Steve Adler: Axl Rose está se comportando como uma criança

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: Crawdaddy!, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 20/10/10. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Andrew Lau, da revista Crawdaddy!, entrevistou recentemente o baterista original do GUNS N' ROSES e atualmente do ADLER'S APPETITE, Steven Adler. Seguem abaixo alguns trechos da conversa.

5000 acessosChester Bennington: Slash comenta a morte do vocalista5000 acessosUSA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUA

Crawdaddy!: Depois que você saiu do GN'R, eles colocaram teclados, backing vocals e metais. Essa é uma escolha com que você concordaria se ainda estivesse no grupo?

Adler: Não, isso nunca teria acontecido, então eles tem sorte de terem me dispensado. Eu teria concordado com um tecladista, mas não seria o babaca que o Axl escolheu. Teria sido um amigo nosso chamado Howard; esse era o plano, de qualquer forma, essa era a única chance de dar certo. Iria ser tipo como o tecladista do AEROSMITH, deixado de lado. Colocar uma máscara nele ou algo assim [risos].

Crawdaddy!: Facilita as coisas pra você saber que a banda começou a ir ladeira abaixo depois que você saiu?

Adler: Não, não facilita, porque eu queria que eles fossem bem sucedidos. Nesse disco que o Axl fez, "Chinese Democracy", ele não deu o nome que ele deveria ter dado, que era "W.A.R." — W. Axl Rose, não GUNS N' ROSES. Teria sido muito melhor para ele. Veja o Sting, quando faz solo, ele não chama isso THE POLICE. O Phil Collins não chama de GENESIS. É como você deve fazer. Ele está sendo infantil. Cresça e apareça. Para mim, pessoalmente, quero terminar o que comecei com aqueles cuzões. Se não fosse por todos esses fãs nossos que ainda nos adoram depois de 20 anos, não teríamos vivido como vivemos, e não é justo o Axl tirar isso deles. Tudo o que eles querem é ver nós cinco cuzões tocar. Juntos. Eu acabei de terminar 56 shows em 62 dias e me divertir como nunca viajando pela América, conhecendo pessoas maravilhosas, e tudo o que eles continuam dizendo é: "'Appetite For Destruction' é a trilha sonora da minha vida, vocês tem de se reunir". Sem brincadeira, se dependesse de mim, aconteceria. Eu sei que devemos isso aos fãs.

Crawdaddy!: O que você achou mais difícil: Estar limpo e ficar sóbrio ou estar numa banda com o Axl Rose?

Adler: [suspiro fundo] Uau. Deixar o cigarro. Estou tendo mais dificuldade em largar o cigarro do que com aquele cuzão e aqueles cuzões [risos]. A razão, te digo agora, a razão pela qual ele fez o que fez foi porque não teve alguém para fazer ele se focar e por os pés no chão. Se ele jogasse o microfone e saísse do palco depois da primeira música, eu diria a ele "Cara, lembra quando éramos crianças e queríamos ver nossas bandas favoritas? Lembra o tanto que tínhamos de trabalhar pra juntar dinheiro para vê-los? É o que essas pessoas fizeram para nos ver. Você não pode fazer isso." E ele diria, "Você tem razão, Steven," e isso o colocava com os pés no chão.

Crawdaddy!: Muitas bandas não tem essa visão.

Adler: Ele falou muita bobagem, vamos admitir. Ele não pode negar isso, mas ele também fez muitas coisas maravilhosas e essas coisas não aparecem na imprensa. As pessoas querem ouvir o que é negativo.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Chester BenningtonChester Bennington
Slash comenta a morte do vocalista

1802 acessosGuns N' Roses: os 30 anos de Appetite na capa da nova Kerrang!2686 acessosWagner Nascimento: Tocar como o Slash?? Muito fácil!!0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Guns N' Roses"

Guns N RosesGuns N' Roses
Melissa Reese conta momento nojento da turnê

News.com.auNews.com.au
Guns, Floyd, Lynyrd e Van Halen são os melhores solos?

USA TodayUSA Today
As 20 maiores de todos os tempos nos Estados Unidos

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"

USA TodayUSA Today
As 20 maiores de todos os tempos nos Estados Unidos

Heavy MetalHeavy Metal
Mapa revela os países com mais bandas do estilo

DécadasDécadas
Você percebe que ouve Heavy Metal há muito tempo...

5000 acessosCinema: 60 filmes pra quem ama Rock e Metal5000 acessosMetallica: Lars Ulrich quase saiu no tapa com Lou Reed5000 acessosGuns N' Roses: melhores músicas segundo a Ultimate Classic Rock5000 acessosClassic Rock Magazine: 8 vocalistas que podem substituir Brian Johnson no AC/DC4825 acessosNão culpe as gravadoras: você que é um tosco mesmo!4801 acessosIron Maiden: vídeo mostra "todos bem loucos" no Fúria Metal em 92

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online