RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemZelador viraliza após incrível semelhança com voz de Steve Perry em "Don't Stop Believin'"

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemTony Iommi conta quais são os riffs preferidos que ele escreveu

imagemOs 20 melhores álbuns lançados em 1993, segundo a Revolver Magazine

imagemEloy Casagrande repete o feito sendo eleito melhor baterista de metal do mundo

imagemO último grande álbum clássico do rock, segundo André Barcinski

imagemEm disputa acirrada, fãs batem recorde e elegem melhores discos de metal de 2022

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemFernanda Lira revela favoritos e histórias de bastidores com bandas do Summer Breeze

imagemBrian May diz que adoraria trabalhar com ícone dos anos 2000; "Ela é a melhor"

imagemMoita: O fã de heavy metal no Brasil é muito melhor atendido que o fã de música pop

imagemO motivo nada musical que fez Bruce Dickinson querer se juntar aos hippies

imagemEstrela pop sueca causa polêmica por usar vestido com arte da banda Burzum

imagemLinkin Park inicia contagem regressiva misteriosa nas redes sociais e fãs especulam


Summer Breeze

Rodox tenta evitar síndrome do 2º disco com estréia

Fonte: UOL Música
Postado em 02 de maio de 2003

SHIN OLIVA SUZUKI

Para evitar a famosa "síndrome do segundo disco" -quando grupos falham em conservar o sucesso anterior e, por vezes, acabam desaparecendo-, nada melhor do que... gravar um álbum de estréia propriamente dito.

É assim a "primeira" incursão do Rodox no estúdio como um sexteto, em que todos, embora vendo o ex-Raimundos Rodolfo como norte, têm voz ativa nas composições.

"É o primeiro do Rodox como banda, até por isso o nome que a gente deu para o álbum foi só 'Rodox'. É o segundo, mas é o primeiro do grupo. É uma parada meio estranha, mas fica legal assim mesmo", diz o cantor que, na entrevista, não é apenas norte, mas voz ativa dos seis.

O sucessor de "Estreito" -lançado no ano passado e que vendeu pouco mais de 40 mil cópias- foi gerido durante a turnê feita no ano passado, em que a banda pôde ganhar entrosamento e trabalhar seu hardcore de toques eletrônicos para dar início às sessões de gravação.

Foram apenas 17 dias de estúdio, o que, para Rodolfo, suficientes para evidenciar um "upgrade" instrumental em relação ao álbum anterior: "O Fernandão [Fernando Schaefer, baterista, ex-Korzus] tocou no primeiro CD, mas quem fez as linhas de baixo e guitarra fui eu. E sou muito limitado como baixista e guitarrista".

Com intuito de reparar essa "deficiência", entraram o ex-Los Hermanos Patrick Laplan (baixo), o ex-roadie do Raimundos Marcus Ardanuy (guitarra) e o guitarrista Pedro Nogueira. A formação se completa com Bob (programação), que está desde o estágio embrionário do grupo.

Assim, Rodolfo tenta dar forma à sua carreira pós-Raimundos, ainda que volta e meia seja atormentado por "viúvas" da áurea fase dos brasilienses. Na internet há mais de um ano, uma página anti-Rodox (www.euodeiorodox.hpg.com.br) trata o vocalista como "aquele fdp, [que] depois de ganhar dinheiro em cima dos Raimundos agora está criticando a banda".

Outros preferem escancarar seu descontentamento (quase) cara a cara, aproximando-se do palco nos shows do Rodox para gritar um "toca 'Puteiro em João Pessoa'". "Um ou outro falava, mas acabava oprimido pelo resto da galera e ficava com cara de bobo. Isso é besteira. É como chamarem o Jairzinho de traidor porque ele saiu do Balão Mágico."

Rodolfo também não manifesta curiosidade pelo que os Raimundos andam fazendo. Nem ao menos conferiu o mais recente "Kavookavala": "Prefiro ouvir a Cassiane [cantora evangélica]".

O tema de sua conversão religiosa, ao contrário do que poderia se pensar, (ainda) não incomoda o cantor. "Eu vou quase toda semana à igreja [Sara Nossa Terra], eles me convidam para dar meu testemunho, e eu conto a minha história desde o começo", diz.

Também não há problemas em conviver com os companheiros "seculares" do Rodox, que não abdicam da cerveja. "Todo mundo aqui é bem tranquilo. Mas eu não sou pai de ninguém, velho. Eu cuido da minha vida."

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Rodolfo: "O rock brasileiro entrou numa crise desde o começo dos anos 2000"

Rodox: quando baterista estragou show da banda após João Gordo vê-lo rezando


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal