Capital Inicial: Casa lotada, grandes hits e homenagens em SP

Resenha - Capital Inicial (Citibank Hall, SP, 30/05/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Tom Macedo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Uma das mais prestigiadas bandas do Rock Nacional atualmente, o Capital Inicial se apresentou no último sábado (30/05) no Citibank Hall em São Paulo, com casa lotada e um público bastante variado contando com diversas gerações de fãs e famílias inteiras devidamente vestidas com suas camisas da banda.

809 acessosTitãs, Lobão, Ultraje, Legião: o Brasil era do rock há 30 anos5000 acessosSonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejados

Fotos: Kennedy Silva. Galeria completa em:
https://www.facebook.com/kennedysilvaphotos

O quarteto Brasiliense formado por Dinho Ouro Preto (Vocais), Yves Passarell (Guitarra), Flávio Lemos (Baixo) e Fê Lemos (Bateria), e que conta com Robledo Silva (Teclados) e Fabiano Carelli (Guitarra e Violão) como músicos de apoio, excursionam o país divulgando seu último trabalho, o EP “Viva a Revolução” lançado em 2014.

O show que estava marcado para as 22h:00min começou com mais de 30 minutos de atraso, fato que não incomodou nenhum dos presentes.

A banda então sobe ao palco e abre o show com a música “Respirar Você”. O frontman Dinho Ouro Preto avisa que aquele seria um grande show, e que iriam tocar músicas de todas as fases da banda e algumas músicas da extinta banda Aborto Elétrico, e então tocam “Quatro Vezes Você”, “Independência”, “Mais”, “Depois da Meia Noite”, “Eu Nunca Disse Adeus” e “Não Olhe Pra Trás”. Me surpreendeu bastante a interação que a banda tem com o público durante a apresentação, conseguindo fazer os presentes pularem até em músicas mais lentas.

Então vem “Como se Sente”, “Como Devia Estar”, “Ressurreição”, Algum Dia”, “Melhor do Que Ontem”, “Olhos Vermelhos” e as clássicas “Belos e Malditos” e “Música Urbana”. Então chega o momento de relembrar a banda Aborto Elétrico, que quando acabou teve suas composições divididas entre Capital Inicial e Legião Urbana. “Veraneio Vascaína”, “Geração Coca Cola”, “Que País é Esse” e “Fátima” com certeza trouxeram um sentimento de nostalgia nos mais antigos que curtiram as décadas de oitenta e noventa.

Na sequência, fazem um cover de Raimundos, tocando “Mulher de Fases”, e logo após “Natasha” e “A Sua Maneira”. A banda então se despede e sai do palco.

A espera foi pequena, Dinho volta ao palco sozinho e diz que iria começar “o segundo ato”. Então convida Thiago Castanho (Violão e guitarra) ao palco e executam “Coração Vazio”, e na sequência mais dois covers, desta vez de Charlie Brown Jr com “Só os Loucos Sabem” e “Me Encontra”. Thiago se despede, a banda volta ao palco e vem então “Cristo Redentor” e mais um cover, desta vez de Legião Urbana com “Tempo Perdido”. Tocam “O Mundo” e Dinho pergunta o que a plateia quer ouvir e vários gritos desordenados de muitas músicas diferentes ecoam. Ele diz escutar uma pessoa que estava bem na frente ao palco grita “Fogo”, que acaba sendo a música escolhida. Então chega a vez de “Primeiros Erros”, que encerra a apresentação do grupo.

O Citibank Hall é indiscutivelmente uma das maiores, melhores e mais conceituadas casas de “Sampa”, com estrutura invejável, localização privilegiada e muita tradição em receber grandes shows. E o Capital Inicial se fez grande no palco, demonstrando que atualmente é uma das maiores e mais conhecidas bandas do cenário nacional, conseguindo lotar a casa, tocando vários de seus hits e homenageando outros nomes do Rock.

Setlist:
1 – Respirar Você
2 – Quatro Vezes Você
3 – Independência
4 – Mais
5 – Depois da Meia Noite
6 – Eu Nunca Disse Adeus
7 – Não Olhe Pra Trás
8 – Como se Sente
9 – Como Devia Estar
10 – Ressurreição
11 – Algum Dia
12 – Melhor do que Ontem
13 – Olhos Vermelhos
14 – Belos e Malditos
15 – Música Urbana
16 – Veraneio Vascaína
17 – Geração Coca Cola
18 – Que País é Esse
19 – Fátima
20 – Mulher de Fases
21 – Natasha
22 – A sua Maneira
Bis
23 – Coração Vazio
24 – Só os Loucos Sabem
25 – Me Encontra
26 – Cristo Redentor
27 – Tempo Perdido
28 – O Mundo
29 – Fogo
30 – Primeiros Erros

Banda:
Dinho Ouro Preto (Vocais)
Yves Passarell (Guitarra)
Flávio Lemos (Baixo)
Fê Lemos (Bateria)
Banda de Apoio:
Robledo Silva (Teclados)
Fabiano Carelli (Guitarra e Violão)
Convidado:
Thiago Castanho (Violão e guitarra)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

809 acessosTitãs, Lobão, Ultraje, Legião: o Brasil era do rock há 30 anos812 acessosCapital Inicial: Banda manda recado a Michel Temer em SP0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Capital Inicial"

Malta e ColdplayMalta e Coldplay
Liderando lista de músicas mais chatas de 2014

Dinho Ouro PretoDinho Ouro Preto
Scorpions, Rory Gallagher, Uriah Heep, Iron Maiden e outros

Capital InicialCapital Inicial
"Cara, esse discurso, cara, do Dinho, cara..."

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Capital Inicial"

SonhoSonho
Os 10 palcos de shows mais desejados

Futebol e rockFutebol e rock
As paixões de Harris, McCartney, Daltrey e outros

SlipknotSlipknot
"Pastor" detecta mensagens subliminares nas capas

5000 acessosAC/DC: prostitutas revelam as esquisitices de Phil Rudd5000 acessosAC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de Angus5000 acessosO trágico acidente que vitimou o Lynyrd Skynyrd5000 acessosHalestorm: sexo e rock'n'roll caminham de mãos dadas5000 acessosPaul Está Morto? O maior boato da história do rock.5000 acessosChris Impellitteri: mensagem desaforada para o Kiss

Sobre Tom Macedo

Mineiro, Tom Macedo foi para São Paulo ainda pequeno. Com sete anos de idade, ganha de um colega da primeira série uma fita K7. A fita em questão era Seventh Son of a Seventh Son do Iron Maiden, e o pequeno garoto se apaixona pelo estilo musical até então desconhecido. Hoje, Tom é guitarrista e compositor de uma banda, é fanático por Kiss e diferente de todos em São Paulo, adora um congestionamento só para ter mais tempo de escutar o bom e velho Rock and Roll.

Mais matérias de Tom Macedo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online