Paul McCartney: um baita susto pregado por George Harrison

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Paccelly, Fonte: Contact Music, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

George Harrison já pregou uma peça em Sir Paul McCartney fingindo ser sua mãe morta.

365 acessosUlrich no U2: ele perdeu para McCartney a chance de tocar bateria5000 acessosGuitarras: as 15 músicas mais complicadas para tocar

Os dois integrantes dos BEATLES - juntamente com o colega de banda, John Lennon - tentaram entrar em contato com os mortos através do "Ouija" - um tabuleiro com letras, números e outros símbolos, que os espíritos supostamente podem controlar dirigindo um ponteiro para soletrar palavras - quando pensaram em entrar em contato com a mãe do cantor, que tinha morrido alguns anos antes.

Paul explicou: "Certa vez, fizemos aquilo do 'Ouija' quando éramos jovens. Nós não acreditávamos naquilo, mas alguém disse 'vamos fazer', então nós estávamos tocando o vidro dizendo, 'OK, ninguém empurra, OK?' então, de repente, 'Está se movendo!'".

"E soletrava 'Parabéns... filho' e incrédulos, reagimos como 'Não!' e aquilo prosseguia 'Parabéns... filho... número... um... no... NME'".

Percebendo que sua mãe não saberia o que seria NME - uma revista de música britânica -, Paul disse que sabia que alguém estava trapaceando. "Estávamos todos meio que, 'Oh, f**k off' e depois lá estava George, você sabe, rindo - ele trapaceou o tempo todo. Menino mau."

Embora não houvesse a intervenção divina na tábua de 'Ouija', George, contudo, não estava errado, e os BEATLES chegaram a ter 27 hits em primeiro lugar no Reino Unido.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 03 de novembro de 2010
Post de 29 de outubro de 2016

Lars Ulrich no U2Lars Ulrich no U2
Ele perdeu para Paul McCartney a chance de tocar bateria

2140 acessosE se for verdade?: Famosos que morreram e foram substituídos1246 acessosShows: em vídeo, Top 11 Músicas Viscerais de Encerramento240 acessosVersões: Clássicos que você talvez não saiba, ou não lembre que são0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

Rolling StoneRolling Stone
As 500 melhores músicas segundo a revista

BackmaskingBackmasking
Existem mensagens gravadas ao inverso em discos de rock?

John LennonJohn Lennon
"Fui abandonado umas três vezes", diz Julian

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"0 acessosTodas as matérias sobre "Paul McCartney"

GuitarrasGuitarras
As 15 músicas mais complicadas para tocar

Andre MatosAndre Matos
O que ele faria se fosse mulher por um dia?

MorteMorte
Confira 15 das melhores músicas sobre o tema

5000 acessosEddie: a foto que supostamente inspirou Derek Riggs5000 acessosVelocidade: Top 10 de músicas de Metal para ser multado5000 acessosGuns N' Roses: veja capa que Axl queria no lugar do robô estuprador de AFD5000 acessosBlack Sabbath: saiba porque era horrível dividir o espaço com Bill Ward nos 60's5000 acessosSlipknot: Joey Jordison acha que foi despedido de forma covarde5000 acessosAvenged Sevenfold: guitarrista dá aula de humildade ao responder sobre elogios

Sobre Nathália Paccelly

Nathália Paccelly é brasiliense e jornalista. Nascida em 1989, foi apresentada ao Rock ainda no colégio por intermédio dos colegas que formavam bandas. Isso a estimulou a aprofundar seu conhecimento a respeito da música, possibilitando que adquirisse um gosto próprio. "Metal, Power Metal, Hard Rock, Heavy Metal, Trash Metal, Progressive Metal... gosto de todos, aprendi a ser eclética dentro do rock!" Ainda adolescente, escrevia sobre bandas iniciantes e divulgava em seu fotolog. A prática da escrita motivada pela música a ajudou a escolher sua profissão, e é agregando as duas paixões que decidiu colaborar com o site. "A ideia de ter minhas matérias publicadas neste veículo, para este público, é incrivelmente gratificante". A autora também está no twitter: @NatchyPaccelly.

Mais matérias de Nathália Paccelly no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online