Martin e Kotzen: Valeu esperar que alguém os trouxesse para o Rio

Resenha - Eric Martin e Richie Kotzen (Bar do Tom, Rio de Janeiro, 29/09/2007)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Denyze Moreira
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.




Um show dessa natureza só poderia se traduzir em grande expectativa e grande ansiedade. E assim foi. Marcado para abrir as portas às 20hs, o Bar do Tom viu uma fila se formar e dobrar o quarteirão em questão de minutos, que se transformaram em horas. A casa realmente abriu para os aproximadamente 500 fãs depois das 21hs, quando teoricamente se iniciaria o show, que só foi começar mesmo depois das 22hs. E valeu esperar!

Fotos: Denyze Moreira

Foto da chamada: Carolina Oliveira (do Show de São Paulo)

Eric Martin pisou no palco com talvez a melhor música para levantar qualquer ânimo e justificar qualquer atraso - "Daddy, Brother, Lover, Little Boy", acompanhada estrofe por estrofe pelo público que mal podia se conter de tanta felicidade. Problemas de som à parte, o show de Martin pontuou momentos de carreira solo e grandes sucessos do Mr. Big, sempre sob fortes e longos aplausos.

Eric Martin é um artista completo - canta, toca guitarra, conversa com o público, faz graça sobre os eventuais problemas técnicos, enfim tudo o que o fã gosta de ver. E sempre muito bem-humorado e satisfeito por ver o trabalho dele tão bem reconhecido e aprovado. Durante todo o seu show, Martin mostrou que não estava ali meramente cumprindo contrato - ele estava curtindo o próprio show. Dentre os muitos sucessos, "To Be With You" estava lá para provar que todos haviam feito a lição de casa, com Eric emocionado e quase sem acreditar que um bar em pleno Leblon, numa cidade onde ele nunca havia estado antes, sabia cantar - não só essa - mas todas as músicas inteiras. Eric se despediu com "Colorado Bulldog" e a promessa de retorno, que já é muito aguardado.

Ansiedade 50% sanada para o início do show daquele que detém uma larga e eclética legião de fãs, desde jazzistas a fãs de Poison, passando por aprendizes e profissionais de guitarra. Richie Kotzen subiu ao palco debaixo de flashes e câmeras de um público descontroladamente feliz em vê-lo e cantando o seu mais recente sucesso, "Go Faster". Dizer o que Richie faz com sua Fender Stratocaster chega a ser insuficiente, frente a técnica e o feeling que ele traduz em notas, tanto na guitarra quanto na voz, outra característica extremamente marcante do guitarrista. O show de Richie Kotzen foi todo baseado em sentimento, mesmo para aqueles que não conhecem tanto sobre guitarra ou seus trabalhos mais discretos. O set list, cercado de mistério pela produção, foi marcado por músicas realmente intimistas, como "Faith" e "High" e de conhecimento restrito ao fãs mais fiéis. Comoção mesmo aconteceu em "Fire and Ice" que, teoricamente, não estava programada para fazer parte do set e que foi praticamente à "capella" com o público. Solos de improviso emocionantes como pouco se vê por aqui, sempre fortemente aplaudidos. Richie saiu do palco e retornou para mais duas músicas - "You Can't Save Me", que arrancou aplausos e assovios de todos, e "Doin' What The Devil Says To Do", para então chamar ao palco Eric Martin para a dobradinha que todos aguardavam, com "Shine" e "30 days in the hole", para histeria geral.

Valeu a pena esperar que alguém - no caso a Headbanger (loja carioca) - os trouxesse para o Rio e agora é torcer por um breve retorno.



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Richie Kotzen"Todas as matérias sobre "Eric Martin"


Richie Kotzen: shows em Novembro de 2019 no Brasil

Adrian Smith: reunindo Trujillo, Taylor Hawkins e mais em jam para esposaAdrian Smith
Reunindo Trujillo, Taylor Hawkins e mais em jam para esposa

Ozzy Osbourne: 7 guitarristas que quase entraram para a banda deleOzzy Osbourne
7 guitarristas que quase entraram para a banda dele

Voz: 10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)Voz
10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)


Dinho Ouro Preto: É assustador ver todo o rock ficar de direitaDinho Ouro Preto
"É assustador ver todo o rock ficar de direita"

Slash: chapação, a louca e atraente Fergie e Axl RoseSlash
Chapação, a louca e atraente Fergie e Axl Rose

Autismo: rockstars famosos autistas, ou com suspeita de autismoAutismo
Rockstars famosos autistas, ou com suspeita de autismo

Sasha Grey: sua real paixão pela música de atitude e sua coleção de vinilDave Mustaine: Maroon 5 o deixou boquiabertoRun For Cover: The Art Of Derek RiggsBRock: Os 10 melhores álbuns dos anos 80

Sobre Denyze Moreira

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.