Novo álbum será brutal, diz Max Cavalera

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Coutinho, Fonte: SoulflyWeb.com
Enviar Correções  

Em uma recente entrevista ao site SoulflyWeb.com, levada a cabo no sábado, 19 de fevereiro, o líder e vocalista do SOULFLY, Max Cavalera, falou sobre o novo DVD da banda — intitulado "The Song Remains Insane" — e sobre o vindouro novo trabalho do grupo, descrito como "pesado e brutal". Leia os principais excertos do bate papo logo abaixo, ou visite o site citado acima para ler a conversa na íntegra:

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1985

Bateristas: Os 30 melhores de todos os tempos

SouflyWeb.com — Quanto você decidiu incluir ou não no novo DVD? Você já o viu pronto?
Max Cavalera — Eu não disse nada diretamente como ‘isso vai aqui e isso vai ali’, mas eu aprovei cada parte do DVD assim que elas ficavam prontas. Eu acho que você tem que ser bem direto nisso. Não que eu goste da música deles, mas o que os caras do Linkin Park fizeram no DVD ‘Live in Texas’ foi um excelente trabalho de gravação, eu fiquei muito feliz com isso. Deve ter umas 16 ou 17 músicas ao vivo. Nós também temos muito material extra que mostram a essência do que é estar no Soulfly. Temos muito material gravado por nossa equipe, especialmente na África do Sul. Como vocês sabem, os caras da banda são um tanto loucos, bebem algumas cervejas, e coisas assim.

SouflyWeb.com — Ouvi dizer que haverá músicas não-lançadas antes neste DVD. Você pode nos dizer se isso é verdade?
Max Cavalera — Sim, definitivamente. Haverá umas dez músicas ao todo. Muito material novo, alguns remixes, e material assim. Haverá uma que fizemos com Benji Webbe, que tocava no Dub War e agora está no Skindred. Gravamos ao mesmo tempo em que registrávamos o primeiro álbum, mas essa era um das faixas que deixamos de lado. Foi algo assim, já tínhamos Webbe em ‘Quilombo’ e ‘Predjudice’, então decidimos que essa era uma das faixas que deveríamos deixar de lado. Ela é bem hardcore, uma canção rápida, e agora, olhando para trás, estou meio sentido por não tê-la colocado lá. Mas, enfim, haverá 10 faixas lá, e eu disse para os caras que estavam cuidando do DVD para tentarem fazer as faixas funcionar em forma aleatória, porque quando eu escuto um álbum não gosto de ouvi-lo na ordem em que o artista a coloca. Então, pedi aos caras se eles poderiam fazer isso, e eles ficaram assim: ‘nossa, nunca ouvimos algo assim antes’. Mas eles foram capazes de fazer isso, então você poderá ouvi-lo de forma aleatória, em uma ordem gerada pelo computador. Estou muito feliz pela forma como as coisas estão ficando.

SouflyWeb.com — Você já havia dito que o novo álbum será mais ‘dark’ e pesado. Você ainda insistirá nesta direção?
Max Cavalera — De certo modo sim, mas de certo modo, não. Os acontecimentos que nos marcaram em dezembro, como a morte de Dimebag Darrel teve uma grande influência no modo como apresentarei este álbum, eu diria que ele estará mais dark. Algumas das gravações fizemos na França, Turquia e Rússia e utilizamos alguns instrumentos que só se encontram nesses países. Essas gravações terão um grande na direção musical, que será mais mundial e terá elementos atmosféricos. Mas Marc e Joe [Nunez, baterista] são grandes fãs de metal e eles meio que me forçaram a tomar uma direção mais pesada e brutal. Eu não escuto mais metal como costumava escutar, mas o Marc vive e respira metal. Tudo como Lamb of God, Slayer, Maiden, Napalm Death, e algum material de death metal. Ele adora tocar esse tipo de riff, então eles estarão lá também.

SouflyWeb.com — Quem fará a capa do novo CD?
Max Cavalera — Excelente pergunta. Michael Whelan, se você o conhece, é o responsável pela maior parte das capas dos CDs do Sepultura, como 'Beneath The Remains', 'Arise', 'Chaos A.D.', e 'Roots' e ele estará fazendo a capa do nosso novo álbum. Ele é um cara muito habilidoso que está sempre fazendo suas coisas. Mas, de qualquer forma, assim que completamos o ‘Roots’, eu percebi que ele havia se esquecido de mim porque eu não ouvi mais nada a seu respeito por anos. Então, fiquei extremamente surpreso e feliz quando ele me disse que tem acompanhado a minha carreira desde que deixei o Sepultura e ele adorou o material do Soulfly. Eu precisei apenas mandar algumas letras e do material no álbum para que ele pudesse ficar por dentro de tudo. Ele fez uma material com nuanças bem más no passado, com caveiras e corpos, mas ele também já fez um material bem leve também. Eu lhe pedi para tentar juntar esses dois estilos para o próximo CD. Isso mostrará um contraste entre o assustador e o mal imaginário e a beleza, com pinturas mais bonitas. Essencialmente, será uma representação visual do novo CD do Soulfly.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1985Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1985

Bateristas: Os 30 melhores de todos os temposBateristas
Os 30 melhores de todos os tempos


Sobre Thiago Coutinho

Formado em Jornalismo, 23 anos, fanático por Bruce Dickinson e seus comparsas no Maiden. O heavy metal surgiu na minha vida quando ouvi o vocalista da Donzela de Ferro em "Tears of the Dragon", em meados de 1994. Mas também aprecio a voz de pato bêbado do controverso Dave Mustaine, a simplicidade do Ramones, as melodias intrincadas do Helloween, a belíssima voz de Dio ou os gritos escabrosos de Rob Halford. A Whiplash apareceu em minha vida sem querer, acho que seus criadores são uns loucos amantes de rock e acredito que este seja o melhor site de rock do país, sem qualquer demagogia!

Mais matérias de Thiago Coutinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin