Carlos Santana: festival de blues em DVD

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Antimusic
Enviar correções  |  Ver Acessos

No maior e mais ambicioso capítulo de blues da aclamada série da Eagle Vision, a "Live At Montreux", uma grande caixa com três DVDs - chamada "Carlos Santana Presents Blues At Montreux 2004" - será lançada em 17 de outubro. Isso deve ser visto como um dos grandes "eventos" de blues do ano pois Bobby Parker, Clarence "Gatemouth" Brown e Buddy Guy terão seus próprios DVDs... com Carlos Santana atuando como diretor musical e guitarrista solo e Nile Rodgers, do Chic, fazendo jams e tocando como você nunca viu antes.

Humor: Não basta um machado na mão para ser Black MetalLars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' Roses

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Bobby Parker é um bluesman do Distrito de Colúmbia que, nos anos 50, tocou guitarra estilo rock'n'roll junto com Bo Diddley, Sam Cooke, Jackie Wilson e The Everly Brothers. Ele esteve gravando e fazendo turnês desde então, por uma série de gravadoras, tendo produzido algumas músicas seminais do blues, como "Blues Get Off My Shoulder," "Watch Your Step" e "It's Hard To Be Fair." Seu set de 11 músicas inclui três com Carlos: "Chill Out", "Mellow Down Easy", terminando com seu maior hit, "Watch Your Step."

O falecido Clarence "Gatemouth" Brown continuou tocando até seus 80 anos, deixando um grande legado musical. O violinista/guitarrista passou do Western Blues para o Jazz e depois para o Rock num piscar de olhos. Na música, não havia limites para esse titã. Seu disco é um caleidoscópio de 10 músicas, passando pelo Bayou boogie de Louisiana, tem uma jam furiosa com "I've Got My Mojo Workin" de Muddy Waters, com Santana e Buddy Guy e encerra com "Okie Dokie Stomp", com Santana e Nile Rodgers.

Buddy Guy é um dos últimos de uma geração de músicos. Ele é o atual rei dos bluesmen de Chicago, tendo aprendido com o próprio Muddy, além de Howling Wolf, Guitar Slim e Willie Dixon. Toda a sua fúria roqueira teve origem nos dias em que os músicos tinham que fazer alguma coisa - qualquer coisa! - para ganhar a atenção dos fregueses beberrões e barulhentos dos bares, que poderiam mais facilmente te acertar na cabeça com uma garrafa quebrada do que pedir um bis. Guy é, provavelmente, o mais eletrizante músico de blues que o gênero já viu. Seu set é melhorado ainda mais com uma série de jams que inclui todos os músicos mencionados antes!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Santana"


Joe Satriani: saiba quais lendas da guitarra não quiseram entrar no G3Joe Satriani
Saiba quais lendas da guitarra não quiseram entrar no G3

Steve Vai: as 10 melhores faixas de guitarra na opinião deleSteve Vai
As 10 melhores faixas de guitarra na opinião dele


Humor: Não basta um machado na mão para ser Black MetalHumor
Não basta um machado na mão para ser Black Metal

Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesLars Ulrich
Jucando no camarim do Guns N' Roses


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336