Vocal do Hammerfall fala sobre novo CD

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Thiago Coutinho, Fonte: Antenna Webzine
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 05/01/05. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Em entrevista ao webzine dinamarquês Antenna, o vocalista do HAMMERFALL, Joacim Cans, falou a respeito do novo trabalho de estúdio do grupo, "Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken", que estará nas lojas no dia 7 de março, via Nuclear Blast.

514 acessosHammerFall: Oscar Dronjak fala sobre o início da banda.5000 acessosFotos de Infância: Evanescence

A seguir, os principais excertos do bate-papo. Acesse o site do zine para ler a entrevista na íntegra, em inglês:

Antenna — O que você diria que há de diferente no novo álbum se comparado a seus trabalhos anteriores?

Joacim Cans — Como sempre digo após cada álbum lançado, este é o nosso trabalho mais maduro que já fizemos neste ponto de nossas vidas. Já se passaram dois anos após o ‘Crimson Thunder’, e acredito que há alguns elementos no novo álbum que o tornam diferente dos outros, mas também há similaridades que o tornam um álbum do Hammerfall. A última canção do álbum dirá tudo a respeito dessas mudanças que estou falando.

Antenna — Você parece ser muito crítico no que diz respeito aos clichês das bandas deste estilo. Você não acha que isso algumas vezes não os limita a expressar suas abilidades?

Joacim Cans — Acho que demos um passo grande com este álbum, e não tenho certeza se as pessoas dirão que este passo foi grande o suficiente, mas realmente não importa para onde você quer levar a música. As pessoas sempre dirão ‘você não acha que está se limitando’. Talvez até estejamos, mas sinto que, após cinco álbuns de estúdio, nos sentimos capazes de lançar um outro mais novo, mas ainda com os mesmos elementos, sem nos repetirmos. Talvez chegue o dia em que estejamos sentados aqui com nosso décimo quinto álbum, após dez anos fazendo a mesma coisa diversas vezes. Conheço bandas que já fizeram isso [risos]. Sinto que ainda há limites no heavy metal que ainda não foram explorados.

Antenna — O ‘boom’ do true metal já se foi há muito tempo, mas o Hammerfall permaneceu. Por favor, fale a respeito disso.

Joacim Cans — Antes de mais nada, alguém nos classificou há algum tempo como uma banda de power metal, e este álbum é uma prova de que não somos uma banda de power metal. Tocamos um heavy metal simples, quer dizer, é simplesmente heavy metal. O power metal para mim, hoje em dia, é algo que não se encaixa, pois há muitas bandas fazendo isso. Não há mais personalidade na música. Este é o grande problema: tudo soa mais ou menos a mesma coisa, com produções baratas e tal. Estou esperando pelo dia em que essas bandas terão que trabalhar duro, serem verdadeiras ao seu estilo e sua música como é o Hammerfall, o Edguy, o Stratovarius e tantas outras, pois elas continuarão por muito tempo ainda, e no momento o limite é alcançado por outros grupos, eu acho. Há muitas gravadoras, elas estão lançando muitos álbuns, e os fãs decidiram que este ‘boom’ acabou porque eles não querem comprar tudo isso mais.

Antenna — Qual o seu ponto de vista acerca do termo ‘true metal’?

Joacim Cans — O único modo que acredito que possa definir este termo são as pessoas tocarem o que elas acreditam. Eu quero dizer, quem inventou este termo? Talvez esta pessoas possa julga-lo, não sei. O que é verdadeiro e o que não é? É apenas algo que eles colocaram lá: ‘o retorno do true metal’. Acho que a primeira vez que utilizaram este termo referiam-se a algo como ‘os anos oitenta estão de volta’. O metal como eles soava nos anos oitenta está de volta, por isso o termo ‘true metal’. Talvez deve ser o puro heavy metal ou ‘pure metal’, ‘essential metal’, não sei. Há muitas gravadoras.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

514 acessosHammerFall: Oscar Dronjak fala sobre o início da banda.0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Hammerfall"

Power metalPower metal
Os 10 discos essenciais segundo o TeamRock

CoversCovers
Quando bandas de Heavy e Power Metal prestam tributo

19971997
15 discos de rock/metal que completam 20 anos de lançamento

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Hammerfall"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Amy Lee, do Evanescence, muito antes da fama

Collectors RoomCollectors Room
Vinícius Neves, do Stay Heavy, mostra a sua coleção

Breast of the BeastBreast of the Beast
Miley Cyrus mostra peitinhos com camisa do Maiden

5000 acessosFrases de bandas: o que eles realmente querem dizer?5000 acessosSaúde: bater cabeça pode causar danos ao cérebro5000 acessosPsicografia: uma suposta carta do espírito de Cássia Eller5000 acessosDire Straits: Sultans Of Swing, ainda irretocável décadas depois4839 acessosIron Maiden: Nicko acha que a banda deve ser "egoísta" no palco5000 acessosMarilyn Manson: produtor fala sobre como é trabalhar com ele

Sobre Thiago Coutinho

Formado em Jornalismo, 23 anos, fanático por Bruce Dickinson e seus comparsas no Maiden. O heavy metal surgiu na minha vida quando ouvi o vocalista da Donzela de Ferro em "Tears of the Dragon", em meados de 1994. Mas também aprecio a voz de pato bêbado do controverso Dave Mustaine, a simplicidade do Ramones, as melodias intrincadas do Helloween, a belíssima voz de Dio ou os gritos escabrosos de Rob Halford. A Whiplash apareceu em minha vida sem querer, acho que seus criadores são uns loucos amantes de rock e acredito que este seja o melhor site de rock do país, sem qualquer demagogia!

Mais matérias de Thiago Coutinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online