Aerosmith: Quase duas horas de Hard Rock em São Paulo

Resenha - Aerosmith (Arena Anhembi, São Paulo, 30/10/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.









Esse ano de 2011 tem sido realmente especial quando o assunto é show internacional em terras brasileiras. Além de grandes festivais, como o Rock In Rio e o SWU que está por vir, tivemos bandas que nos visitaram pela primeira vez, como MÖTLEY CRÜE, ACCEPT e MACHINE HEAD.

Fotos: Rafael Koch Rossi

Ficou claro também que o Brasil entrou definitivamente na rota de shows da maioria das bandas de Rock e muitas delas têm se tornado “figura carimbada” por aqui. Esse é o caso do AEROSMITH, que nos últimos anos veio ao país em 2007 e 2010, retornando agora em 2011 para apresentação única em São Paulo.

Marcado para 20hs, as luzes se apagaram somente às 20:15h, quando a canção de ópera “Cavalgada das Valquírias” (do compositor Richard Wagner) começou a ser tocada, para logo depois ser interrompida por um curto vídeo que se encerrou com o logotipo do AEROSMITH no telão.

Pronto, os fãs presentes sabiam que estava para começar mais um concerto desse verdadeiro mostro do Hard Rock, que é o grupo AEROSMITH. Com Steven Tyler e Joe Perry surgindo bem próximos do público, em uma extensão central do palco, “Draw The Line” deu o tom do que viria adiante: uma noite de muito Hard Rock.

Embora tivesse chovido bastante antes do show começar, parecia que teríamos uma trégua de São Pedro quando o AEROSMITH subiu ao palco. Mas foi só impressão mesmo, pois logo na primeira canção da noite a chuva começou forte, fazendo com que boa parte dos presentes recorresse às capas plásticas (aquelas que aumentam consideravelmente de preço à medida que a chuva se aproxima).

E não teve jeito, praticamente o show inteiro aconteceu debaixo d´água, embora nem o público nem os músicos tenham se importado com isso: Tyler e Perry circularam pelo palco como se não estivesse chovendo.

Com um set list bastante diferente do último show realizado por aqui, o AEROSMITH trouxe a São Paulo muitos clássicos tocados em seus primeiros álbuns, lançados na década de 70, como a ótima “Mama Kin”, “Last Child” e ainda “Combination”, cantada pelo guitarrista Joe Perry, música que não tinha sido tocada nos shows anteriormente realizados na América do Sul.

Apesar de todos os contratempos vividos por Steven Tyler nos últimos dias – problemas com sua voz no Peru, intoxicação alimentar e desmaio no Paraguai, com direito a marcas no rosto e dentes quebrados – o vocalista mostrou que é um excelente “frontman” e sabe como ninguém comandar um show de Rock. Carismático, simpático e performático, soltou a voz aos 63 anos e não teve chuva que o segurasse.

Além de fazer suas tradicionais caras e bocas para as câmeras, ainda proporcionou momentos hilários, como quando anunciou “Sweet Emotion”, mas na verdade a música a ser tocada era “Amazing”.

Os telões traziam as imagens dos músicos e ainda trechos de clipes, fotos da banda e vídeos com muitas cores, contribuindo para deixar o espetáculo mais bonito. O público se dividia entre aqueles fãs mais antigos e aqueles que certamente estavam no Anhembi para curtir sucessos mais comerciais da década de 90, como “Cryin’” e “I Don´t Want to Miss a Thing”.

O set list variado acabou por agradar a todos, com direito a duas surpresas. Embora o show inicialmente tenha se encerrado com “Sweet Emotion” e um bis de três canções até o fechamento com “Walk This Way”, os brasileiros foram privilegiados.

Eram muitas as faixas e cartazes com o nome da canção “Angel” e Tyler falou ao microfone: “vocês querem ‘Angel’?” Todos queriam e a música foi então tocada, surpreendendo a todos, afinal nas últimas três apresentações da banda na América do Sul o show havia sido mesmo finalizado com “Walk This Way” e o próprio vocalista anunciou que “Angel” não era tocada há 5 anos pela banda.

Mas não foi só isso. Teve mais. O AEROSMITH ainda tocou “Train Kept-A-Rollin’”, um blues originalmente composto por Tiny Bradshaw, Howard Kay e Lois Mann, gravado no segundo álbum lançado pelo grupo, “Get Your Wings”, em 1974.

Ao final, com quase duas horas de show, Tyler finalizou a noite com a apresentação de todos os músicos da banda e foi também apresentado por Joe Perry, que o anunciou como o “The Demon Of Screaming”, para depois saudar o público e agradecer a presença de todos ao show.

Nós é que agradecemos, por mais esse show inesquecível. Agora é recorrer às fotos, matérias e vídeos para recordar essa marcante passagem da banda pela “terra da garoa”, como é conhecida a cidade de São Paulo, torcendo para que o AEROSMITH não demore a voltar como tem acontecido nos últimos anos.

Agradecimentos a Guilherme Oliveira (T4F) pela atenção e credenciamento. Fotos gentilmente cedidas pela Time For Fun.

Banda:
Steven Tyler – vocal
Tom Hamilton – baixo
Joey Kramer – bateria
Joe Perry – guitarra
Brad Whitford – guitarra
Russ Irwin - teclado

Set List:
01. Draw The Line
02. Same Old Song And Dance
03. Mama Kin
04. Janie’s Got A Gun
05. Livin’ On The Edge
-Solo de bateria-
06. Rag Doll
07. Amazing
08. What It Takes
09. Last Child
10. Combination
11. I Don’t Want To Miss A Thing
12. Cryin’
13. Sweet Emotion
-Bis-
14. Dream On
15. Love In An Elevator
16. Walk This Way
-Bis 2-
17. Angel
18. Train Kept-A-Rollin’

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Aerosmith (Arena Anhembi, São Paulo, 30/10/2011)

3413 acessosAerosmith: resenha da apresentação de 30/10 em São Paulo

São Paulo TripSão Paulo Trip
Veja vídeo de divulgação oficial do festival

801 acessosAerosmith: Joe Perry promete novo disco mais coeso que o anterior0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Aerosmith"

Por poucoPor pouco
15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhor

Total GuitarTotal Guitar
Os melhores e piores covers da história

VH1VH1
As 100 melhores músicas de hard rock

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 31 de outubro de 2011
Post de 30 de outubro de 2016

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Aerosmith"

Collectors RoomCollectors Room
A coleção de Gastão Moreira, ex-VJ do programa Fúria Metal

BurzumBurzum
A polêmica história e filosofia de Varg Vikernes

Sua Banda Favorita Fez Merda?Sua Banda Favorita Fez Merda?
Deixe de ser otário e reconheça

5000 acessosDave Mustaine: o que ele acha da declaração de Kirk Hammett sobre sua saída?5000 acessosMotorhead: Lemmy manda a real sobre os terroristas de Paris5000 acessosWikimetal: Seis motivos para gargalhar ouvindo Heavy Metal3010 acessosLed Zeppelin: Pole Dance ao som de "I Can't Quit You Baby"4864 acessosMetal Descabaçation: Max Cavalera fala de suas "primeiras vezes"5000 acessosLos Hermanos: Quem é a musa Ana Júlia da música?

Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online