Paul McCartney: um baita susto pregado por George Harrison

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Paccelly, Fonte: Contact Music, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

George Harrison já pregou uma peça em Sir Paul McCartney fingindo ser sua mãe morta.

2384 acessosVinil: os dez discos mais vendidos nos EUA em 20175000 acessosAnitta: "Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

Os dois integrantes dos BEATLES - juntamente com o colega de banda, John Lennon - tentaram entrar em contato com os mortos através do "Ouija" - um tabuleiro com letras, números e outros símbolos, que os espíritos supostamente podem controlar dirigindo um ponteiro para soletrar palavras - quando pensaram em entrar em contato com a mãe do cantor, que tinha morrido alguns anos antes.

Paul explicou: "Certa vez, fizemos aquilo do 'Ouija' quando éramos jovens. Nós não acreditávamos naquilo, mas alguém disse 'vamos fazer', então nós estávamos tocando o vidro dizendo, 'OK, ninguém empurra, OK?' então, de repente, 'Está se movendo!'".

"E soletrava 'Parabéns... filho' e incrédulos, reagimos como 'Não!' e aquilo prosseguia 'Parabéns... filho... número... um... no... NME'".

Percebendo que sua mãe não saberia o que seria NME - uma revista de música britânica -, Paul disse que sabia que alguém estava trapaceando. "Estávamos todos meio que, 'Oh, f**k off' e depois lá estava George, você sabe, rindo - ele trapaceou o tempo todo. Menino mau."

Embora não houvesse a intervenção divina na tábua de 'Ouija', George, contudo, não estava errado, e os BEATLES chegaram a ter 27 hits em primeiro lugar no Reino Unido.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 03 de novembro de 2010
Post de 29 de outubro de 2016

VinilVinil
Os dez discos mais vendidos nos EUA em 2017

379 acessosRingo Starr: novo álbum sai em setembro, e traz Paul McCartney1323 acessosBeatles: Paul McCartney fecha acordo sobre direitos autorais303 acessosSgt. Pepper's: entrevista exclusiva com o Sargento Pimenta159 acessosAlta Fidelidade: "Flowers in the dirt", um clássico do McCartney0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

Bob DylanBob Dylan
É dele a "Maior Música de Todos os Tempos"

PolêmicaPolêmica
As músicas mais controversas da história do Rock

PilaresPilares
O início do Heavy Metal em 1969

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"0 acessosTodas as matérias sobre "Paul McCartney"

AnittaAnitta
"Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

Classic RockClassic Rock
As 10 melhores baladas dos anos 80

Baixos e GuitarrasBaixos e Guitarras
Instrumentos que são verdadeiras obras primas

5000 acessosCapas de álbuns: 30 das piores artes da história5000 acessosDave Navarro: conheça a filha atriz pornô do músico5000 acessosMetallica: James Hetfield explica suas tatuagens preferidas5000 acessosIron Maiden: Gastão Moreira repassa as vindas da banda ao Brasil5000 acessosJustin Bieber e Marilyn Manson: eles agora são melhores amigos5000 acessosJon Bon Jovi: quando ele levou um fora de Bruna Lombardi

Sobre Nathália Paccelly

Nathália Paccelly é brasiliense e jornalista. Nascida em 1989, foi apresentada ao Rock ainda no colégio por intermédio dos colegas que formavam bandas. Isso a estimulou a aprofundar seu conhecimento a respeito da música, possibilitando que adquirisse um gosto próprio. "Metal, Power Metal, Hard Rock, Heavy Metal, Trash Metal, Progressive Metal... gosto de todos, aprendi a ser eclética dentro do rock!" Ainda adolescente, escrevia sobre bandas iniciantes e divulgava em seu fotolog. A prática da escrita motivada pela música a ajudou a escolher sua profissão, e é agregando as duas paixões que decidiu colaborar com o site. "A ideia de ter minhas matérias publicadas neste veículo, para este público, é incrivelmente gratificante". A autora também está no twitter: @NatchyPaccelly.

Mais matérias de Nathália Paccelly no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online