Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemO dia que Serguei fez um react do clipe de "Recomeçar", o hit do Restart

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"

imagem"Metal Tour Of The Year" chega ao fim e Megadeth agradece bandas participantes

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden tocou no primeiro show de 2022


Paul McCartney: em Belo Horizonte "o trem foi bão demais"

Resenha - Paul McCartney (Belo Horizonte, Mineirão, 04/05/2013)

Por Luiz Figueiredo
Em 06/05/13

Paul McCartney falou "Uai!" de frente para o completamente lotado Mineirão e definiu a sensação de tocar pela primeira vez em BH como um "trem bão". Não foi nada forçado! Era visível em sua expressão uma alegria sincera. Com essa troca de afeto entre artista e público, começa uma longa viagem pela carreira deste que mudou o mundo da música com os Beatles e está há 56 anos subindo em palcos, desde que se uniu à banda de John Lennon: os Quarrymen.

Fotos: Marcos Hermes

Logo na chegada ao estádio Mineirão, o que se via eram filas de centenas de metros, uma num sentido, outra em outro sentido... eram umas três filas diferentes. Algumas pessoas entravam em uma fila sem saber pra onde ela ia e outras buscavam informação. Os orientadores não tinham informações precisas para todas as perguntas, então quem chegava precisava se preparar para andar muito em busca de respostas ou do final da fila.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O trânsito nas principais vias do entorno do estádio estava completamente travado e os estacionamentos próximos cobravam em torno de 30 reais. A PM fazia segurança nas ruas ermas próximas ao redor do estádio.

Após encarar as filas - completamente normais num evento com mais de 50 mil pessoas, a sinalização para guiar os espectadores era bem completa e, na esplanada, havia muitas pessoas trabalhando para dar orientação para acesso ao interior do estádio.

Em termos de trânsito, a saída seria ainda pior. Mesmo com as obras feitas para melhorar o acesso da Av. Antônio Carlos à Av. Abrahão Caram o trânsito não anda no cruzamento. Na saída, quem desce a Av. Abrahão Caram e pega a Av. Antônio Carlos no sentido Centro precisa esperar o sinal abrir. Assim como acontecia antigamente. Na orla da Lagoa e no acesso à Avenida Carlos Luz, trânsito também completamente parado. A preparação do estádio e da região para os jogos das Copas do Mundo e das Confederações não serviu para melhorar em nada o trânsito. Transporte público? Isso simplesmente não existe.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O show

Pontualmente, às 21h30, a espera acabou e Paul McCartney subiu ao palco e já mandou a dançante e divertida 'Eight Days a Week' para o Mineirão inteiro explodir em êxtase. Depois da segunda da noite 'Junior's Farm', Paul cumprimentou os mineiros pela primeira vez com palavras. Nada de 'Good evening' ou um "Hello Belo 'Rorizonte'" cheio de sotaque, as palavras dele foram "Boa noite, povo bão". A certeza: ele já é mineiro com dois dias de estadia em BH. Depois das belas palavras, outra dançante dos tempos de Beatles no Ed Sullivan Show: 'All my loving'. "Essa guitarra foi usada na gravação original desta música" falou ao anunciar a canção 'Paperback Writer' de 1966.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um show cheio também de dedicatórias. Sentado em seu piano, dedicou 'My Valentine' à esposa Nancy - ela estava no Mineirão. Linda McCartney foi homenageada em 'Maybe I´m Amazed', John Lennon e George Harrison foram lembrados em 'Here Today' e 'Something', respectivamente. Durante a lenta e belíssima 'Here Today' foi impressionante o silêncio que tomou conta de um Mineirão atento a cada instante da performance de Paul e sua banda. Em 'Something' os versos "I don't know, I... don't know" foram cantados em uníssono com o público. Paul usou um cavaquinho durante esta música.

Paul toca guitarra, piano, cavaquinho e baixo durante o show. Sua banda também é bem versátil. O baterista Abe Laboriel Jr. é um 'figuraça'. Ele toca baixo, faz dancinhas e 'backin vocals' muito bem executados. O guitarrista loiro Brian Ray também toca baixo em determinadas partes do show. Apenas o guitarrista Rusty Anderson se mantém fiel ao instrumento de seis cordas durante todo o concerto.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em meio a grandes clássicos dos Beatles, uma interrupção no som deixa o público sem entender o que está acontecendo. A banda parece nem notar e continua tocando. A falha dura cerca de 5 segundos durante 'Obla di obla da'. Quem está na pista premium consegue ouvir o som do retorno apenas. Durante 'Band on the Run', que veio logo em seguida, nova falha, desta vez um pouco mais longa. Mas o show não parou e novas interrupções não voltaram a acontecer. Problema resolvido rapidamente, para começar a parte final do show.

Clássicos atrás de clássicos. Após a agitada 'Back in the URSS', a parte mais bonita do show com 'Let It Be'. O estádio inteiro acende luzes de celular e deixa o Mineirão ainda mais bonito. Não dava pra saber se era melhor olhar para o palco ou para a multidão, pois o show acontecia no estádio inteiro. Depois do momento emocionante, a explosão de 'Live and Let Die' na sequência Paul emendou 'Hey Jude'. Incansável, o eterno Beatle de 70 anos só fez a primeira pausa depois da 30ª música. Na volta, ele trouxe uma grande bandeira do Brasil e o seu tecladista veio atrás com uma bandeira do Reino Unido. Ainda tinha tempo para mais seis músicas e também para homenagear no palco quatro meninas da campanha "Paul, vem falar UAI!". Elas tiveram o provilégio de estar lado a lado com o astro no palco. Paul simpático perguntou o nome de cada uma e deu um autógrafo em cada uma delas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O show acabou com Paul perguntando se estávamos "ready for rock" para mandar 'Get back', 'Yesterday', sozinho no palco, 'Helter Skelter' e a última foi 'Golden Slumbers'. O sol se pondo no telão anunciou o fim daquela festa inesquecível.

Um show desta grandeza, não termina logo após o "boa noite" de Paul McCartney - talvez ele nunca termine na cabeça dos fãs mais dedicados. A repercussão nas redes sociais dura muitos dias. Pessoas elogiando a produção e outras criticando duramente alguns problemas. A atuação da 'Nó de Rosa' neste momento é admirável. A produtora, acostumada a fazer grandes espetáculos em Belo Horizonte (Ozzy Osbourne, Guns N' Roses, Iron Maiden, BH Music Station, entre outros), responde a cada uma das críticas feitas pelo facebook. Ao análisar as postagens de reclamações, de elogios e de respostas da produtora, fica a impressão de que a Nó de Rosa se preparou para o trabalho no Mineirão e deu a estrutura necessária para a realização do concerto, mas os mesmos problemas dos jogos no Mineirão voltaram a acontecer.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Leia algumas respostas da produtora sobre os problemas relatados:

Filas nos bares e banheiros:
"Devemos esclarecer que todos os bares do Mineirão funcionaram. Para atender ao público de pista, foram colocados bares em toda a extensão do gramado, além de 200 banheiros químicos. É o que permitia o espaço físico do local. Esperamos que compreenda."

Pessoas sem lugar para se sentar:
"Não houve overbooking. O que aconteceu é que as pessoas de um setor começaram a desrespeitar o limite do espaço e "invadiram" o espaço de outro setor. Infelizmente, houve gente ocupando indevidamente o lugar dos outros, o que, para nós, é uma atitude de desrespeito."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Equipe de orientadores:
"A produção treinou e colocou à disposição do público 200 pessoas de apoio ("Posso ajudar?"). Todos foram treinados para orientar o público em questões como localização dos setores e acessibilidade. É claro que elas não tinham respostas para todas as questões envolvendo uma produção desse tipo. Por exemplo: foram muitos os casos em que pessoas com deficiência não informaram à produção dessa situação na hora da compra do ingresso e, por isso, tiveram problemas de acessibilidade."

Sobre o som interrompido:
"Devemos esclarecer que não houve queda de energia, o que aconteceu foi que o nobreak da mesa de som de Paul McCartney queimou, mas esse problema foi imediatamente resolvido com uma rápida troca de aparelho."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Setlist da apresentação de Paul McCartney em Belo Horizonte
01 Eight Days a Week (Beatles)
02 Junior Farm
03 All my Loving
04 Listen to What The Man Said
05 Let Me Roll It
06 Paperback Writer
07 My Valentine
08 1985
09 Long and Winding Road
10 Maybe I´m Amazed
11 Hope of Deliverance
12 We Can Work it Out
13 Another Day
14 And I love Her
15 Blackbird
16 Here Today
17 Mother should know
18 Lady Madonna
19 All Together Now
20 Mrs Vanderbilt
21 Eleanor Rigby
22 Mr. Kite
23 Something
24 Obla Di Obla Da
25 Band on the Run
26 Hi hi hi
27 Back in the USRR
28 Let It Be
29 Live and Let Die
30 Hey Jude
31 Day Tripper
32 Lovely Rita
33 Get Back
34 Yesterday
35 Helter Skelter
36 Golden Slumbers

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mais questões abordadas pela produção:
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=563910190320464&set=a.351278724916946.82507.350035678374584&type=1

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Paul McCartney (Belo Horizonte, Mineirão, 04/05/2013)

Resenha - Paul McCartney (Belo Horizonte, Mineirão, 04/05/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Paul McCartney: como ele consegue falar tão bem o português?



Sobre Luiz Figueiredo

Sem descrição cadastrada.

Mais matérias de Luiz Figueiredo.