AC/DC: placa de rua é constantamente furtada

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por LC Pereira, Fonte: The Age, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 21/05/07. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Jason Dowling, da Australia’s The Age.com.au, registrou que uma das placas de ruas mais famosas de Melbourne, Austrália tem se tornado também a mais furtada, já que em pouco mais de dois anos, nada menos que seis placas foram roubadas!

200 acessosFabio Lima: em vídeo, 13 songs by AC/DC5000 acessosRock: as dez lendas mais macabras do gênero

A primeira placa foi afixada na Alameda AC/DC em outubro de 2004, com uma cerimônia e som de gaita de fole tocando “It’s a Long Way To the Top”. Mas desde então ela tem sido substituída, e com muito menos ostentação.

O valor das placas para os ladrões é provavelmente maior do que os 120 dólares para recolocá-la.

As placas do AC/DC têm se tornado uma atração turística muito fotografada e o consulado da cidade de Melbourne está lutando para continuar repondo suas placas. O Prefeito Gary Singer, se diz desapontado: “Todos nós amamos o Rock N´Roll, mas estas pessoas estão roubando a cidade de Melbourne”, afirmou.

“Os contribuintes de impostos de Melbourne estão pagando a conta para cada placa roubada – é algo egoísta e ilegal”.

Mas não são apenas as placas da Rua AC/DC que estão desaparecendo. Nas alamedas e ruas da cidade, um total de 523 placas – com um custo de mais de 60 mil dólares – têm sido recolocadas pelo Consulado da Cidade de Melbourne nos últimos três anos, por terem sido danificadas ou roubadas.

O policial Adam West disse que furtar uma placa de rua é considerado um roubo e que o infrator poderá enfrentar a corte e ser até preso.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MetallicaMetallica
Lars Ulrich e suas influências na bateria

200 acessosFabio Lima: em vídeo, 13 songs by AC/DC817 acessosRio Rock City: O absurdo das cotas de meia-entrada107 acessosNo comando e na estrada: liberdade em rock'n roll0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "AC/DC"

BillboardBillboard
As bandas mais bem pagas desde 1990

AC/DCAC/DC
Músicas do grupo atraem tubarões brancos, diz estudo

AC/DCAC/DC
Ritmo perfeito no nado sincronizado australiano

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "AC/DC"

RockRock
As dez lendas mais macabras do gênero

CuriosidadesCuriosidades
As histórias por trás de 11 capas clássicas

Yngwie MalmsteenYngwie Malmsteen
Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista

5000 acessosBlack Sabbath: Banda deu pesadelos a Robert Trujillo5000 acessosMetallica: joguem este processo no lixo, dizem para banda cover5000 acessosSlipknot: banda trolla repórter da Multishow antes de show no RIR5000 acessosTarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 20005000 acessosKiko Loureiro: as polêmicas do Grammy e a vida de rockstar5000 acessosVai-e-vem do mercado: o troca-troca entre Bad Religion e Avenged Sevenfold

Sobre LC Pereira

LC Pereira começou a ter preferência pelo rock já com 17 anos, por influência de amigos. Até que escutou o lendário álbum Powerslave da banda britânica Iron Maiden, e tudo mudou. A partir daí vieram o hard rock, o melódico, etc., e ele decidiu que o heavy metal seria uma de suas maiores paixões, assim como a literatura, a poesia e uma boa cerva gelada. Sete anos se passaram desde a primeira audição do álbum e LC trabalha atualmente como professor de Inglês e também como tradutor.

Mais matérias de LC Pereira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online