Accept: A passagem da Blind Rage Tour pelo Rio de Janeiro

Resenha - Accept (Imperator, Rio de Janeiro, 09/04/2016)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcelo Prudente, Fonte: Rockbizz
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Há poucas certezas no mundo em que podem se firmar como regra, e uma delas é, sem dúvida, que a banda alemã, Accept, é a sua melhor aposta se o seu objetivo é se divertir em uma noite de sábado embalado numa trilha sonora de primeira. E foi dessa forma que o público carioca festejou a noite de ontem, (9), quando os alemães deram uma aula do que é o heavy metal.

U.D.O.: turnê pela América Latina em 2020Guitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?

Ainda na divulgação do ótimo álbum "Blind Rage", a banda conseguiu arquitetar um repertório onde fora apresentado o suprassumo da atual fase, bem como os clássicos dos anos 1980, o que garantiu alegria dos fãs, que embora não lotasse as dependências do Imperator, agitaram e vibraram do primeiro ao último acorde da noite.

Se a lição era para ensinar o que é o metal, então nada melhor que rechear a aula com canções do teor de "Stampede", "Stalingrad", "Teutonic Terror", "London Leatherboys", "Dying Breed", "No Shelter" e "Midnight Mover", que fácil, fácil, ganharam eco na aplicada turma.

A legitimação do grande sucesso da atual fase do Accept pode ser diretamente atribuída à genialidade de Wolf Hoffmann (guitarra) e Peter Baltes (baixo) ao integrar à banda o ex-TT Quick, Mark Tornillo (vocal) - completa a banda Uwe Lulis (guitarra) e Christopher Williams (bateria). Não há a intenção de depreciar, tampouco paliar o trabalho dos vocalistas predecessores, mas é fato que Mark Tornillo trouxe dose extra de energia e talento ao som dos alemães, sendo uma das raras exceções onde o vocalista substituto consegue sobrepor o cantor "clássico".

Canções tidas como clássicas como "Fast as a Shark", "Metal Heart", "Balls to the Wall", "Restless and Wild" e "Son of a Bitch" ganharam acolhida perfeita na interpretação e voz de Tornillo, e na noite de ontem o vocalista teve como segunda voz os fãs cariocas, que cantaram cada verso e refrão provando também seu poderio sonoro.

Com quase duas horas de aula - ou show - o Accept provou o porquê de tanta adulação por parte do público e mídia. A banda está mais afiada do que nunca, e a prova foi os sorrisos estampado no rosto de quem se propôs sair de casa numa noite de sábado para assistir uma prazerosa aula de heavy metal.

Aos que cismam que apenas o 'lineup' clássico é digno de atenção e renegam a nova/atual fase do grupo o que lhes restam é o lamento. Já o público que consente "o novo Accept" e não pôde comparecer ao show, fica a certeza do breve retorno da banda aos palcos cariocas, visto a satisfação de se apresentar na cidade.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Accept"


U.D.O.: turnê pela América Latina em 2020

Anos 80: cinco nomes do metal que se entregaram ao glam metalAnos 80
Cinco nomes do metal que se entregaram ao glam metal

Accept: banda não precisa mais tocar Balls To The Wall, diz Wolf HoffmannAccept
Banda não precisa mais tocar "Balls To The Wall", diz Wolf Hoffmann

Speed Clothes: roupas de banho trues para musas headbangersSpeed Clothes
Roupas de banho trues para musas headbangers


Guitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?Guitarristas
Você consegue identificar todos nesta imagem?

Solos: Alguns dos mais bonitos do Heavy MetalSolos
Alguns dos mais bonitos do Heavy Metal

Sonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejadosSonho de Consumo
Os 10 palcos de shows mais desejados

Black Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de IommiBlack Sabbath
O acidente que tirou as pontas dos dedos de Iommi

Fotos de Infância: Avril LavigneFotos de Infância
Avril Lavigne

Saxon: O Rush era meio que intocável nos anos 80Saxon
O Rush era meio que intocável nos anos 80

Pirataria: enquanto isso, em uma loja de CDs na Rússia...Pirataria
Enquanto isso, em uma loja de CDs na Rússia...


Sobre Marcelo Prudente

Marcelo Prudente, 28 anos, nascido em Volta Redonda/Rio de Janeiro. É profissional da área de Comunicação, trabalha com Publicidade e Jornalismo. Começou a tomar gosto pela música quando criança por influência dos pais e tio. Louco pela carreira do velho madman, Ozzy Osbourne. Curte também Iron Maiden, Kiss, Rammstein, Rob Zombie, Alice Cooper, etc. E já perdeu a conta dos bons shows que já assistiu e dos ótimos discos que tem. Para mais informação: http://rockonstage.blogspot.com/. Long live to Rock n' Roll.

Mais matérias de Marcelo Prudente no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336