Blaze em Catanduva: vocalista "incendeia" Armazém do Café

Resenha - Blaze Bayley (Armazém do Café, Catanduva, 21/01/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Lucas Marinho
Enviar Correções  


O dia 22 de janeiro de 2011 entrou para a história do rock catanduvense. Nesta data, a cidade recebeu, no Armazém do Café, o vocalista de heavy metal Blaze Bayley, que passou a ser conhecido do grande público quando chegou ao posto de frontman do Iron Maiden na década de 1990.

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino

Burzum: A polêmica história e filosofia de Varg Vikernes

Após sair do Iron Maiden pela "porta dos fundos" graças à incompreensão dos fãs mais radicais e intransigentes da banda (para não dizer chatos), Bayley passou a se dedicar à carreira solo. E Catanduva foi uma das cidades que recebeu a atual turnê do vocalista inglês, chamada "Promise and Terror World Tour".

Mas, a noite de rock/metal começou com o show da banda Motordrunk (de São José do Rio Preto), que cumpriu bem a missão de preparar o público para a atração principal. No repertório, clássicos como "No More Tears" (Ozzy Osbourne), "NIB" (Black Sabbath), "Rainbow In The Dark" (Dio) e "Ace Of Spades" (Motörhead). A surpresa ficou para a execução da música "I Like It Hot", do Wolfsbane, primeira banda de Blaze Bayley. Aliás, o vocalista do Motordrunk, Sérgio Naza, dedicou a música para Blaze, que prestigiou a homenagem do camarim localizado na lateral do palco.


Encerrado o show de abertura, Blaze Bayley subiu ao palco por volta da 1 hora da manhã, acompanhado por Nico Bermudez e Jay Walsh (guitarras), David Bermudez (baixo) e Cláudio Tirincanti (bateria).

Durante toda a apresentação, Blaze Bayley mostrou uma garra invejável e grande performance vocal, apesar dos seguidos shows que havia realizado nos dias anteriores. Além disso, chamou atenção a humildade de Blaze, que passou grande parte do show "colado" ao público, que constantemente o alcançava para cumprimentá-lo.

Por outro lado, a plateia respondia com entusiasmo aos gestos e palmas de Blaze, tanto nos momentos mais pesados quanto nas passagens acústicas do show. O clima favorável empolgou o vocalista, que escalou as estruturas do palco para ficar em cima das caixas de som (veja a foto abaixo).


Em resumo: Blaze Bayley provou que tem ótimo vocal e belas composições para prender a atenção do público, sem ter que recorrer ao seu passado no Iron Maiden. Tanto que apenas três músicas de sua fase na Donzela de Ferro foram tocadas no show. Aliás, um grande show: heavy metal pesado e direto.

SET LIST

Blackmailer
Como Estais Amigo (Iron Maiden cover) (tocou apenas uma palhinha)
Smile Back at Death
Faceless
Waiting For My Life to Begin
City of Bones
Voices from the Past
Surrounded by Sadness
The Trace of Things That Have No Words
Letting Go of the World
Comfortable in Darkness
Futureal (Iron Maiden cover)
The Launch
Blood and Belief
The Clansman (Iron Maiden cover)
The Brave
Watching the Night Sky
Madness and Sorrow
The Man Who Would Not Die
Samurai
Man On The Edge (Iron Maiden cover)

Matéria postada pelo blog Gatopreto7
http://www.gatopreto7.blogspot.com/




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treinoMetal
16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino

Burzum: A polêmica história e filosofia de Varg VikernesBurzum
A polêmica história e filosofia de Varg Vikernes


Sobre Lucas Marinho

Desde que me conheço por gente amo metal, minhas principais influências desde criança foram Slayer, Terrorizer e outras toxinas mais. Sou apenas mais um explorado por políticos corruptos neste país que amo muito, apaixonado por jogos de tiro e thrash-metal. O que eu puder fazer para o metal viver em minha cidade e pelo resto do mundo farei. Afinal, se quer paz, se prepare para a guerra!

Mais matérias de Lucas Marinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin