Black Sabbath: Ozzy vence primeira batalha pelo nome

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Schuh, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 27/02/10. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

De acordo com o New York Post, um juiz federal de Manhattan decidiu na quinta-feira, 25 de fevereiro, que OZZY OSBOURNE pode prosseguir com a sua ação contra o guitarrista TONY IOMMI sobre o uso do nome BLACK SABBATH.

2503 acessosAses das seis cordas: Guitarristas e suas assinaturas5000 acessosSupernatural: ouça 10 músicas que marcaram a série

Ozzy deu entrada em uma ação contra Iommi em maio de 2009, reclamando que Iommi assumiu ilegalmente como único proprietário do nome da banda, solicitado em um escritório de Marcas e Patentes nos Estados Unidos.

Ozzy está processando Iommi por um percentual de 50% da marca BLACK SABBATH, junto com uma porcentagem dos lucros de Iommi pelo uso do nome.

A corte federal de Manhattan ainda declarou que o “vocal marcante” de Ozzy é amplamente responsável pelo “extraordinário sucesso” da banda, percebendo-se que a popularidade da banda caiu vertiginosamente durante sua ausência, entre 1980 e 1996.

O advogado Andrew DeVore argumentou ontem que Osbourne transferiu todos seus direitos à marca BLACK SABBATH depois que abandonou a banda em 1979.

Em um comunicado datado de 29 de maio de 2009, Ozzy comenta sobre a sua decisão de processor Iommi, “Foi com muito pesar que tive que apelar para uma ação legal contra meu parceiro de longa data, Tony Iommi, mas depois de três anos de tentativas para resolver o problema amigavelmente, eu sinto que não tenho nenhum outro recurso.”

“Na metade dos anos 90, depois de constantes e inúmeras mudanças nos membros da banda, a marca do BLACK SABBATH estava literalmente na privada e Tony Iommi (em turnê sob o nome BLACK SABBATH) estava reduzido a tocar em clubes pequenos. Desde 1997, quando Geezer (Butler, baixo), Bill (Ward, bateria) e eu voltamos à banda, o BLACK SABBATH retornou a sua formação gloriosa, pois fomos a atração de shows lotados em arenas e anfiteatros, tocando para mais de 50.000 pessoas em cada show pelo mundo. Nós trabalhamos coletivamente para restaurar a credibilidade e trazer dignidade de volta ao nome BLACK SABBATH, o que levou a banda a ser nomeada para o Hall da Fame do Rock do Reino Unido e dos Estados Unidos em 2005 e 2006, respectivamente.”

“Pelos últimos 12 anos, foram meus empresários e representantes que cuidaram do marketing e controle de qualidade da marca BLACK SABBATH, através do Ozzfest, turnês, venda de produtos e relançamento de albuns. O nome BLACK SABBATH agora tem prestígio internacional e valor de mercado que não teria tido caso continuasse na estrada da maneira que estava antes da turnê de reunião de 1997."

“Tony, eu sinto muito por termos chegado a esse ponto, por ser preciso entrar com essa ação contra você. Eu não tenho o direito de falar por Geezer e Bill, mas eu sinto que moral e eticamente, a marca deveria ser igualmente dividida entre nós quatro. Eu espero que, por ter dado o primeiro passo, isso acabe acontecendo. Nós todos trabalhamos muito duro em nossas carreiras para permitir que você venda produtos que tenham as nossas caras, velhas capas de albuns do BLACK SABBATH e logos, e então você vem dizer que é dono dos direitos autorais.”

“Todos nós estamos com uns 60 anos agora. O legado do BLACK SABBATH deve viver por muito tempo depois que nós tivermos partido.”

“Por favor, faça a coisa certa.”

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Seis cordasSeis cordas
Guitarristas e suas assinaturas

2360 acessosJimmy Copley: baterista morre aos 64 anos de idade699 acessosHeavy Lero: Black Sabbath com Ozzy, a terceira parte425 acessosSamantha Fish: guitarrista blueseira faz cover de "War Pigs"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Sabbath"

Black SabbathBlack Sabbath
Veja manuscrito da letra de "Iron Man"

Guitar WorldGuitar World
10 Álbuns clássicos essenciais do Metal

Bill WardBill Ward
Bateristas devem ler contratos e ouvir John Bonham

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"0 acessosTodas as matérias sobre "Ozzy Osbourne"

SupernaturalSupernatural
Ouça 10 músicas que marcaram a série

Parada LGBTParada LGBT
Revelando a hipocrisia de muitos headbangers no Brasil

Kiss FMKiss FM
As 500 mais escolhidas pelos ouvintes em 2012

5000 acessosRoger Moreira: Em vídeo, falando sobre casamento gay, aborto e ditadura comunista5000 acessosBon Jovi: A coleção do paulista Flávio Celestino5000 acessosEm 19/02/1980: Bon Scott, vocalista do AC/DC, morre aos 33 anos de idade5000 acessosSoulfly: Dave Ellefson fala de seu período na banda de Max5000 acessosTabela Periódica do Rock: músicos que marcaram a história5000 acessosCourtney Love narra intimidades com Cobain

Sobre Ricardo Schuh

Apreciador da boa música, que vai desde o velho blues até o metal. Fã de rock desde sua infância, por sorte tem um irmão que tinha um bom acervo de LPs e fitas cassete que serviram de passatempo por tardes ouvindo o antigo 3 em 1. Leitor assíduo de tudo relacionado ao rock, fã do Whiplash.net, decidiu colaborar com o site e ajudar a divulgar o bom e velho rock’n’roll e suas vertentes.

Mais matérias de Ricardo Schuh no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online