Resenha - Engenheiros do Hawaii (Av. Jacú-Pêssego, 08/06/2003)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Luciana Ueda
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.






Fotos: Carla Cristina

Mais um domingo de show com o Rock Cidadania, série de shows organizados pela 89FM. Desta vez quem compareceu ao palco foram os Engenheiros do Hawaii. Na última vez que os vi em São Paulo, estavam bem diferentes; agora todos exibiam penteados peculiares. Talvez, um look mais despojado, descompromissado, ou talvez estivessem apenas despenteados mesmo.

O show veio ressaltando o novo hit tocado nas rádios “Até o Fim”, do novo disco “Dançando no Campo Minado”. Desse disco também tivemos “Na Veia”.

O público que compareceu era formado pela maioria de fãs, já que em todas músicas foi possível ouvir em alto e bom som o coro acompanhando. Nos clássicos como “Pra Ser Sincero”, “Piano Bar”, “Refrão de Um Bolero” e “A Promessa”, o público mostrou-se afinadíssimo e não deixou a peteca cair, chegando até a ser emocionante. Pena que foi de tarde e não pudemos ter uns isqueiros acesos pra criar mais clima...

A nova formação dos Engenheiros do Hawaii tem se mostrado muito bem neste terceiro disco com eles, o que tem garantido a ida aos shows não só dos velhos fãs oitentistas como também uma nova geração de fãs deste século. Jovens que talvez ainda estavam assistindo o Bozo ou a Xuxa quando os Engenheiros já estavam na estrada. Contando com Bernardo Fonseca no baixo, Paulo Galvão na guitarra e Gláucio Ayala na batera, Humberto Gessinger mantém a liderança nos vocais e prova que sabe o que faz reassumindo a guitarra (até um tempo atrás tocava apenas baixo) e tocando também teclado (claro que não ao mesmo tempo). Gessinger só precisa mudar o visual, que todos concordaram estar ridículo, do penteado ao tênis All Star descombinando com a calça estampada de vaquinha malhada e camisa laranja em dois tons. Talvez também precise mudar seu relacionamento com o público. Depois do show, enquanto Gláucio e Bernardo foram distribuir autógrafos e conversar um pouco, Gessinger entrou numa van e junto com Paulo e sumiram do local. Batemos um papo rápido com o baixista Bernardo Fonseca. Ao ser perguntado “Como você lida com esse pessoal mais chato?” ele respondeu “Ah, eu ignoro. Senão não dá...”

Show com direito a bis, mas mesmo assim, me pareceu que uma hora e pouco foi pouco. O público ficou com cara de quem queria mais. Pra finalizar o dia, São Paulo fechou o tempo e ainda caiu uma garoa fina. Quem pôde fugir do frio, encheu a cara ali mesmo. Eu caí fora.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

1061 acessosHumberto Gessinger: Resenha e fotos do show em Porto Alegre984 acessosEngenheiros: Maltz irá participar do novo DVD de Gessinger0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Engenheiros Do Hawaii"

Pra discutirPra discutir
Os 100 melhores discos do rock brasileiro

BRockBRock
Os 10 melhores álbuns dos anos 80

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Engenheiros Do Hawaii"

Alice in ChainsAlice in Chains
Layne Staley encontrado morto aos 34 anos

Ultimate GuitarUltimate Guitar
Site elege os 100 melhores solos de guitarra

SlashSlash
Guitarrista enumera seus 10 riffs favoritos

5000 acessosSlayer: quando o católico pai de Tom Araya descobriu que a banda era satanista5000 acessosFolk Metal e Música Celta5000 acessosDavid Bowie: lendário cantor morre, aos 69 anos de idade3942 acessosMetal Hammer: os 50 melhores álbuns de 20155000 acessosMúsicos: 99.9% deles não terão carreira musical5000 acessosSlipknot: Vinnie aconselhou Corey depois da morte de Paul

Sobre Luciana Ueda

"Nasci com o BRock. Cresci com o BRock. Mas morrerei muito antes do BRock..." Com o frescor dos seus 21 aninhos, Luciana Ueda a-do-ra o rock nacional cada vez mais! Mas isso nOo quer dizer que ela goste exclusivamente de rock nacional. Entre suas preferUncias internacionais incluem Pink Floyd, Led Zeppelin, Eric Clapton, os lendários Beatles e uma infinidade de outras bandas... Por enquanto, ela U s_ mais uma estudante de Telecomunica_es. Mas quem vai saber o que ela será amanhO?

Mais matérias de Luciana Ueda no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online