Heaven & Hell: Tony Iommi ansioso para voltar à estrada

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Gigwise.com, Tradução
Enviar Correções  

Chris Creegan do site Gigwise.com recentemente entrevistou o lendário guitarrista de heavy metal Tony Iommi (BLACK SABBATH, HEAVEN & HELL). Abaixo alguns trechos do bate papo.

Sobre o quanto ele investiu no início para garantir que o BLACK SABBATH tivesse um futuro:

"Acreditei no que estávamos fazendo e acreditei na música que estávamos tocando. Quando começamos a banda, não havia ninguém como nós. Era um verdadeiro desafio tentar avançar e foi duro fazer as pessoas nos aceitar. Sempre soube que seria difícil e por um tempo eu paguei tudo com meu dinheiro para continuar – os caminhões, ônibus para a banda, tudo. Acreditei naquilo e não queria que se acabasse. BLACK SABBATH se tornou uma grande parte de mim."

publicidade

Sobre a vinda de Ronnie James Dio para o BLACK SABBATH:

"Ronnie acrescentou muito, de verdade – e isso não quer dizer que o Ozzy não tenha feito isso – mas ele trouxe uma abordagem diferente nas composições. Era algo mais criativo, e o Ronnie também podia tocar, então, se quisesse explicar algo, ele tocaria. Eu podia realmente sentar com Ronnie e tocar algo e nós podíamos fazer uma música assim. Isso era difícil de fazer com o Ozzy – se o Ozzy tentasse explicar algo, nem sempre compreendíamos. Com o Ronnie éramos capazes de progredir mais rápido e compor coisas bem mais rápido."

publicidade

Sobre o primeiro álbum do Sabbath da denominada era Dio, "Heaven and Hell"

"Nos deparamos com muita crítica antecipada com gente dizendo que nunca seria a mesma coisa sem o Ozzy, e aquilo realmente nos fez ficar espertos e trabalhar nisso. Queríamos provar que quem duvidava de nós estava errado, e por isso foi um processo bem mais estressante. Apesar disso eu realmente curti aquele stress e no fim das contas, acho que criamos um álbum muito bom."

publicidade

Sobre o status atual do HEAVEN & HELL:

"No passado houve muito atrito e nós éramos muito instáveis. É engraçado imaginar que nos separamos em três ocasiões diversas antes de fazer uma turnê novamente 15 anos depois. As coisas mudaram agora e acho que realmente crescemos.
Fazer o 'The Devil You Know' juntos mostrou o quão longe todos fomos e foi uma satisfação trabalhar nele – havia um comprometimento verdadeiro de todos envolvidos. Dito isso, ainda lembro quando nos apresentamos a primeira vez como HEAVEN & HELL – depois de 40 anos como BLACK SABBATH, foi bem estranho. Eu não esperava que tocaria sob um nome diferente e inclusive guardei o primeiro ingresso da primeira apresentação. Ainda parece um pouco estranho agora, mas realmente empolgante ao mesmo tempo. No momento não posso esperar por essa sensação de novo quando sairmos em turnê."

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


E-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?E-Farsas
Papa Francisco era fã do Black Sabbath?

Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuns N' Roses
A família brasileira de Axl Rose


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin