Anthrax: "queríamos estabilidade!", diz Charlie Benante

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carlos Tourinho, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O baterista Charlie Benante, do ANTHRAX, foi entrevistado na dia 14 de maio no "Eddie Trunk's Friday Night Rocks", programa de rádio em FM Q104.3 de Nova York. O chat está disponível para streaming em duas partes abaixo.

Steve Vai: as 10 melhores faixas de guitarra na opinião deleIron Maiden: pastor evangélico tem 172 tatuagens da banda

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Alguns trechos da conversa:

Sobre o retorno do cantor Joey Belladonna ao Anthrax:

Charlie: "Talvez todas as coisas levaram a esta situação, e eu estou realmente feliz com isso - totalmente. Conversei com Joey todos os dias até agora desde que nós estivemos juntos novamente, e está indo muito bem. E essa é a diferença entre a turnê de reunião que aconteceu [em 2005-2006]... Nós nunca tivemos uma chance, todos nós, de tipo reparar nossas relações, era apenas uma espécie de, 'Boom! Você está na estrada. Repare seus relacionamentos por aí'. E isso não estava certo. Então, desta forma, só queria fazer isto antes de irmos para a estrada - ficarmos familiarizados uns dos outros novamente e voltar a ser amigos".

Sobre a decisão de se separar com John Bush e ter Joey de volta no Anthrax:

Charlie: "Basicamente, nós, Anthrax, queríamos estabilidade como uma banda, e acho que a única solução para ter estabilidade é ter alguém que queira estar lá, e esta pessoa foi Joey - ele quer estar aqui e nós queremos que ele esteja. E com esta tour do 'Big Four' (nas próxima datas europeias com Metallica, Slayer e Megadeth), Joey foi parte da coisa toda - o 'Big Four' - e merece estar lá. E isso é basicamente o que importa".

Sobre a declaração de Scott durante um episódio de março de 2010 no "VH1 Classic's That Metal Show", que ele preferia John Bush a Joey Belladonna como um cantor do Anthrax:

Charlie: "Com o Anthrax, Scott dá sempre 110 por cento. Talvez Scott não estivesse curtindo (o fato de que Joey estava de volta a banda) no início, mas Scott está 100 por cento de acordo agora. Ele sabe como me sinto, ele sabe como Frankie (Bello, baixista) se sente, e mesmo como Rob (Caggiano, guitarra) se sente quanto a isso. Eu acho que ele percebe, você sabe o que quero dizer?! Sim, eu sei que ele esteve no 'Tat Metal Show' e ele disse alguma coisa. Mas olha, Scott adora a cor vermelha e todo mundo adora a cor branca. Quero dizer, Scott adora uma determinada coisa. O que você pode fazer? Você me entende?"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre quem Charlie está em relação ao qual o cantor - Joey ou John - é mais adequado para a banda:

Charlie: "John e Joey são uma parte grande de toda a carreira do Anthrax, e eu realmente nunca escolhi um ou outro - eu amo as coisas que fizemos com o John, e eu amo as coisas que fizemos com Joey. Assim, para mim, é tão difícil - eu nunca poderia escolher um ou outro. Posso lhes dizer uma coisa: eu mandei Joey algumas músicas novas. Scott mandou letras, e Joey tocou para mim no telefone, cantando em uma das novas músicas, e cara, eu fiquei arrepiado. Era tão estranho para mim ouvir Joey cantando esta canção, e soou como algo do 'Spreading The Disease', e eu fiquei muito feliz com isso."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Anthrax"


A Cólera dos Deuses: como surgiu o Big 4, por eles mesmosA Cólera dos Deuses
Como surgiu o Big 4, por eles mesmos

Thrash Metal: Os melhores discos lançados depois do ano 2000Thrash Metal
Os melhores discos lançados depois do ano 2000


Steve Vai: as 10 melhores faixas de guitarra na opinião deleSteve Vai
As 10 melhores faixas de guitarra na opinião dele

Iron Maiden: pastor evangélico tem 172 tatuagens da bandaIron Maiden
Pastor evangélico tem 172 tatuagens da banda


Sobre Carlos Tourinho

Carlos Tourinho 'tenta' ser economista, além de tradutor nas horas vagas. Fã desde criança de Rock and Roll, por influência do pai músico, desde cedo teve contato com a cena rocker da Bahia, como Marcelo Nova e Raul Seixas, que frequentavam sua casa. Hoje morando no Ceará, curte de tudo um pouco, desde Bob Dylan, passando por Faith No More a Mastodon. Mas seu coração (e cabeça) bate mais forte pelo Thrash Metal de bandas como Metallica, Anthrax e Slayer, e pelo Stoner Rock de Kyuss, Monster Magnet e Fu Manchu. Fanático por Cultura Pop, geralmente é fonte de consulta de seus amigos acerca dos mais variados assuntos sobre cinema, música e literatura. Acredita que Deus é uma mistura de Mike Patton, Martin Scorsese e Bill Waterson.

Mais matérias de Carlos Tourinho no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280