Bad Religion: trinta anos e show inesquecível em SP

Resenha - Bad Religion (Via Funchal, São Paulo, 13/10/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Durr Campos
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Bad Religion é daqueles raros casos no rock em que praticamente todas as “tribos” dentro deste estilo musical apreciam. O quinteto de Los Angeles está completando 30 anos de história e não poderia escolher forma melhor para comemorar senão na estrada, junto aos fãs. Nesta quinta-feira, dia 13 de outubro, foi a vez do Via Funchal, na capital paulista, receber a banda para um show memorável repleto de clássicos.

2109 acessosBad Religion: banda volta ao Brasil em novembro5000 acessosEmos: 23 músicas que já estiveram na sua playlist

Texto: Durr Campos/ Fotos: Leandro Anhelli (www.anhelli.com.br)

Estranhei o pouco público quando cheguei, mas em questão de minutos a casa já estava quase lotada. Nada mal para uma noite chuvosa em meio de semana. Não houve banda de abertura, mas a atração principal só iniciou seu show cerca de duas horas após a abertura dos portões. Assim que os músicos foram surgindo a euforia tomava proporções inacreditáveis. Os gringos mal acreditavam mesmo esta tendo sido sua sétima visita ao Brasil (nota do redator: A primeira aconteceu em 1996, quando se apresentaram no extinto Close-Up Festival junto aos Sex Pistols). Atualmente, estão na banda três integrantes da formação original: o antropólogo, geólogo, Ph.D. e, logicamente, vocalista Greg Graffin, o guitarrista Brett Gurewitz e o baixista Jay Bentley. Mas é interessante destacar também o guitarrista Greg Hetson, que ingressou na banda em 1984 e lá permanece.

O set-list abrangeu praticamente toda a discografia e até mesmo as canções do recente The Dissent of Man (2010), a exemplo das ótimas “The Resist Stance”, que iniciou a noite, e “Wrong Way Kids”, caíram nas graças do povo e foram cantadas letra a letra. Greg, simpático como sempre, teve a plateia nas mãos durantes os aproximadamente 90 minutos de concerto. O Bad Religion possui tantos coringas que poderia ter feito um show com o dobro do tempo e mesmo assim ainda faltaria uma imensa lista de hits. “Social Suicide”, “21st Century Boy”, “Los Angeles is Burning” e “Sinister Rouge” estão aí para comprovar o que vos escrevi logo acima.

Com mais de 15 álbuns de estúdio lançados em sua carreira, selecionar o repertório não deve ser das tarefas mais fáceis para o Bad Religion. Felizmente, este grande nome do punk mundial entendeu que em nosso país o “bicho pega” pra valer e rechearam sua apresentação de canções super especiais. A belíssima “Before You Die” e uma de minhas favoritas deles, a poderosa “Do What You Want”, deram continuidade e podia-se ouvir o Via Funchal cantando em uníssono.

Em seguida, um fato muito interessante: um rapaz trajando uma camiseta com os dizeres “por favor, me deixem cantar ‘Modern Man’ com vocês” (ou algo assim), o que foi prontamente atendido. Resultado, o sortudo soltou o gogó em frente a milhares de fãs, fez bonito e impressionou a banda, que não conseguia esconder sua satisfação. A dileta pessoa ainda realizou um stage diving para então retornar aos seus amigos no meio da multidão. “Fuck Armageddon... This is Hell”, única do debut, How Could Hell Be Any Worse (1982), encerrou o set regular.

O bis não demorou a acontecer e não trouxe surpresas em relação aos shows já relizados nesta “perna” da tour. “American Jesus”, talvez sua obra mais conhecida, passando pelas não menos importantes “Infected” e “Sorrow”, as quais encerraram com maestria uma apresentação para jamais ser esquecida.

Set-list:

1. Resist Stance
2. Social Suicide
3. 21st Century (Digital Boy)
4. Los Angeles Is Burning
5. Wrong Way Kids
6. Overture
7. Sinister Rouge
8. I Want to Conquer the World
9. Come Join Us
10. New Dark Ages
11. Atomic Garden
12. Before You Die
13. Recipe For Hate
14. Do What You Want
15. You
16. Modern Man
17. Generator
18. The Defense
19. Let Them Eat War
20. No Control
21. Anesthesia
22. Along the Way
23. Fuck Armageddon... This Is Hell

Encore

24. American Jesus
25. Infected
26. Sorrow

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 14 de outubro de 2011

Bad ReligionBad Religion
Banda volta ao Brasil em novembro

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Bad Religion"

Punk RockPunk Rock
Site lista os discos mais representativos da história do estilo

Vai-e-vemVai-e-vem
O troca-troca entre Bad Religion e Avenged Sevenfold

Punk RockPunk Rock
21 logos conhecidos e suas histórias

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Bad Religion"

EmosEmos
23 músicas que já estiveram na sua playlist

Dave NavarroDave Navarro
Conheça a filha atriz pornô do músico

Andreas KisserAndreas Kisser
"Eloy Casagrande talvez não seja humano"

5000 acessosChris Cornell: relatório policial descreve últimas horas e morte5000 acessosHeavy Metal: "um conforto para os jovens brilhantes"5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19815000 acessosLamb of God: recebendo elogios de Metallica, Slash e Slipknot5000 acessosRock In Rio: E se no festival só tocasse rock?5000 acessosRobert Plant: Veja o vocalista em dueto com o apresentador Jimmy Fallon

Sobre Durr Campos

Graduado em Jornalismo, o autor já atuou em diversos segmentos de sua área, mas a paixão pela música que tanto ama sempre falou mais alto e lá foi ele se aventurar pela Europa, onde reside atualmente e possui família. Lendo seus diversos artigos, reviews e traduções publicados aqui no site, pode-se ter uma ideia do leque de estilos que fazem sua cabeça. Como costuma dizer, não vê problema algum em colocar para tocar Napalm Death, seguido de algo do New Order ou Depeche Mode, daí viajar com Deep Purple, bailar com Journey, dar um tapa na Bay Area e finalizar o dia com alguma coisa do ABBA ou Impetigo.

Mais matérias de Durr Campos no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online