Chris Cornell: Acústico, mas ainda assim poderoso

Resenha - Chris Cornell (Citibank Hall, São Paulo, 11/12/2016)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Fernando Yokota
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Após um pequeno hiato no mês de novembro para uma limitada série de datas da reunião do TEMPLE OF THE DOG, CHRIS CORNELL retomou a turnê que divulga seu último trabalho em carreira solo, Higher Truth. No último dia 11, o vocalista do SOUNDGARDEN fechou em São Paulo a sequência de datas na América do Sul para um Citibank Hall cheio.

1309 acessosChris Cornell: "Matt é um dos melhores bateristas atualmente!"5000 acessosOs diários secretos de Roger Waters

Banquinho e violão

Munido apenas de um violão (vários violões, na verdade), a eventual gaita e o violoncelista Bryan Gibson, Cornell ofereceu à plateia uma miscelânea de temas, percorrendo desde o já citado TEMPLE OF THE DOG, com paradas obrigatórias por canções do SOUNDGARDEN e AUDIOSLAVE, mas reservando espaço para composições de sua carreira solo e do MOTHER LOVE BONE, bem como alguns standards da cultura pop como Redemption Song (BOB MARLEY AND THE WAILERS) ou Billie Jean (MICHAEL JACKSON).

Vinho, espumante, pipoca e cadeiras

Se você tinha vinte anos no início da década de 90, a última coisa que você esperaria na vida era ouvir canções do TEMPLE OF THE DOG em sua voz original. Mais ainda, que você o faria sentado confortavelmente numa cadeira, com uma taça de vinho ou espumante, comendo sua pipoca tranquilamente junto a um público atento e que praticamente se manifestava apenas entre as canções, como num recital de música erudita.

Homenagem a Prince e contra o 1%

Uma das presenças fixas no set do cantor é uma versão de Nothing Compares 2 U, do falecido PRINCE (e popularizada na década de 90 pela irlandesa SINEAD O'CONNOR). Também no início, Cornell pediu licença para alterar alguns dos versos de The Times Are A-Changin' de BOB DYLAN. Com um headset e uma gaita, Cornell andou pelo palco enquanto tocava e cantava os versos de Dylan levemente alterados para retratar a atual situação de divisão nos EUA e atirar contra o 1% que detém uma porção descomunal da riqueza no mundo, lembrando o slogan que ficou famoso quando do movimento Occupy no começo da década.

Técnico de iluminação brasileiro e backing track em vinil

Ao fim de Fell On Black Days, o cantor saudou seu técnico de iluminação brasileiro, Marco, a quem se referiu com um "amigo pessoal". Ainda no lado técnico, Misery Chain foi executada por Cornell por cima de uma backing track em vinil, acionado no palco pelo próprio músico.

Johnny Cash e o violão desafinado

Rusty Cage, faixa que abre o clássico Badmotorfinger, foi outra que figurou no set do cantor, que explicou que não cometeria a loucura de tentar reproduzir o arranjo original, inteligentemente optando pelo arranjo da versão gravada por JOHNNY CASH em seu álbum Unchained. A sexta corda do violão, levemente desafinada, não parecia ser problema para a plateia, que apreciou a performance do mesmo jeito.

"Toca I am a highway!"

Por mais de um momento, era possível ouvir fãs pedindo canções do AUDIOSLAVE mais efusivamente. Era interessante perceber como alguns dos temas da banda eram tidas como clássicos absolutos assim como músicas do SOUNDGARDEN como por exemplo, Black Hole Sun

Sonhar não custa nada

Mais quieta, a apresentação foi uma oportunidade para se apreciar o esfoliante timbre da voz de CHRIS CORNELL em sua totalidade. Contudo, enquanto o formato acústico permite apreciar o talento do cantor minuciosamente, fica a vontade de vê-lo com sua banda completa ou, mais ainda, voltando com o SOUNDGARDEN ou, porque sonhar não custa nada, quem sabe uma incursão sulamericana do TEMPLE OF THE DOG.

(com o agradecimento a T4F pelo credenciamento)

Setlist:

Before We Disappear
Can't Change Me
'Til the Sun Comes Back Around
Nothing Compares 2 U
Nearly Forgot My Broken Heart
The Times They Are A-Changin'
Josephine
Fell on Black Days
Thank You
Doesn't Remind Me
Like a Stone
Wooden Jesus
All Night Thing
Blow Up the Outside World
Misery Chain
Murderer of Blue Skies
I Am the Highway
Redemption Song
Rusty Cage
Black Hole Sun
Sunshower
Hunger Strike
Billie Jean
Seasons
Higher Truth

Comente: Esteve no show?

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Chris CornellChris Cornell
"Matt Cameron é um dos melhores bateristas atualmente!"

1537 acessosScott Stapp: "Chris Cornell é o melhor vocalista do rock"719 acessosSoundgarden: novo álbum está a caminho1556 acessosChris Cornell: podemos dizer que ele é o atual rei do grunge?945 acessosGrunge e Rock Alternativo: 03 turnês que marcaram os anos 900 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Soundgarden"

GóticasGóticas
10 grandes bandas do gênero dos anos 80

GrungeGrunge
As 10 melhores músicas do movimento

Top 10Top 10
Por que o grunge não está morto?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 14 de dezembro de 2016

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Chris Cornell"0 acessosTodas as matérias sobre "Soundgarden"0 acessosTodas as matérias sobre "Temple Of The Dog"0 acessosTodas as matérias sobre "Mother Lovebone"

HumorHumor
Os impressionantes diários secretos de Roger Waters

NXZeroNXZero
"Nossa cena foi o último movimento de rock relevante"

Raul SeixasRaul Seixas
Conheça 10 importantes obras do Maluco Beleza

5000 acessosCorey Taylor: sonhando com sexo grupal com Lita Ford e Doro Pesch5000 acessosSlayer: Como Kerry King aprendeu tudo sobre sexo?5000 acessosRush: Os álbuns favoritos do baixista Geddy Lee4775 acessosKiss: Gene Simmons comenta raízes inglesas da banda5000 acessosGuns N' Roses: comova-se com entrevista perdida de 19885000 acessosChinese Democracy: Talaricagem, galinheiros e megalomania

Sobre Fernando Yokota

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online