Aborted: mantendo-se nos limites da música extrema

Resenha - Strychnine.213 - Aborted

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Ainda que os velhos fãs tenham praticamente virado as costas ao Aborted após este investir em mais melodias do que o segmento xiita do Death Metal aparentemente pôde suportar, o fato é que os belgas conseguiram tornar sua música interessante o suficiente a ponto de atingir um público ainda mais amplo e, melhor, mantendo-se nos limites da música extrema.
Kreator, Sepultura, Soilwor, Aborted: show na terra da rainhaLed Zeppelin: em quantas músicas Plant não fala "baby"?

Seu quinto álbum, "Strychnine.213", mantém boas doses da tendência melódica tão marcante do ótimo "Slaughter And Apparatus: A Methodical Overture", de 2007. O grupo novamente consegue soar de forma criativa e com uma eficácia instrumental que não se encontra com frequência por aí, sendo praticamente impossível não prestar atenção aos inúmeros detalhes que sua música possui, em especial às insanas batidas intrincadas do mestre Dan Wilding.

A coisa toda continua com a diversidade de linhas vocais que oscilam entre guturais e rosnados, riffs saturados que conseguem ser cada vez mais grudentos, muitos solos melodiosos e algumas seções que encaram boas doses de groove – era uma vez aqueles fãs mais radicais! E são estes os atributos que fazem do álbum algo realmente vigoroso, em especial com a presença de “Ophiolatry On A Hemocite Platter”, “135” e “Pestiferous Subterfuge”.

Algo que permanece inalterado em termos de Aborted é sua paixão pelas amenidades do sanguinolento Gore, que continua em alta com tantos pedaços de corpos (ou corpos sem alguns pedaços?) que suas inúmeras montagens fotográficas hiper-realistas espalhadas pelo encarte podem inspirar mais uma etapa do filme "Jogos Mortais"...

Ainda que muitos venham a insistir que sua brutalidade não seja mais 'pura' o suficiente, "Strychnine.213" possui, sim, uma agressividade atordoante ao longo de seus pouco mais de 40 minutos de audição. E fica a certeza de que, com seu invejável Death Metal técnico e salpicado de melodias, o Aborted continuará conquistando cada vez mais adeptos para suas fileiras. Um ótimo disco, e saindo no mercado nacional via Free Mind Records!

Formação:
Svencho - voz
Seb - guitarra e voz
Peter - guitarra
Svenchi - baixo
Dan - bateria

Aborted - Strychnine.213
(2008 / Century Media Records - 2009 / Free Mind Records - nacional)

01. Carrion
02. Ophiolatry On A Hemocite Platter
03. I35
04. Pestiferous Subterfuge
05. The Chyme Congeries
06. A Murmur In Decrepit Wits
07. Enterrement Of An Idol
08. Hereditary Bane
09. Avarice Of Vilification
10. The Obfuscate
11. Slaughtered (Pantera cover)

Homepage: www.goremageddon.be

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Kreator, Sepultura, Soilwor, Aborted: show na terra da rainhaPegadas de Andreas Kisser: Ouça entrevista com belgas do AbortedTodas as matérias e notícias sobre "Aborted"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Aborted"

Led Zeppelin
Em quantas músicas Plant não fala "baby"?

Rock in Rio
Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991

Manowar
Você acha as fotos da década de 80 ridículas?

Metallica: "'St. Anger' foi um ponto baixo", diz HetfieldMusas inspiradoras: as esposas mais gostosas dos rockstarsSlipknot: Corey Taylor redefine o termo "vergonha alheia"Iron Maiden: Estabilidade, sucessos e algumas fanfarrasSleaze Roxx: site elege os 10 melhores álbuns de 2010Black Sabbath: não aprovamos as cruzes invertidas, diz Bill Ward

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online