Krisiun: Uma aula de destruição no Sesc Pompéia

Resenha - Krisiun (Sesc Pompéia, São Paulo, 09/07/2016)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Bruno Faustino
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

A banda gaúcha Krisiun está excursionando divulgando seu mais recente álbum, “Forged In Fury”, lançado em 2015. Não é nenhuma novidade que na atualidade o trio formado pelos três irmãos Max, Moyses e Alex já chegou no patamar máximo do gênero, sendo reconhecidos mundialmente pela característica agressiva e brutal imposta em suas músicas.

5000 acessosRobert Plant: "quase saí do Led quando meu filho morreu"5000 acessosLinkin Park: Bennington fala sobre alcoolismo e abuso na infância

O Sesc Pompéia em São Paulo foi a “vítima” da noite do dia 09 de julho. A apresentação fez parte da rota dos shows nacionais da atual turnê, tendo abertura da casa em torno das 20:30 e com início previsto para as 21:30 pontualmente.

É muito complicado resenhar um show de uma das bandas que mais te cativam, que mais lhe despertam respeito. Trata-se de um dos expoentes do Metal nacional que mais levantam a bandeira da originalidade, jamais aceitando mudar ou emoldurar sua arte para tornar-se mainstream, mantendo suas características sonoras em busca de seu objetivo sem preocupar-se com o que o mercado fonográfico aceita ou não.

O show inicia-se às 21:45. O trio sobe ao palco e cumprimenta o público e, com aquele conhecido jargão, Alex Camargo abre o evento falando: “Boa noite, São Paulo! O Krisiun está aqui…”. Com estas palavras, os portais do inferno se abriram.

Após a “Intro”, a faixa escolhida para o início foi “Ravager”, do cultuado “Conquerors of Amageddon” (2000), que trouxe a casa a um delírio frenético. O público pôs-se em agito e, com esse clássico já de abertura, já estava mais do que claro que daí em diante o “caldo só iria engrossar”.

Continuando, “Combustion Inferno” trouxe um tema mais recente da banda, do excelente “Southern Storm” (2008), mantendo o público ali presente extasiado com sua variação de cadência e agressividade única. Destaque para a grande performance do guitarrista Moyses Kolesne, que executa os solos de maneira impecável.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Prosseguindo então, temos “Vicious Wrath” e “Vengeance’s Revelation”, dos álbuns “AssassiNation” (2006) e “Apocalyptic Revelation” (1998), respectivamente. Elas mantiveram o público “aceso” e trouxeram uma mescla de duas fases do grupo: uma da mais atual, com levadas mais cadenciadas e mais variações, e outra com velocidade e compassos rápidos.

A metade do show se aproxima. O vocalista Alex agradece ao público presente e anuncia que o próximo som seria “Ace of Spades”, em tributo ao lendário baixista e vocalista fundador do icônico Motörhead. O clássico executado pelo trio ganhou mais peso e velocidade, tendo um moshpit aberto que tomou conta praticamente do ambiente inteiro.

Seguindo a apresentação, “Scars of The Hatred” e “Ways of Barbarism” trazem para o evento os novos ares que coroam a fase atual na qual o trio se encontra. São duas excelentes composições que divulgam o álbum mais recente, “Forged In Fury”. Incrível como elas já foram assimiladas pelo público, que as cantou refrão a refrão. Aquele foi o clímax da apresentação!

Após o final, veio um discurso do vocalista Alex, que alegou que o palco foi feito para uma banda apresentar a sua arte, mostrar o seu som, e não usar-se dele para querer debater questões políticas ou sociais. Complementou ainda dizendo que o Krisiun foi e sempre será uma banda que não usa palco nem o nome para esse tipo de finalidade, pois a música foi feita para unir as pessoas.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Ainda foram executados os clássicos “Murderer”, “Sentenced Morning”, “Apocalyptic Victory”, “Blood of Lions”, “Descending Abomination”, até que a noite foi encerrada com a visceral “Black Force Domain”.

Certamente, foi uma grande apresentação de um grande ícone do Death Metal nacional. Fica a memória e o registro de uma aula de quem sabe fazer o melhor dentro daquilo que se propõe.

Uma enorme saudação ao Krisiun, que coroou a noite gelada de São Paulo com profissionalismo e perfeccionismo aos fãs ali presentes!

Setlist:
01 – Intro
02 – Ravager
03 – Combustion Inferno
04 – Vicious Wrath
05 – Vengeance’s Revelation
06 – Ace of Spades (Motörhead Cover)
07 – Scars of The Hatred
08 – Ways of Barbarism
09 – Murderer
10 – Sentenced Morning
11 – Apocalyptic Victory
12 – Blood of Lions
13 – Descending Abomination
14 – Black Force Domain

Obs : A foto 4 foi disponibilizada na página oficial da banda, sendo assim todos os direitos são reservados à JAPI foto & vídeo.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Krisiun"

LoudwireLoudwire
Krisiun na lista dos dez power trios mais pesados

Virada CulturalVirada Cultural
O Metal entrou em peso na programação

KrisiunKrisiun
Banda lista os 5 picos mais demoníacos do Brasil

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 20 de julho de 2016

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Krisiun"

Robert PlantRobert Plant
"Quase saí do Led quando meu filho morreu!"

Linkin ParkLinkin Park
Bennington fala sobre alcoolismo e abuso sexual na infância

Roqueiro poserRoqueiro poser
100 regras essenciais para se tornar um

5000 acessosGuns N' Roses: veja vídeos do trágico show que completa 27 anos5000 acessosRockstars: 18 roqueiros que já apareceram em filmes5000 acessosPink Floyd: as brincadeiras e enigmas nas capas dos álbuns2700 acessosKiss: comercial inédito e esquecido de Paul Stanley surge na web3293 acessosMegadeth: Como seria Symphony Of Destruction em outros estilos?5000 acessosJustin Bieber: fã de Led Zeppelin, AC/DC e Metallica?

Sobre Bruno Faustino

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online