Kreator & Destruction: Em SP, dois pilares do Thrash Metal

Resenha - Kreator & Destruction (Directv Music Hall, São Paulo, 01/09/2002)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernanda Zorzetto e Christian Avigni
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Fotos por Fernanda Zorzetto

Depois de fazer uma pausa na tour que faziam com o SODOM na Europa, chegam finalmente ao Brasil duas das mais respeitadas e influentes bandas de thrash metal de todos os tempos, as alemãs Destruction e Kreator.

Surpreendendo a todos, o Direct TV estava lotado com mais de 3 mil pessoas. Muitas delas estavam na fila desde muito cedo de domingo e outras tantas chegaram no início da noite, quando as portas ainda estavam fechadas. Havia tempo que um show de banda antiga de metal não acontecia em São Paulo, ainda mais atraindo tantos fãs, a maioria de longa data.

Schmier - Destruction
Schmier - Destruction

Apesar de muita gente que ainda esperava nas filas do lado de fora da casa, por volta das 21h sobe ao palco o trio Destruction ao som de "Curse the Gods". Celebrando o lançamento de "The Antichrist", segundo álbum depois da volta da formação clássica da banda, reunida em 99, o Destruction levou músicas como "Eternal Devastation", "Bullets from Hell", "The Antichrist", "Release from Agony", "Nailed to the Cross", "The Butcher Strikes Back", "Eternal Ban", "Invincible Force", "Tears of Blood", "Life Without Sense", "Thrash Till Death", "Mad Butcher", "Total Desaster" e "Bestial Invasion", em uma apresentação de 1h10 de duração.

O palco estava bem simples, com uma bandeira de cada lado em tripés, além de uma maior com o símbolo da banda na parede de trás. Três microfones foram ligados ao longo do palco para que Schmier pudesse circular. A iluminação nas cores verde, amarela e azul estava perfeita também em sincronia apesar de o excesso de fumaça que caía do teto dificultar um pouco a visão do palco e fazer com que algumas pessoas passassem mal.

Durante o final da segunda música, "Nailed to the Cross", Schmier faz uma pausa para cumprimentar vários dos fãs que estavam mais perto do palco, mostrando consideração com o público. Schmier ainda manda um recado algumas músicas adiante dizendo que o Brasil é o melhor lugar do mundo para tocar heavy metal e manda um "foda-se" para a MTV e para a "jam music" (som tipo mistureba).

Mille Petrozza - Kreator
Mille Petrozza - Kreator

Por volta das 22h45, após um intervalo, o Kreator sobe ao palco mandando de cara "The Patriarch". Ao contrário do que alguns pensavam, o Kreator fez uma apresentação que contou com algumas das músicas mais pesadas, da primeira década de carreira da banda. Em 1h30 de show, tocou músicas como "Extreme Agression", "Pleasure to Kill", "Black Sunrise", "Terrorzone", "People of the Lie", "Phobia", "Terrible Centainty", "Lost", "Toxic Trace", "Coma of Sous" e "Renewal". Foram apresentadas também músicas como "Violent Revolution", "Reconquering the Throne", "All of the same Blood" e "Servant in Heaven-King in Hell", do último álbum, que retoma parte das origens da banda, após algumas experiências com sons eletrônicos em alguns casos e atmosféricos em outros.

A música "Betrayer" fechou o show e o ex-guitarrista Frank Gosdzik (também ex-Sodom) subiu ao palco nas duas últimas músicas, "Flag of Hate" e a clássica "Tormentor", para o bis de despedida. Provavelmente pelo cansaço que tomava conta dos fãs, a apresentação do Kreator foi recebida com um pouco mais de frieza no final, principalmente até Frank entrar no palco.

O destaque fica para a o entrosamento lapidado durante anos e a perfeição e velocidade de Ventor (Jorgegn Reil) na bateria. A apresentação foi gravada e as imagens estarão em um DVD que será lançado em janeiro ou fevereiro de 2003 pelo Kreator sem título até o momento. Juntamente com o DVD, será lançado em um CD ao vivo.

Há tempos não se via em São Paulo um show de metal onde o prazer de estar em cima do palco fosse tão perceptível nos músicos. O show foi mesmo histórico e imperdível. As bandas passaram também pelas cidades de Salvador e Recife e seguiram para Chile, Peru, Colômbia e México onde fizeram apresentações até 08 de setembro, seguindo para a América do Norte.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Kreator"Todas as matérias sobre "Destruction"


Thrash Metal: Álbuns injustiçados nos anos noventa.Thrash Metal
Álbuns injustiçados nos anos noventa.

Kreator: A promessa de um futuro melhor é uma mentiraKreator
A promessa de um futuro melhor é uma mentira

Kreator: Quem são os irmãos caídos no clip Fallen Brother?Kreator
Quem são os irmãos caídos no clip "Fallen Brother"?


Angra: Rafael Bittencourt solta desabafo sobre apresentação no CarnavalAngra
Rafael Bittencourt solta desabafo sobre apresentação no Carnaval

Andre Matos: Fui praticamente coagido a ser vocal do Viper!Andre Matos
"Fui praticamente coagido a ser vocal do Viper!"

Porta dos Fundos: Andreas Kisser e a cobrança dos metaleirosPorta dos Fundos
Andreas Kisser e a cobrança dos metaleiros

Steve Vai: O dia em que ele foi humilhado por ChimbinhaCapas de álbuns: algumas curiosidades e históriasRoger Waters: ele pediu pra fazer show no Rio de JaneiroBizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James Dio

Sobre Fernanda Zorzetto e Christian Avigni

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.