Matérias Mais Lidas

Angra: por que Fabio Lione não consegue mais escutar power metalAngra: por que Fabio Lione não consegue mais escutar power metal

Brian May: após quase ser cancelado, guitarrista pede desculpas por comentáriosBrian May: após quase ser cancelado, guitarrista pede desculpas por comentários

Thiago Castanho: pede pra ele tocar guitarra e cantar, diz sobre filho de ChorãoThiago Castanho: "pede pra ele tocar guitarra e cantar", diz sobre filho de Chorão

Celtic Frost: Tom Warrior elogia integrante de banda brasileira; admiro imensamenteCeltic Frost: Tom Warrior elogia integrante de banda brasileira; "admiro imensamente"

Charlie Brown Jr: me chutaram 100% do projeto que criei, diz filho de ChorãoCharlie Brown Jr: "me chutaram 100% do projeto que criei", diz filho de Chorão

Deep Purple: em 2004, Steve Morse gravou covers de Ozzy e arrumou dor de cabeçaDeep Purple: em 2004, Steve Morse gravou covers de Ozzy e arrumou dor de cabeça

Iron Maiden: em parceria com a Marvel, banda cria nova linha de roupas e acessóriosIron Maiden: em parceria com a Marvel, banda cria nova linha de roupas e acessórios

Marilyn Manson: investigadores cumprem mandado de busca e apreensão na casa do músicoMarilyn Manson: investigadores cumprem mandado de busca e apreensão na casa do músico

Humor: como seriam os nomes de alguns rockstars se eles fossem brasileirosHumor: como seriam os nomes de alguns rockstars se eles fossem brasileiros

Revolver: veja os 25 melhores álbuns de 2021 escolhidos pela revista, e tem Iron MaidenRevolver: veja os 25 melhores álbuns de 2021 escolhidos pela revista, e tem Iron Maiden

Lista: 20 músicas animadas para ouvir em dias tristes e levantar o astralLista: 20 músicas animadas para ouvir em dias tristes e levantar o astral

ProgPower USA: como um acidente planejado fez brasileiro virar produtor do festivalProgPower USA: como um "acidente planejado" fez brasileiro virar produtor do festival

Metallica: músicos do Mastodon e Carcass gravam versão invertida da clássica BlackenedMetallica: músicos do Mastodon e Carcass gravam versão "invertida" da clássica Blackened

Mamonas Assassinas: a história das fotos dos músicos mortos, feitas para tabloideMamonas Assassinas: a história das fotos dos músicos mortos, feitas para tabloide

Tool: 10 faixas menos conhecidas que todos deveriam ouvir, pela Kerrang!Tool: 10 faixas menos conhecidas que todos deveriam ouvir, pela Kerrang!


Garimpeiro

Jethro Tull: Banda cumpre seu papel em apresentação no Rio

Resenha - Jethro Tull (Citibank Hall, Rio de Janeiro, 21/04/2007)

Por Rodrigo Werneck
Em 23/04/07

Contumaz visitante de nossas aprazíveis metrópoles, a clássica banda progressiva britânica Jethro Tull acaba de iniciar sua mais nova turnê brasileira. A primeira cidade contemplada com o novo espetáculo eletro-acústico do grupo foi o Rio de Janeiro, e a casa de shows escolhida foi o Citibank Hall (ex-Claro Hall, ex-ATL Hall, ex-Metropolitan).

(Fotos: Pedro Paulo Moreira)

Com uma configuração com cadeiras à frente e a pista "pra galera" atrás, o que se espera é uma frieza maior do público e da banda. Pelo menos não foram colocadas mesas dessa vez, talvez por exigência da banda. Em outra oportunidade, o líder, flautista, violonista e vocalista Ian Anderson chegou a reclamar que mesas eram para apresentações de mágicos, ou Ray Conniff, Richard Clayderman e afins, e não para shows de rock. Não se sabe se foi atendido dessa vez, mas de qualquer forma o público não hesitou em se levantar nos momentos mais quentes do espetáculo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Acompanhando Anderson estavam seu fiel escudeiro Martin Barre (guitarra), na banda desde o segundo disco, "Stand Up" (1969), assim como o baterista Doane Perry, já há muitos anos se apresentando com o grupo. Completando, vieram John O’Hara (teclados, acordeon), David Goodier (baixo) e a violinista convidada Ann Marie Calhoun, que tocou em quase todas as músicas, e fez os fãs recordarem a época na qual o violinista (e tecladista) Eddie Jobson estava na lineup.

Com um repertório dividido entre clássicos dos anos 70 e músicas mais novas, e entre peças mais acústicas e outras mais pesadas, foi uma apresentação bastante eclética. O som estava ótimo, com todos os instrumentos bastante audíveis. O público, algo entre 3.500 e 4.000 pessoas, era dividido entre o pessoal da velha guarda, que acompanha a banda desde seu início, e novos fãs (muitos de fato bem jovens), que injetaram um novo gás na popularidade do Tull no Brasil, uma renovação mais do que saudável.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O princípio do show se deu com apenas Ian Anderson (na gaita e voz) e Martin Barre (na guitarra), levando "Some Day The Sun Won’t Shine For You", do primeiro disco do JT, "This Was" (1968). O público vibrou com a aparição dos dois lendários músicos, que valorizaram sua presença através desse dueto inicial. O clima começou a esquentar com a execução de "Living In The Past", já com toda a banda reunida no palco e num arranjo similar ao do DVD "Living With The Past". Conforme Anderson anunciou, uma das poucas músicas na história feitas em 5/4 a entrar nas paradas de sucessos. Esta foi seguida por uma ótima versão para "Pastime In Good Company", peça tradicional composta pelo Rei Henrique VIII, e que já foi gravada por artistas como Blackmore’s Night. Foi a primeira entrada de Ann Marie e seu violino, e logo de cara foi fácil perceber que sua participação nos shows da banda é muito mais que de mera convidada; seu papel é de grande relevância nos novos arranjos, e seu estilo é carismático e de grande efeito (sonoro e visual). Por outro lado, os demais integrantes estiveram um pouco contidos na minha opinião (à exceção de Anderson, é claro), numa performance eficiente mas um tanto quanto burocrática.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O show prosseguiu com "Jack-In-The-Green", do ótimo disco "Songs From The Wood" (1977), e a nova "The Donkey And The Drum", muito boa por sinal, e que estará no próximo CD da banda. Segundo Anderson anunciou durante o show, eles já têm umas seis músicas prontas para tal lançamento, e completarão o álbum nos próximos meses. Um dos pontos altos de qualquer concerto do Tull se seguiu: "Thick As A Brick", para delírio da galera presente. Não a versão original de 40 minutos, é claro, mas uma mais condensada com pouco mais de 10 minutos. Seguiram-se outros clássicos: "Bourée", adaptação da peça de Johann Sebastian Bach e presença obrigatória nos shows, e "Sweet Dream", do disco "Living In The Past" (1972). É relevante salientar que em "Bourée" o baixista Goodier e o tecladista O’Hara têm seu momento de destaque, com direito a pequenos solos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em seguida, foi a oportunidade para Ann Marie Calhoun e seu violino mostrarem serviço. Duas composições de sua autoria se seguiram: "Bluegrass In The Backwoods" (como o nome implica, um autêntico "bluegrass" conduzido de forma frenética pelo violino), e "Runty" (segundo Anderson, uma homenagem dela a sua gata, homônima).

Seguem-se a nova e inédita "Birnam Wood To Dunsinan" e "Beside Myself" (do disco "Roots To Branches", de 1995), mantendo o pique. Um momento de brilho para o guitarrista Martin Barre aparece na música seguinte, a instrumental "Steal", de seu primeiro disco solo, "A Trick Of Memory". Anderson deixa o palco e Barre assume o posto de frontman, tendo a banda a seu reboque.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Hora de mais clássicos, e num arranjo totalmente novo levam "Aqualung", numa longa versão, bastante diferente da original, com a flauta de Anderson, o violino de Ann Marie e a guitarra de Barre se revezando nos solos. O arranjo novo ficou bom, mas não se compara à versão original e às versões ao vivo apresentada nas outras passagens do grupo pelo Brasil, que literalmente traziam a casa abaixo.

Uma inclusão inusitada foi "America", obra composta por Leonard Bernstein, sendo que a performance do Jethro Tull foi na realidade uma adaptação feita a partir da versão do The Nice (para quem não sabe, a banda do tecladista Keith Emerson nos anos 60, antes do Emerson Lake & Palmer surgir). Antes de sua execução, nos tradicionais discursos de Ian Anderson explicando o cenário no qual determinada música foi composta, contando pequenos detalhes ou piadas no melhor estilo britânico, ele comentou que se tratava de uma homenagem genérica à música dos EUA, salientando que apesar do mundo hoje ter uma visão anti-americana muito forte, há ainda muita coisa boa por lá, tirando "aquele burro na Casa Branca" e outras figuras do mesmo naipe. Isso tudo para comentar que dois dos membros atuais do grupo são norte-americanos: o baterista Doane Perry e a violinista Ann Marie, sua atual "protegida". Durante a apresentação de "America", vários trechos de outras obras foram inseridos, numa verdadeira ode à obra musical norte-americana contemporânea (mais precisamente, a do século passado).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O ponto alto da noite veio a seguir na forma de "My God", grande clássico lançado originalmente no disco "Aqualung" (1971). O Jethro Tull em sua melhor forma, juntando peso e sutileza na medida certa, harmonias e melodias ricas e inspiradas, e uma performance vocal apurada de Anderson (em especial para quem presenciou sua completa falta de voz na última vinda ao Brasil com a banda). "Budapest" (de "Crest Of A Knave", 1987) manteve o nível alto, numa performance de mais de onze minutos,todos muito bem aproveitados pela banda e pelo público, a essa altura extasiado mas querendo mais.

Hora da rápida saída estratégica e posterior retorno para o bis, que ficou a cargo da empolgante "Locomotive Breath", também do disco "Aqualung", que com sua guitarra "cavalgante" contagiou a todos os presentes. Anderson parecia não sofrer qualquer revés da idade, pulando, cantando e tocando sua flauta de forma visceral. Barre, mais contido, atacou sem piedade seu instrumento, concedendo um alto peso ao número de encerramento. Após quase duas horas de apresentação, a banda se retirou do palco sabedora de ter cumprido com seu papel.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Setlist:

1. Some Day The Sun Won’t Shine For You
2. Living In The Past
3. Pastime In Good Company
4. Jack-In-The-Green
5. The Donkey And The Drum
6. Thick As A Brick
7. Bourée
8. Sweet Dream
9. Bluegrass In The Backwoods
10. Runty
11. Birnam Wood To Dunsinan
12. Beside Myself
13. Steal
14. Aqualung
15. America
16. My God
17. Budapest

Bis:
18. Locomotive Breath.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Jethro Tull: disco anunciado após 18 anos; assista clipe de Shoshana SleepingJethro Tull: disco anunciado após 18 anos; assista clipe de "Shoshana Sleeping"

Lançamentos: 10 músicas de rock e metal desta semana (30/10 a 5/11) que merecem destaqueLançamentos: 10 músicas de rock e metal desta semana (30/10 a 5/11) que merecem destaque

Pink Floyd: músicos do Yes, Dream Theater, e outras estrelas regravam o álbum AnimalsPink Floyd: músicos do Yes, Dream Theater, e outras estrelas regravam o álbum "Animals"


Versões originais: 10 músicas que foram tomadas emprestadasVersões originais: 10 músicas que foram "tomadas" emprestadas

Ninguém é perfeito: os filhos bastardos de pais famososNinguém é perfeito: os filhos "bastardos" de pais famosos

Metallica: como o Jethro Tull encarou a vitória no GrammyMetallica: como o Jethro Tull encarou a vitória no Grammy


Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

The Voice Kids: garotinha canta Led Zeppelin e conquista todosThe Voice Kids
Garotinha canta Led Zeppelin e conquista todos


Sobre Rodrigo Werneck

Carioca nascido em 1969, engenheiro por formação e empresário do ramo musical por opção, sendo sócio da D'Alegria Custom Made (www.dalegria.com). Foi co-editor da extinta revista Musical Box e atualmente é co-editor do site Just About Music (JAM), além de colaborar eventualmente com as revistas Rock Brigade e Poeira Zine (Brasil), Times! (Alemanha) e InRock (Rússia), além dos sites Whiplash! e Rock Progressivo Brasil (RPB). Webmaster dos sites oficiais do Uriah Heep e Ken Hensley, o que lhe garante um bocado de trabalho sem remuneração, mais a possibilidade de receber alguns CDs por mês e a certeza de receber toneladas de e-mails por dia.

Mais matérias de Rodrigo Werneck.