupo brasileiro presta homenagemTodas as matérias e notícias sobre "Dr Sin"

Dr. Sin
A crise do rock nacional

Dr.Sin
"Acabou-se a magia da espera de um disco"

Rock nacional
10 solos de guitarra essenciais

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Dr Sin"

Megadeth
Ao lado do Metallica, Mustaine faz pergunta franca

Guns N' Roses
O código na capa de The Spaghetti Incident

Machine Head
Rob Flynn diz que A7X copia Guns, Metallica e Megadeth

55Gore: o nome e o logotipo mais complicados da históriaSexo Anal: saiba onde encontrar esse prazer no cenário RockNa Mira do Regis: farsa do playback no "Superstar" é desmascaradaNOFX: vocal oferece 100 dólares a hipster para ele sair do showHelloween: as melhores composições de Michael KiskeNirvana: uma versão clássica de "Smells Like Teen Spirit"

Sobre Fábio Trovão

Guitarrista e professor de InglUs! Adora Heavy Metal em geral, principalmente Heavy Progressivo!

Mais matérias de Fábio Trovão no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online