Crônica Metal: Todos comemoramos 40 anos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Sandro Marcos da Costa Ramos
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Alguns de nós podem dizer que parece que foi ontem. Outros estão apenas descobrindo um universo mágico e muitíssimo atraente que provavelmente mudará suas vidas e sua forma de ver o mundo. O fato é que este ano traz uma comemoração especial para os headbangers, todos eles, mesmo os que nem dão muita importância ao fato. Este ano faz 40 anos que uma banda inglesa, da cidade de Birminghan, lançava seu primeiro álbum de estúdio. Falamos do BLACK SABBATH, que em 1970 lançava seu debut auto-intitulado, fazendo um som inovador e um tanto chocante para os padrões da época. Um som que mudaria o conceito musical que até então estava em evidência, uma variação do Blues pesado que era praticado por boa parte das bandas naquele período, trazendo um diferencial incontestável, um peso, de certa forma extremo, da guitarra de Tony Iommi que chegava para definir o que conhecemos hoje por Heavy Metal.
861 acessosBlack Sabbath: projeto Home of Metal chega a São Paulo5000 acessosAngra e Detonator: "Sem nenhuma dúvida, esse cara comprou a mídia!"

Não ficaremos aqui a contar esta história fascinante e lendária, não iremos recontá-la, apesar de que isto já seria louvável. É tempo de imaginar nossos próprios momentos, nossas próprias descobertas e revelações do mundo mágico anteriormente citado e perceber como somos e fomos influenciados por algo que aconteceu a tanto tempo e que ainda hoje conquista novos adeptos, emociona e ajuda no desenvolvimento de todos que admiram este estilo criado por aqueles rapazes que no agora longínquo ano de 1970 nem imaginavam o que estavam por dar ao mundo. Vamos mergulhar nas sombras ao som do embrião do Doom Metal contido nos acordes e riffs da famosa faixa-título, a cadenciada e lúgubre “Black Sabbath”. Deixemos que a viagem proporcionada pelas gaitas, da altamente permeada pelo Blues “The Wizard”, leve nossa imaginação onde não podemos sonhar. Cada solo, letra e passagem marcante merece destaque incondicional nesta comemoração. Afinal se aqui escrevo e se aqui vocês lêem, a razão para isto data do mesmo ano de 1970. Que o brinde seja sincero e devotado a quem de fato merece tal menção.

Muitas vertentes se desenvolveram, muitos adicionaram elementos excelentes e fundamentais, mas foi realmente esta banda que nos trouxe o prazer musical definitivo, a liberdade do rock potencializada pela maior contestação e poder de quase hipnotismo. Foram fases marcadas por diferentes estilos, variadas e importantes bandas que inseriram seus nomes na história do Metal. Todas elas, sem exceção, tiveram onde beber e aprender algumas lições, tiveram onde se inspirar direta ou indiretamente para criar e recriar sua música. Os anos 80 foram maravilhosos altamente criativos sim, mas podemos claramente observar em cada música criada nesta década a influência dos elementos que o BLACK SABBATH forjou em suas composições bem antes de qualquer destes músicos sequer sonhar em compor algo. E não se trata de desprezar ou diminuir qualquer movimento, vertente ou banda; trata-se de enaltecer um legado que foi lapidado dia após dia e enriquecido por artistas que somente fizeram valorizar ainda mais uma semente plantada anteriormente, não só com o debut mas com os outros álbuns subseqüentes de Ozzy, Iommi, Butler e Ward.

São 40 anos de adaptações dos magos criadores desta pedra filosofal que transformou, em processo que poderia ser alquímico, o rock e o blues em peso, morbidez e mais uma infinidade de fatores. Um grupo de companheiros que parece ter sido destinado a estar unido por uma convergência astral ou algo do gênero. Como toda magia e todo encanto a primeira formação teve um fim e veio a grata surpresa de novos colaboradores que, em diferentes níveis de qualidade e intensidade, ajudaram a perpetuar a banda, sempre capitaneados pelo incansável Tony Iommi. Quatro décadas que parecem curtas se formos levar em conta a importância e o fascínio que aquele álbum ainda possui. Vamos todos nós, ouvintes, músicos e apreciadores em geral brindar este momento importante e saudar um marco com a devida reverência de quem sabe o que é bom e de quem reconhece os motivos pelos quais estamos nessa para sempre. Longa vida Black Sabbath, longa vida Heavy Metal, parabéns por entrar tão vivo e vigoroso na meia idade. Neste ano todos fazemos 40 anos juntos.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Black SabbathBlack Sabbath
"Podemos fazer alguns shows pontuais", diz Iommi

861 acessosBlack Sabbath: projeto Home of Metal chega a São Paulo1871 acessosBlack Sabbath: veja unboxing da "The Ten Year War"1256 acessosDoom Metal: os 25 maiores álbuns do gênero0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Sabbath"

Regis TadeuRegis Tadeu
Depois de 40 anos, "Sabotage" ainda causa calafrios

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Veja a entrevista para o Fantástico da TV Globo

CoversCovers
Alguns dos mais legais feitos por bandas de Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Opiniões0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"

Angra e DetonatorAngra e Detonator
"Sem nenhuma dúvida, esse cara comprou a mídia!"

MetallicaMetallica
Hammett e Ulrich escolhem álbuns e músicas da década

MetallicaMetallica
A evolução de James Hetfield ao longo dos anos

5000 acessosRolling Stone: revista elege melhores faixas de álbuns ruins5000 acessosMetallica: vizinho zoófilo, cocaína e groupies5000 acessosRaul Seixas: Por trás da letra de "Carimbador Maluco"5000 acessosTestament: Como alguém gosta de Sabbath e Led e odeia os Beatles?4089 acessosJudas Priest: os dez melhores álbuns de Metal para Rob Halford5000 acessosGuns N' Roses: o "Chinese Democracy" que você nunca viu

Sobre Sandro Marcos da Costa Ramos

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online