Disturbed: "música é sempre catártica para nós"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Kako Sales, Fonte: Blabbermouth.Net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 05/09/10. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Keith Heath, do site myYearbook, recentemente conduziu uma entrevista com o baterista do DISTURBED, Mike Wengren. Trechos da conversa podem ser vistas a seguir.

218 acessosLoudwire: os 10 melhores riffs dos anos 20005000 acessosJim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse

myYearbook: Há pouco mais de um anos, nós conversamos com vocês sobre o último álbum, “Indestructible”. Pouco tempo se passou, e aqui estão vocês novamente com o lançamento do seu quinto álbum de estúdio, “Asylum”. Parece haver algo incandescente por trás desse álbum, você concorda com isso?

Wengren: Quando nós finalizamos uma turnê e temos um tempo livre pra aliviar a tensão e descansar, só leva cerca de um mês para Danny (Donegan, guitarras) e eu começarmos a compor. Ele sempre tem alguns riffs em mente. Quando estamos em casa, sentimos falta de estarmos em turnê. Sentimos falta de trabalhar com música, então é uma progressão natural para nós começarmos a compor.

myYearbook: Por quê vocês decidiram intitular o álbum de “Asylum”?

Wengren: Boa pergunta. “Asylum” basicamente tem um duplo sentido. A maioria das pessoas concordam que quando você fala sobre um asilo, é como se você estivesse falando de um local para loucos. Definitivamente há alguns aspectos de nossas músicas que se atém a isso. Ao mesmo tempo, asilo também tem outro sentido onde significa um refúgio, um local seguro. Então pareceu realmente se encaixar no corpo do trabalho e no que está por trás dele.

myYearbook: Este álbum mostra a banda em uma posição muito mais obscura, trabalhando com alguns momentos muito pessoais e dolorosos em suas vidas, como é visto em uma das músicas, “My Child”. Você sente que o processo de composição desse álbum ajudou a curar algumas dessas feridas?

Wengren: Música é sempre catártica para nós. É sempre um meio de libertação e um meio para cura. Nós sempre compomos sobre experiências reais e eu acho que é por isso que os fãs conseguem uma conexão com nossa música. Não somos os únicos a passar por essas coisas. Todo mundo passa por uma provação no dia-a-dia. Então, eles podem escutar certa música sobre que reflete em algo que eles passaram em suas vidas.

myYearbook: De forma semelhante ao “Indestructible”, vocês decidiram por serem os produtores desse álbum. Que tipo de liberdade isso oferece a vocês no tangente à criatividade?

Wengren: Bem, dessa forma não há ninguém mais na sala além de nós dando opiniões sem ser consultado... Ao mesmo tempo, não achamos que seja necessário, a esta altura de nossas carreiras, dizer que fechamos as portas (para um produtor). Estamos abertos para o que acontecer no futuro. Não há ninguém em que confiamos mais que em nós mesmos. Estamos juntos há tanto tempo, conhecemos um ao outro, podemos antecipar os movimentos um do outro. Somos os únicos capazes de conseguir as melhores performances de cada um de nós.

Leia a entrevista completa no myYearbook.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

218 acessosLoudwire: os 10 melhores riffs dos anos 2000335 acessosDisturbed: versão para "The Sounds Of Silence" ganha platina0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Disturbed"

DisturbedDisturbed
Hilária paródia da banda se torna viral na Internet

VendasVendas
Os discos de metal mais vendidos até agora em 2016

MetallicaMetallica
Oito grandes covers feitas por outras bandas de Rock e Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Disturbed"

Jim CarreyJim Carrey
Batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse

Guns N RosesGuns N' Roses
Axl fanfarrão explica como pegava todas as garotas

LoudwireLoudwire
As dez melhores bandas da era Grunge

5000 acessos20 Filmes Mais Punk: "Rock N Roll High School" em primeiro5000 acessosSlash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?5000 acessosSom ruim, fezes e urina: Um brinde à farsa de Woodstock5000 acessosGuitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?5000 acessosMamonas Assassinas: viúva do Piloto comenta vídeo de Feliciano5000 acessosMystery Guitar Man: tocando 1000 guitarras ao mesmo tempo?

Sobre Kako Sales

Mineiro de Januária, baterista autodidata, cresceu em ambiente familiar ligado à música popular e erudita. Seu pai chegou a fazer pequenas turnês com bandas da Jovem Guarda como tecladista no fim da década de 70. Aos 10 anos, iniciou os estudos de teoria musical e piano clássico. Teve o primeiro contato com o mundo do metal ao escutar o CD Angels Cry do Angra, aos 15 anos. Desde então tem se dedicado a conhecer, colecionar e difundir o melhor do metal brasileiro e mundial. Graduado em Letras/Inglês, principalmente por influência da língua-mãe do rock, tem como principais ícones do metal as bandas Angra, Symphony X, Dream Theater e Opeth.

Mais informações sobre Kako Sales

Mais matérias de Kako Sales no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online