Iron Maidens: Clássicos executados por cinco mulheres bonitas e simpát

Resenha - Iron Maidens (Estúdio Emme, São Paulo, 18/06/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar Correções  












Show do IRON MAIDEN de novo em 2011? Em um palco instalado ao lado de uma loja de roupas femininas? Seria um fato totalmente improvável, se não fosse pela letra "S" ao final do nome da banda. Não foi exatamente mais um show deste ícone do Metal mundial, mas sim do cover feminino da banda original, batizado de THE IRON MAIDENS, que veio pela primeira vez ao Brasil, em um ano que os ídolos das garotas já tocaram no país (o IRON MAIDEN passou por aqui em março).

Fotos por Luciano Piantonni

Se não era o grupo original, o IRON MAIDEN, pelo menos alguns clássicos da carreira da banda foram executados e o público pôde acompanhar as meninas do IRON MAIDENS interpretando essas canções.

E tudo começou na hora marcada (21:15h), quando as luzes se apagaram. Antes, para esquentar o público, a banda nacional METAL ATTACK tocou por cerca de 40 minutos músicas de grupos de Metal e Hard Rock dos anos 80, como JUDAS PRIEST, DIO, W.A.S.P., dentre outros.

Com "Aces High", seguida de "2 Minutes To Midnight", o grupo feminino deu início à sua terceira apresentação no Brasil na semana e iniciou a noite de homenagem a este grande nome do Metal mundial.

Em cena, apesar de o palco do Estúdio Emme ser obviamente menor do que aqueles por onde o IRON MAIDEN costuma tocar, as garotas não se intimidaram e, além da música, mostraram um pouco da parte teatral inspirada nos seus ídolos, sem contar os muitos apetrechos que enfeitam o show: um busto do mascote Eddie, em versão feminina, com cabelo comprido e colares; bandeiras com os logos da banda, em clara alusão aos símbolos do IRON MAIDEN, entre outros apetrechos.

Já na terceira canção da noite, um boneco do Eddie apareceu durante a execução de "Wasted Years", para brincar com as garotas. E por aí vai. Teve fumaça, bandeira do Brasil em "The Trooper" e até uma versão da Besta ("Beast") durante a canção "The Number Of The Beast", quando a fera se juntou às belas "Donzelas de Ferro" no palco.

O público não era grande e o Estúdio Emme não ficou lotado. Mas os presentes claramente curtiram ouvir as sempre ovacionadas músicas do IRON MAIDEN, bem interpretadas por cinco mulheres simpáticas e bonitas (algumas nem tanto, mas compensavam com simpatia). Não é algo comum de se ver e certamente foi isso que despertou o interesse de muitos dos presentes.

Com exceção da guitarrista Satomi, todas as integrantes têm nomes fictícios, tudo para manter fidelidade máxima ao grupo que as inspirou (vide nomes abaixo). A vocalista Kirsten consegue dar conta do recado quando se trata de interpretar as canções, tem presença de palco e interagiu bastante com o público, arriscando algumas palavras em um arranhado português.

As guitarristas Courtney e Satomi, embora ainda não pareçam totalmente entrosadas, também se saíram bem e são totalmente diferentes quando o negócio é usar e abusar dos dotes físicos: enquanto a magrinha Satomi é a mais nova integrante da banda e ainda um pouco tímida, Courtney é, de longe, a mais ousada e exibida, com seu decote à mostra, sua guitarra verde e sua calça justa. Prato cheio para muitos fãs que entre um refrão e outro gritavam "gostosa", "tira tudo" etc.

A sorridente Wanda fez bem o papel de Steve Harris e contou com o ótimo ajuste do som, pois seu baixo estava perfeitamente audível. Assim como o som da bateria da não menos importante Linda, que é ex-integrante do grupo feminino PHANTOM BLUE e a única remanescente da primeira formação do IRON MAIDENS.

Se no começo as garotas ainda estavam um pouco frias e a apresentação demorou algumas faixas iniciais para esquentar, ao final de quase 1 hora e 40 minutos de show, a banda estava se "sentindo em casa" e o show terminou em grande estilo, com a vocalista perguntando a todos os presentes se gostariam de mais uma canção da "maior banda de Metal de todas", segundo suas palavras.

A resposta foi um sonoro "sim" e "Run To The Hills" fechou a noite de tributo feminino ao IRON MAIDEN.

É claro que o fato de serem cinco mulheres bonitas e simpáticas ajuda. E muito. Mas, musicalmente, as garotas mandam bem em cima do palco e fazem boas interpretações das imortalizadas canções de uma lenda do Metal. Tanto que o IRON MAIDEN já aprovou oficialmente o cover e isso ajuda a tornar a banda ainda mais conhecida, despertando o interesse dos fãs da Donzela mundo afora.

Agradecimentos a Costábile Salzano Jr. pela atenção e credenciamento. Fotos gentilmente cedidas por The Ultimate Music.

Banda:
Kirsten "Bruce Chickinson" Rosenberg (vocal)
Courtney "Adriana Smith" Cox (guitarra)
Satomi Suzuki (guitarra)
Wanda "Steph Harris" Ortiz (baixo)
Linda "Nikki McBurrain" McDonald (bateria)

Set List:
Aces High
2 Minutes to Midnight
Wasted Years
Die With Your Boots On
The Wicker Man
Flight of Icarus
Killers
Caught Somewhere in Time
Wrathchild
22 Acacia Avenue
The Trooper
The Number of the Beast
Phantom of the Opera
Moonchild
The Evil That Men Do
Run to the Hills



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Black Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela bandaBlack Sabbath
A passagem de Ian Gillan pela banda

Dr. Sin: Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis TadeuDr. Sin
Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis Tadeu


Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.