Almah: relato da apresentação da banda em Campinas

Resenha - Almah (Sebastian Bar, Campinas, 30/10/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Monica Fontes
Enviar Correções  

Dando continuidade à "Motion Tour", o Almah se apresentou em Campinas/SP no último domingo para um público ansioso por ouvir as novas músicas ao vivo. Lançado em setembro deste ano no Brasil e em outubro no restante do mundo, "Motion" tem recebido excelentes reviews da mídia especializada nacional e também do exterior, sendo que aqui o disco já se encontra entre os mais vendidos.

Indústria: 17 coisas que bandas novas simplesmente não entendem

Iron Maiden: os fãs mais insuportáveis em lista da MTV

O show foi iniciado com a banda local HeptaH, cujos guitarristas também são responsáveis pelos vocais do grupo. Com uma pegada variando entre o progressivo e o tradicional, além de alguns guturais, a apresentação foi um bom aquecimento para o que viria a seguir.

O Almah subiu ao palco e começou o show com "Hypnotized", faixa de abertura do "Motion". É importante ressaltar que nesse início de turnê, a banda conta com o guitarrista Ian Bemolator, do Dark Avenger, em substituição a Paulo Schroeber, que encontra-se em recuperação após um problema cardíaco.

O show seguiu com "Beyond Tomorrow", do "Fragile Equality", "Children Of Lies", do "Almah", e mais uma do "Motion" – "Bullets On The Altar", que vem sendo muito bem aceita pelo público e considerada uma das melhores do novo disco. Composta por Edu Falaschi, a letra fala sobre a chacina em um colégio do Rio de Janeiro onde doze crianças foram assassinadas por um fanático religioso, que suicidou-se logo depois. Com uma linda melodia, a música chama a atenção para a linha tênue entre a fé e o fanatismo.

Em seguida foi a vez de "Zombies Dictator", também do "Motion", que contou com a participação de Victor Cutrale, vocalista da banda Furia Inc., no vocal gutural. Victor participou da gravação do álbum e do show na noite anterior, em São Paulo. A banda continuou com "Fragile Equality" e "Late Night In ‘85" que Edu Falaschi compôs em tributo a seu pai, falecido naquele ano.

O show prosseguiu com o grupo intercalando músicas de seus três álbuns, tocando o "Motion" quase na íntegra - faltando somente "Daydream Lucidity" e "Soul Alight", e encerrando com "Torn", considerada por muitos como a melhor faixa do "Fragile Equality".

Sempre interagindo com os fãs, seja no palco ou fora dele, após o show o grupo atendeu a todos que esperavam por fotos, autógrafos, e algumas palavras com seus ídolos.

Com uma empolgação e desempenho inquestionáveis, e muito entrosados, definitivamente o Almah se firma como uma das melhores bandas da atualidade onde Edu Falaschi mostra todo o seu potencial, cantando com liberdade, segurança, e provando porque é considerado um dos melhores vocalistas do gênero e respeitado no mundo inteiro. Formado por músicos consagrados que dispensam apresentações, o Almah está pronto para alçar voos maiores.

Line Up:
Edu Falaschi – Vocal
Marcelo Barbosa – Guitarra
Ian Bemolator – Guitarra (Em substituição temporária a Paulo Schroeber)
Felipe Andreoli – Baixo
Marcelo Moreira - Bateria

Set List:
Hypnotized
Beyond Tomorrow
Children Of Lies
Bullets On The Altar
Zombies Dictator
Fragile Equality
Late Night In '85
You'll Understand
Breathe
Days Of The New
Birds Of Prey
When And Why
Living And Drifting
King
Trace Of Trait
Torn

http://www.reverbnation.com/heptah
http://www.reverbnation.com/almah

Trace Of Trait

Late Night In ’85




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Indústria: 17 coisas que bandas novas simplesmente não entendemIndústria
17 coisas que bandas novas simplesmente não entendem

Iron Maiden: os fãs mais insuportáveis em lista da MTVIron Maiden
Os fãs mais insuportáveis em lista da MTV


Sobre Monica Fontes

Mônica Fontes - Carioca, nascida em 1968, vive no Rio de Janeiro e é tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por música, leitura e cinema, começou a ouvir rock aos 13 anos, já tendo presenciado grandes shows e eventos desse gênero. Além do rock, também se interessa por outros estilos, como o Pop e MPB. Led Zeppelin, Deep Purple, Black Sabbath, Pink Floyd, U2 e Guns N'Roses são algumas de suas bandas preferidas, sem deixar de prestigiar as excelentes bandas e artistas nacionais. Acessa o Whiplash há alguns anos e começou a colaborar por gostar de traduzir os diversos assuntos relacionados no site.

Mais matérias de Monica Fontes no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin