Matérias Mais Lidas

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemShavo Odadjian, baixista do System Of A Down, conta quais álbuns mudaram sua vida

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemIrmãos Cavalera tocam "Beneath The Remains" em show nos EUA; assista vídeo

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagem"Eu não tinha ideia de quão grande o Maiden iria ficar", diz Bruce Dickinson


Sebastian Bach: emoção de ouvir "Chinese Democracy" em LP

Por Gregory
Fonte: GunnersBrasil.com
Em 28/11/08

O vocalista SEBASTIAN BACH, ex-Skid Row, comentou em seu site oficial sobre a sensação de ouvir 'Chinese Democracy'. Veja abaixo:

"Vamos falar sobre o áudio. Assim como você e o resto do planeta, desde domingo eu passei todo e qualquer momento escutando o 'Chinese Democracy'. Recentemente eu comprei uma nova vitrola, em parte por ela ter um cabo USB para você fazer MP3 de seus álbuns. Engraçado, eu ainda não fiz nenhum MP3 desde que eu a comprei. O fato é que qualquer ouvido pode perceber que esses álbuns soam mais ricos, claros e mais naturais que as MP3 e até mesmo que CDs comuns. Assim que comecei a ouvir meus LPs novamente, a única utilidade que encontrei para as MP3 foi a sua portabilidade. É definitivamente maneiro carregar toda sua coleção por aí no seu bolso, mas por mais longe que o som vá, o analógico acaba com o digital, não há o que contestar.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O que me leva até o 'Chinese Democracy'. Peguei o meu álbum duplo em vinil de 180 gramas e também o CD para ouvir no carro. Esse é o primeiro álbum novo que eu compro em mais de 15, possivelmente 20 anos. Tudo o que posso dizer é, nós fãs de música perdemos muito com a chamada (prematura? eu espero) aposentadoria do LP. Assim que eu corri minha unha pela lateral, separando o celofane, e abri o encarte, eu sabia que teria uma experiência rock'n'roll completa com esse LP. Eu puxei o Disco 1 e fiquei imediatamente pasmo com o quão 'pesado' aquele vinil é. Era como a cópia original de 'Led Zeppelin 2' do meu pai. Não frágil e leve como o que se transformou o vinil no final da década de oitenta. 'Chinese Democracy' é um disco pesado, grosso. Mal podia esperar para rodá-lo.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Meu sistema de som consiste em um toca-discos 'Ion' ligado à um amplificador Pioneer VSX-52, interligado com um equalizador AudioControl C-101, com poweramps da Adcom. Minhas caixas de som são JBL Control 10's com um sub-woofer Velodyne em um piso de madeira. Sim, eu posso literalmente fazer minha casa tremer se eu quiser, e sim, as luzes chegam a piscar por um segundo quando eu ligo tudo isso. Eu curto isso. Em resumo, é do caralho.

Assim que eu coloquei a agulha em 'Chinese Democracy', fui cativado pelo som desse disco, o talento, o trabalho e o cuidado colocados nessa obra, por parte de todos os envolvidos. A força, clareza, separação e produção dessas músicas não é nada menos que incrível. Por mais alto que esteja, eu ainda consigo ouvir os vocais, guitarras e tudo mais perfeitamente claro, com o baixo chacoalhando as minhas entranhas (e mais abaixo) como deveria. Quando Axl entra na frase 'even with an iron fist' na primeira música, o sangue em minhas veias começa a ferver e a intensidade não diminui até o final do Disco 4. O que eu ouço nesse disco é inacreditavelmente passional, 100% do coração e alma de Axl para todos nós ouvirmos.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Quando ele canta uma música como 'Street Of Dreams' é como se fosse o melhor de Janis Joplin, com um pouco de 'Melody Is King' de Quincy Jones trabalhando para um efeito completo. As melodias nesse álbum me arrancam o coração. Ouvi-las cantadas pelo lindo/mortal instrumento que é a voz de Axl, é algo que, para mim é realmente especial, sem mencionar que é muito bom poder estar apto a me sentir atordoado quando eu quiser. Quatro vezes por dia até agora, mas quem conta?! Eu não consigo parar de ouvir esse álbum. 'Scraped', 'Riad N' The Bedouins', 'Street Of Dreams', 'IRS', toda vez que eu ouço eu tenho uma nova favorita. Brain, Bumblefoot, Robin Finck, todos no disco dão tudo de si; a produção é estelar, eu ainda não cheguei nas letras, ainda estou muito abalado pela sonoridade para falar disso... ainda! O álbum é, acima de tudo: Original. Sentimental. Descompromissado. Quantos discos você pode descrever honestamente dessa forma hoje?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É diferente de tudo o que eu já ouvi. E eu mal posso esperar para ouvi-lo de novo. O que, para mim, é a definição do excelente rock'n'roll de verdade".

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Steven Adler: memórias perdidas com Lars Ulrich e John 5

Guns N' Roses: comova-se com entrevista perdida de 1988



Sobre Gregory

Colaborador sem descrição cadastrada.

Mais matérias de Gregory.