Shaman: Deve-se elogiar a competência de cada musico do grupo

Resenha - Shaman (Campestre, Sorocaba, 23/04/2004)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos






Fotos: Luiz Campos Jr.

Sábado 23 de Abril de 2004, o local escolhido para a passagem da turnê RITUAL LIVE da banda SHAMAN por Sorocaba foi o Clube Recreativo Campestre. Nesta noite acontecia um concurso chamado CAÇA BANDAS patrocinado por uma emissora de rádio local. O grupo foi o atrativo a mais para o publico da região sorocabana ir prestigiar o evento.

As dez horas da noite subiram ao palco em ordem alternada as bandas: Ghost Empire, Pentecost, Seu Otto, Strategy, Warlike e Velotrol. Após esse espaço para divulgação de bandas novas, apagam-se as luzes e todos os quase 6 mil presentes começam a gritar o nome da banda de metal nacional que mais vem crescendo em todo o cenário mundial. O SHAMAN sobe ao palco por volta de meia noite e ao som de ANCIENT WINDS começa o que seria naquela noite uma primorosa apresentação.

André Matos e companhia enlouquecem o local emendando na seqüência as músicas do primeiro álbum da banda HERE I AM, DISTANT THUNDER, TIME WILL COME e a sensacional FOR TOMORROW.

Uma pergunta que não queria calar durante essa seqüência maravilhosa e executada de forma fiel pela banda era a seguinte: "Quando tocarão alguma música da fase ANGRA?" Nem deu tempo de responder quando os toques no teclado dados por André Matos levaram a galera ao delírio, ou seja, era a introdução do clássico LISBON.

Após o céu vir abaixo literalmente, Hugo Mariutti a cada dia mais versátil e Ricardo Confessori que já assegurou seu espaço entre os grandes bateristas do metal mundial, executam um a cada vez um solo de deixar a todos de queixo caído.

Após os solos vem a faixa título do cd da banda RITUAL. Esta por sua vez é o abre alas para a seqüência de músicas mais cantadas e gritadas pela platéia durante a apresentação. Um solo rápido de teclado é o suficiente para avisar que lá vem ela. FAIRY TALE é sem sombra de dúvidas o maior clássico da banda até hoje e a cena de isqueiros acesos durante sua execução lembra o ocorrido durante a apresentação do grupo na abertura do show do Iron Maiden em Janeiro no Pacaembu em SP.

PRIDE em seguida abre as portas a uma homenagem ao pai do metal Ozzy Osbourne, MR. CROWLEY e NO MORE TEARS mostram o quanto a banda, em especial André Matos admiram o cantor. Nem preciso falar a reação do publico ao ouvir esses petardos sendo executados pelo SHAMAN.

Fim de apresentação?? Que nada. Chegou a hora de tomar um aguinha e se preparar para o BIS. UNFINISHED ALLEGRO anuncia o que as 6 mil pessoas queriam, chegou a hora de CARRY ON. Levando os fãs da fase gloriosa do Angra as lágrimas a banda encerra sua apresentação e sua passagem por Sorocaba com a bela LASTING CHILD.

Nesse show deve-se elogiar a competência de cada musico do grupo, pois além de o local apresentar uma acústica horrível os equipamentos cedidos pelos organizadores não eram lá essas coisas. Após a apresentação o que se viu foi uma banda madura e muito, mas muito humilde. Atendendo aos fãs sempre com sorrisos na face o SHAMAN se despede a promete voltar assim que o próximo álbum for lançado.

Realmente os fãs têm razão. André Matos, Hugo Mariutti, Luís Mariutti e Ricardo Confessori, sabem como diz o nome da banda, curar utilizando a música.

Queria agradecer ainda ao assessor, roadie e paizão da banda SÍLVIO que sempre com um sorriso e educação atendeu a mim e a meu amigo que por lá passamos para realizarmos entrevistas e cobrirmos o evento. Valeu SÍLVIO!!



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Shaman"


Shaman: um dossiê do depois da primeira formaçãoShaman
Um dossiê do "depois" da primeira formação

Andre Matos: vídeo de 2000 explicando saída do AngraAndre Matos
Vídeo de 2000 explicando saída do Angra


Slayer: Raining Blood é brutal, mesmo com a bateria da BarbieSlayer
"Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Heavy Metal: diagrama explica a origem dos nomes de bandasHeavy Metal
Diagrama explica a origem dos nomes de bandas


Sobre Rodrigo Garcia

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.