Iron Maiden: Grande show da banda em Recife/Olinda

Resenha - Iron Maiden (Centro de Convenções, Olinda, 03/04/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Márcio "Colombia" Medeiros, Fonte: Tenho Mais Discos Que Amigos!
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Depois de uma caminhada de 15 minutos da parada de ônibus até a entrada do local do show e uma espera de mais uns 30 minutos observando o movimento no local, onde muitos fãs tiravam fotos do banner na entrada, que tinha os dizeres “Bem-vindo ao show da banda mais devastadora do planeta!”, entrei na área externa do Centro de Convenções de Pernambuco às 17h30. A movimentação dentro do local do show já era muito boa. Os portões foram abertos às 16h e boa parte do público já estava guardando o lugar para o show, que só começaria às 20h. Era mais uma noite produzida pela Raio Lazer.

838 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores5000 acessosLed Zeppelin: "Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

Em um show de uma banda com mais de 30 anos de carreira, como o IRON MAIDEN, é um clichê descrever que havia famílias circulando. Duas gerações e até mesmo três gerações juntas para assistir ao espetáculo da noite. O público era formado também por gente do interior do estado e de todo o nordeste, visto que a apresentação da banda era única na região.

Com 15 minutos de antecedência, às 18h45, a banda de abertura, a pernambucana TERRA PRIMA, subiu ao palco para empolgar o público que já se aglomerava junto à grade e aquecer os fãs da Donzela de Ferro. Com o pouco tempo destinado para o show, 30 minutos, a banda já chegou executando “A Time To Fly” e logo em seguida “Rage”. Com uma sonoridade que lembra muito Angra e até mesmo Dream Theater, a banda TERRA PRIMA agradeceu o público, a produção e ao IRON MAIDEN por aquela noite. “Await The Story’s End” e “Life Carries On” foram tocadas para uma aglomeração cada vez maior, visto que o show principal se aproximava. Para finalizar o vocalista Daniel Pinho pediu a ajuda do público na última canção. Quando as primeiras notas do riff de “Enter Sandman” do METALLICA começaram, a vibração foi geral. Assim a TERRA PRIMA deixou o palco às 19h20.

Cerca de 40 minutos depois, a faixa “Doctor Doctor” da banda UFO anunciava o início de mais um show do IRON MAIDEN. O público, tanto no frontstage como na pista, aguardava cada vez mais ansioso. Um dos roadies pediu que a galera gritasse antes dos panos que cobriam o palco serem retirados. O público atendeu ao pedido. O pano caiu e mostrou o palco vazio. Os telões começaram a exibir o vídeo de introdução com a faixa que abre o novo disco, “Satellite 15… The Final Frontier”. O palco começava a ser iluminado. Bruce Dickson cantava, porém nas imagens dos telões. A banda entrou no palco e continuaram a faixa com os próprios instrumentos e com o Bruce de carne e osso correndo para todos os lados.

Em seguida veio “El Dorado”, onde, assim como na primeira música, o público ajudava nos refrões. Nessa faixa já começavam os desfiles de solos dos três guitarristas. Após iniciar o show como no disco “The Final Frontier”, o sexteto fez o público cantar junto com “Two Minutes to Midnight”. Após o primeiro clássico, Adrian Smith e Dave Murray, dois dos guitarristas, saíram do palco e deixaram Bruce, Janick Gers, guitarrista, Steve Harris, baixista e Nicko McBrain, baterista, iniciarem “The Talisman”, também do mais recente trabalho. O dedilhado do violão acalmou o público no início, mas com a volta dos dois guitarristas, o peso das distorções voltou e levantou mais uma vez a platéia.

A cada música os planos de fundo iam mudando, ajudando, assim, a ambientar o momento. Antes de “Coming Home”, Bruce conversou com o público e elogiou o fato de não estar chovendo. E lembrou que era a segunda vez que a banda estava tocando ali e que estavam gravando imagens para um possível DVD e quem sabe a cidade poderia figurar no material. “Dance to Death” foi tocada e mostrando sempre um Janick muito animado do lado direito do palco e o baterista Nicko fazendo parecer fácil tocar seu instrumento. Bruce saiu de cena, o plano de fundo mudou para o Eddie carregando a bandeira do Reino Unido rasgada e Bruce ressurge carregando uma bandeira semelhante. “The Trooper” começou a ser tocada. Aparentemente um dos pontos mais altos da noite.

A todo momento Bruce repetia seu famoso grito com a cidade do show em questão, “Scream for me, Recife!”. Porém o show foi realizado em Olinda, cidade vizinha da capital pernambucana. A produção do show mudou de cidade semanas atrás. Antes seria no Jockey Clube de Pernambuco, em Recife, onde a banda tocou em 2009.

Antes das próximas músicas, Bruce pegou um aviãozinho do chão e perguntou desconfiado “Aces High? Aces High?”, em alusão a outro clássico do IRON MAIDEN. Mas não foi dessa vez que o grupo mudaria o ensaiado repertório. Em seguida vieram “The Wicker Man”, “Blood Brother”, que foi dedicada ao Japão. Mais uma vez o plano de fundo mudou e mostrou uma cidade devastada. “When The Wild Wind Blows” alterna entre momentos de calmaria e os pesos das guitarras e o baixo de Steve Harris. São 11 minutos de música, a última do novo disco. “The Evil That Men Do”, “Fear Of The Dark” e “Iron Maiden” fecharam a primeira parte do set antes da saída da banda. Um Eddie de 3 metros de altura circulou pelo palco durante a música que dá nome à banda.

A famosa narração do livro de Apocalipse da Bíblia fez com que o público voltasse a gritar. A banda voltou com “The Number of The Beast”. Em seguida foi a vez de “Hallowed Be Thy Name” e por fim “Running Free”, onde a canção é finalizada com Bruce apresentando toda a banda e agradecendo mais uma vez por aquela noite, às 22h em ponto. Os mais de 14 mil presentes também agradeceram e esperam que a cidade seja lembrada nas próximas turnês.

TERRA PRIMA

Após encerrar o show de abertura, João Nogueira, tecladista da banda TERRA PRIMA, desceu para o frontstage para acompanhar o IRON MAIDEN. Conversei rapidamente com ele sobre como surgiu a oportunidade de abrir o show. João disse que não ficou muito por dentro do processo pois ele mora em Boston e veio apenas para o show. “Eu fiquei por fora disso aí. Quando eu vi foi meio surpresa assim. Os caras já anunciaram que a gente vai abrir pro IRON MAIDEN. Ai já me ligaram. O baixista ajeitou as passagens, eu vim e cheguei na sexta-feira e já volto amanhã”.

Sobre o show de sua banda João comentou que estava muito ansioso pra tocar pois era para o público do IRON MAIDEN. “Não tenho nem como descrever. Foi muita emoção!”, disse o músico. Apesar de não poder ter falado com os membros do grupo inglês, João disse que deu pelo menos pra ver pelo backstage e disse que eles são bem reservados e estavam se preparando para o show. Sobre o grande espetáculo da noite, João disse que era seu quarto show do IRON MAIDEN e disse que não tem como a banda não fazer um show muito bom.

Sobre o TERRA PRIMA, o tecladista disse a banda está organizando uma turnê européia para o final do ano e que até lá a banda deve fazer shows pelo Brasil e que, por conta de seus estudos em Boston, João não tem como participar deles.

Confira no link abaixo fotos e vídeos do show.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris assiste show do Metallica no Canadá

838 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores1265 acessosBruce Dickinson: voando em um bombardeiro da II Guerra Mundial0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Steve HarrisSteve Harris
Um pai mais normal do que pensam, diz filho

BlazeBlaze
A música Iron Maiden que ele mostraria pra quem não conhece Metal

Iron MaidenIron Maiden
A história por trás da música "To Tame A Land"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"0 acessosTodas as matérias sobre "Terra Prima"0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"0 acessosTodas as matérias sobre "Ufo"

Led ZeppelinLed Zeppelin
"Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

LobãoLobão
Titãs é uma "bandinha chechelenta"

Black MetalBlack Metal
O cotidiano fascinante dos fãs adolescentes

5000 acessosTrues quase infartaram: Obituary mitou ao lado de Joelma e Chimbinha5000 acessosBandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresa5000 acessosBlack Sabbath: Tony Iommi explica diferença entre Dio e Ozzy5000 acessosMichael Jackson: 10 nomes do rock que tocaram com o Rei do Pop5000 acessosMegadeth: fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeo5000 acessosGuns N' Roses: é melhor sair da sala se Axl não está feliz

Sobre Márcio "Colombia" Medeiros

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online