Lemmy: falando sobre sua vida como roadie de Jimi Hendrix

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Rolling Stone, Tradução
Enviar Correções  

Steve Appleford, da RollingStone.com, reporta: antes dele se tornar o legendário vocalista/baixista do MOTÖRHEAD, Lemmy Kilmister passou um tempo como roadie para o JIMI HENDRIX no final dos anos 60, preparando as guitarras para suas explosivas performances – e catando os caquinhos das caixas destruídas após os shows. Em homenagem a nossa última edição fazendo uma crônica sobre os últimos dias e gravações perdidas de Hendrix, nos encontramos com Kilmister na SXSW, onde ele estava promovendo o documentário "Lemmy", para um olhar no passado na época em que ele esteve com a lenda da guitarra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Eu estava dormindo no chão da casa de Neville Chester [Roadie do Jimi Hendrix] – ele dividia um flat com Noel Redding, então sempre que eles precisavam de um par extra de mãos eu estava lá. Eu não consegui o serviço por ter talento ou qualquer coisa assim. Mas eu vi muito o Jimi tocar. Duas vezes por noite por uns três meses. Eu o vi tocar nos backstages também. Ele tinha uma guitarra Epiphone velha – era uma doze cordas encordoada como uma seis cordas – e ele costumava ficar de pé numa cadeira no backstage e tocá-la. Por que ele ficava em pé na cadeira, eu não sei.

Veja no link abaixo um vídeo com o depoimento de Lemmy.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saídaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Manowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted SisterManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336